30 de junho de 2015

As maravilhas da minha especialidade favorita


Como já referi aqui no Reino, a especialidade que mais gosto é Traumatologia. que por si é bastante "lógico": há uma fractura, é preciso reparar.
Claro que há fracturas e cirurgias bastante complexas, poli-traumatizados e/ou co-morbilidades... o que faz com que seja uma especialidade desafiante, daí ser a minha favorita. Contudo, é sempre bom ter um daqueles casos fora da normalidade, que nos faz coçar a cabeça ou de deixar-nos de boca aberta.

Como por exemplo, como um doente que apareceu com uma tábua de madeira maciça pregada no braço e mão, com vários pregos do comprimento de uma caneta.
Ah bem... Benditas sejam as nail guns.

28 de junho de 2015

Mais qui bregounha...


Eu sei que ainda não passou um horror de tempo desde que estou no UK mas estou a perder a capacidade de escrever em Português. 
Um dos meus grandes exercícios é mesmo escrever no blog porque a mandar mensagens e assim, manda-se já com cada calinada que Luís de Camões deve estar a dar umas quantas voltas no caixão!

26 de junho de 2015

Festas da Bilinha


O bom de ter passado as festas na Bila foi que conseguiu-se reunir o gang novamente... como uma grande parte está espalhada, infelizmente, é muito difícil que isto volte a acontecer.

24 de junho de 2015

Viagem de regresso


Ora cá vamos de volta para casa... férias acabam e lá vamos nós de volta ao trabalhinho!

17 de junho de 2015

16 de junho de 2015

Outlander series: Outlander


"Does it bother you that I'm not a virgin?" He hesitated a moment before answering. "Well, no", he said slowly, "so long as it doesna bother you that I am". He grinned at my drop-jawed expression, and backed toward the door. "Reckon one of us should know what they're doing," he said.
(...)
"I said I was a virgin, not a monk," he said, kissing me again. "If I find I need guidance, I'll ask."

Já tinha mencionado a saga Outlander da Diana Gabaldon, devido à sua tão conhecida série televisiva. Portanto, o que eu tenho a dizer sobre o primeiro livro? Gostei muito! E por acaso a série faz muito boa justiça ao livro... o que é raríssimo! A razão pela qual demorei mais tempo a ler este livro é que tem o escocês lá pelo meio.
Pois é! Povo que lê em português, perde um bocado o encanto do escocês mas lendo em inglês a escritora deu-se ao trabalho de escrever tal e qual como se diz em escocês. Então quase que se reproduz todo um sotaque dentro da nossa cabeça quando estamos a ler. Contudo, isso fazia com que às vezes (principalmente no início) tivesse que ler a mesma frase duas vezes, LoL.
O enredo dá para tudo, para tu ficares feliz ao ponto de dares pulinhos e chateada ao ponto de pesquisar no Google como fazer uma macumba à senhora Gabaldon.

Em suma... Jaime Fraser. E não preciso de dizer mais, LoL!

12 de junho de 2015

Escapar


Aqui vamos nós para uma escapadela para a Bila... sim, eu sei! Eu acabei de vir de férias mas estas são férias das férias, ok? Preciso de descansar, LoL.

10 de junho de 2015

Discovering: Budapest


Budapeste foi simplesmente brutal, claro que ajudou ir com uma pessoa que é quase uma local, eheheh.
É uma cidade lindíssima, ambos os lados tanto como Buda e Peste são maravilhosos mas pessoalmente preferi Peste. Por ter tanto para ver, por ter monumentos, vida nocturna, tanta história, entre muitas outras coisas. Que ao final de algum tempo, deu para perceber que a disposição desta cidade é um bocadinho parecida com Porto e Gaia.
A comida é fantástica e tenho a dizer também, que eles têm um grande orgulhos pelos seus produtos nacionais e que por isso tenho-vos a dizer que os vinhos brancos Húngaros são upa upa!
Além dos passeios maravilhosos a pé, fiz também o passeio turístico de barco e um jantar-cruzeiro pelo Danúbio. Por isso tive a sorte de percorrer o mesmo, durante uma tarde solarenga, depois ao pôr-do-sol e noite. 
Tenho a dizer-vos que, à noite, Budapeste bate Paris... mas assim aos pontos! E gostaria de acrescentar que tanto durante o dia como durante a noite Budapeste é muito segura e sempre me senti confiante a caminhar nas ruas e ruelas, ao contrário de muitas capitais europeias.
Depois destes passeios todos, decidimos deixar o último dia para o relax, por isso fomos aos banhos Húngaros e tenho a dizer-vos que dali não saia nunca, LoL! Porque as condições, solzinho quentinho, 26 graus, banhos termais ao ar livre, água a 31 graus... é receita certinha para fica ali e nunca mais sair, eheheh.

Recomendo vivamente, para uma escapadela citadina, passearem muito (tanto de dia como de noite), comerem e beberem do melhor, além claro das comprinhas sempre obrigatórias mas que em Budapeste se tornou um problema porque tem imensas coisas espectaculares!

