14 de junho de 2019

Ideias peregrinas, versão vacinas

 

Tal como tinha dito no Instagram do Reino, eu estive a marinar este post durante bastante tempo pois não sabia mesmo como o escrever mas vocês ajudaram-me e incentivaram-me, por isso aqui vamos nós!

Existe um movimento actualmente, que com as "fake news" e as redes sociais, veio a aumentar imenso, que é o movimento anti-vaxxer, ou seja, o movimento contra as vacinas.
Os anti-vaxxers acreditam que existe uma conexão entre vacinação e autismo, entre outras doenças mentais, além de dizerem que a "Big Pharma" (as grandes companhias e empresas farmacêuticas) só quer lucro e que nos está a envenenar. Ah! E o melhor argumento: para quê vacinar se a maior parte destas doenças já não existem?

Ok, é mais que aceitável cada um ter a sua opinião só que isto não mexe só com uma casa mas com muitas casas, cidades e países! Mas vamos por partes...

Em primeiro lugar, vamos falar sobre o argumento de que as vacinas causam autismo. Se calhar o pessoal que nunca ouvi falar sobre isto, está a pensar onde raio é que foram buscar este argumentos, eu explico. Em 1998, o Dr. Andrew Wakefield (ex-gastroenterologista e investigador médico), decidiu publicar num jornal médico um caso-opinião de que as vacinas podiam criar uma predisposição para doenças mentais e regressão mental em crianças. Escusado será dizer que o jornal médico foi alvo de críticas severas, o médico foi expulso da Ordem e foi-lhe retirada a sua licença para exercer... Mas foi demasiado tarde pois essa "opinião" num jornal médico foi o suficiente para ficar viral. A Academia Americana de Pediatria produziu um documento, com estudos científicos, de 21 páginas, a dizer que sem dúvida não há ligação entre vacinas e o autismo, mas claramente este documento não é do interesse dos anti-vaxxers!
Gostaria de mencionar que acho imensamente triste que para essas pessoas, ou seja, para a sociedade actual, é mais aceitável uma criança não estar vacinada e/ou protegida contra doenças horríveis que a pode matar, do que ser autista (que por si só tem um largo espectro).

Outro argumento, é a Big Pharma que só quer lucro e os está a envenenar... Tudo bem, podem pensar assim mas seria então também aceitável não irem ao médico quando estivessem doentes? É que a Big Pharma faz os antibióticos que tantas vezes nos salvam. A EpiPen para ajudar com choques anafiláticos? Big Pharma. As bombas para a asma? Adivinha: Big Pharma. Já para não falar em medicação para reversão de ataques cardíacos, quimioterapia, etc.
A verdade que toda a gente sabe e ninguém está a esconder, é que tudo tem riscos e tudo tem efeitos adversos. A medicina não é perfeita mas outra verdade é que a ciência já provou que as vacinas é o  melhor método de controlar doenças de se espalharem, ficarmos imunes a elas ou até mesmo como nos afectam...

E isto leva-me ao último argumento que a meu ver é o mais grave: as doenças já não existem, então para que é que as vacinas são necessárias.
Se calhar as pessoas não têm esta noção mas a decisão de vacinarmos os nossos filhos, é uma decisão que afecta a saúde da nossa comunidade. Isto é, o que se chama "imunidade de comunidade" ou "herd immunity", que é quando 90% duma comunidade está protegida e é praticamente impossível uma doença, que pode ser prevenida com vacinas, se espalhar. Ou seja, o recém-nascido que ainda não pode levar vacinas por ser ainda muito pequenino, as mulheres grávidas, os idosos, pessoas com o seu sistema imunitário comprometido (pessoas com cancro, por exemplo) e, ainda, pessoas que não podem ser vacinadas por serem alérgicas.

É por este último ponto que este tema me diz tanto! Como já mencionei aqui no Reino, eu sofri de alergias severas em criança e por isso não pude tomar a vacina do Sarampo até ter 18 anos! Ou seja, até lá tive que me sujeitar à imunidade da comunidade, contar que outras pessoas me iam proteger enquanto eu não pudesse ter a vacina!
Depois quando o Príncipe levou uma das vacinas, ele fez uma reacção horrível e até ele poder levar o resto tive que confiar que o resto da comunidade tivesse as vacinas em dia, para o protegerem... Agora com este movimento anti-vaxxer como acham que me sentia?

Assustada é um eufemismo!

Por isso, é que eu quero internar este pessoal todo! Pois não podem estar bons da cabeça para brincarem com a saúde das outras pessoas assim... 

Mas espero, genuinamente, que este post ajude os indecisos, os mal-informados ou até mesmo para alertar pessoas que conhecem alguém que tomou a decisão de ser um anti-vaxxer.
É do mais triste que há, ver o pessoal a, literalmente desinformar-se na Era da Informação! Só que neste caso afecta-nos a todos. O que é que vocês acham?

Aliás tenho uma questão para vocês, quem acham mais perigoso? Os anti-vaxxers (pessoal anti-vacinas) ou os flat-earthers (pessoal que diz que a terra é plana)?


19 comentários:

Larissa Santos disse...

Um texto belíssimo:))

Hoje:-Criança... a vida inteira... [Poetizando e Encantado]

Bjos
Votos de uma óptima Sexta-Feira.

Matilde disse...

Eu tenho de partilhar isto! Vai de encontro a tudo o q dizemos cá em casa sobre o assunto! O argumento deles dizerem q as doenças já não existem é tão sem fundamento quando neste momento essas doenças estão a voltar exatamente por causa deles não vacinarem os filhos. Enervei-me tanto com o PROS e contras sobre este tema... haja paciência!
E apesar de tudo o que passaste mantiveste o teu bom senso!
Acho que os piores são mesmo os anti-vaxxers e os vegans radicais e extremistas por porém em risco a saúde dos filhos e dos mais próximos...
Muitos Parabéns por este excelente texto tão informativo!

mysupersweettwenty disse...

Os anti-vaxxers, claro! Se alguém quer acreditar que a terra é plana ou côncava ou o raio que os parta é para o lado que durmo melhor, mas não se vacinarem... ok, mas então retirem-se para uma comunidade exclusivamente de anti-vaxxers e vão paralá aprodecer todos juntos!!!

TheNotSoGirlyGirl disse...

Uau muito bem dito. eu acredito que as vacinas possam ter algum influencia no desenvolvimento do autismo ou whatever mas temos de ver a bigpicture e nao pensar no caso especifico de cada um.

C. disse...

Larissa - muito obrigada!

C. disse...

Matilde - por acaso não vi o programa, será q consigo