8 de junho de 2015

Discovering: Transylvania

Antes de vos mostrar os pontos-altos das nossas aventuras, tenho a dizer-vos que Transilvânia me estragou em termos turísticos por ser tão espectacular e linda! A circulação na Roménia torna-se fácil quando o romeno tem uma grande base de latim, então conseguíamos ler bastante bem mas percebê-los era outra conversa... O que ajudava era o facto de quase toda a gente ter uma noção de inglês, por isso não havia grandes falhas de comunicação.


A nossa primeira paragem pela Transilvânia foi o Mosteiro ortodoxo de Sinaia. Cheio de história, pinturas lindas e relíquias! Lindo e não é muito difícil de lá chegar. 
De seguida fomos almoçar a Brasov que foi o local perfeito para um almoço típico romeno, que diga-se de passagem a gastronomia dos romenos é bem boa!

 

O tal momento em que imediatamente colocou a Transilvânia nos píncaros em termos turísticos para mim, foi este... O momento em que visitámos o Castelo Peles. Peço desde já desculpa mas não tenho fotos que façam justiça a toda aquela paisagem que me tirou o fôlego... Um castelo de estilo austro-hungaro no meio de um vale coberto por milhares tons de verde. Não tenho mais palavras... e se eu pensava que não podia ficar melhor, depois entrei dentro do Castelo. Sendo esta residência uma residência de verão (ainda usada pela monarquia romena), só podia mostrar ostentação mas nada fazia esperar salas e salas cheias de materiais raros importados, obras lindíssimas e um cuidado religioso com o Castelo em si (não podíamos tirar fotos com flash e tínhamos que entrar com um calçado próprio).


Claro, ir à Transilvânia e não ir ver o Castelo do Drácula é a mesma coisa que ir a Londres e não ver o Big Ben! O Castelo de Vlad Tepes foi construído a partir de uma fortaleza, então não mostrava a ostentação do Castelo Peles, que mencionei antes. Tem uma vista maravilhosa pois tal como uma fortaleza tem uma vantagem estando lá no cimo. E tenho a dizer-vos que não saí das imediações do Castelo sem ir beber à fonte do Drácula... Mas de momento ainda não senti nenhuns sintomas de imortalidade, LoL.

6 de junho de 2015

Discovering: Bucarest


Ora bem, a nossa primeira paragem da nossa viagem foi Bucareste na Roménia. Que passado umas horas a passear pela cidade consegui perceber que a disposição de Bucareste é muito parecida à disposição citadina de Paris. Com edifícios lindíssimos, aliado às tantas igrejas ortodoxas que por alguma razão têm portas maravilhosas que são beijadas pelos crentes.
Dito isto, não escapou aqui à vossa soberana foi o facto de um lado da rua está cheio de igrejas e do outro cheio de boates e casinos... Acho que os Romenos levam a expressão "escolher um caminho" demasiado a sério, LoL.

Outro facto interessante foi observar os locais a benzerem-se antes de atravessar a rua! Credo, quando disserem que o pessoal no Porto conduz mal, acreditem que ao lado dos Romenos são uns meninos.

Quanto à comida, gostei bastante, especialmente da sobremesa típica deles, o Papanache! Especialmente o facto de que tudo é extremamente barato e se tivesse espaço na mala, não estão bem a ver a desgraça que ia ser, LoL.

Mas não nos ficamos por aqui na Roménia...

4 de junho de 2015

Comic Con '15: cosplay


Como tinha mencionado antes, eu este ano decidi soltar a veia de cosplayer e personificar a Lara Croft (Tomb Raider)! Que acham? Estou parecida? Eheheh.
Por acaso o cosplay não foi necessariamente difícil, apenas encomendei os acessórios e as armas, o resto já tinha. Houve quem fizesse o seu fato de raiz e isso sim é respeito! 


No último dia, ficou para sempre o dia dos kimonos. Este ano com o upgrade de cabeleiras! Eu bem que vos tinha dito que tinha uma pancada com cabelos brancos e/ou prateados. Por isso, agora com a cabeleira, não tenho desculpa para um cosplay da Storm (X-Men)... Fica a ideia, LoL.

2 de junho de 2015

Comic Con '15: review


Ora bem, agora de regresso o primeiro post será para a Comic Con! A minha review da Comic Con de Maio de 2015 é bastante positiva, mais que positiva pois excedeu as expectativas!
Muito mais organizado e mesmo tendo esgotado para a maior parte dos dias, nunca se tinha que esperar para entrar... A única vez em que tinhas que esperar era para ir comer qualquer coisa, LoL.

Agora coisas engraçadas da Comic Con... Logo no primeiro dia encontrámos uma família de cosplayers a ser entrevistada, que estavam espectaculares como Transformers, o melhor? São uma família portuguesa!
Vimos a final do UK de Cosplay, estivemos nos concertos no recinto, olhámos de relance para as filas para conhecer as celebridades (mas como não é muito a nossa cena, seguimos em frente)... e por aí fora!

Em suma, foram simplesmente 3 dias de pura exaustão mas muito felizes mesmo! 

Contudo, não me fico só por aqui, claro. Até porque tinha mencionado num certo e determinado cosplay que ia fazer. Mas isso fica para um próximo post... eheheheh.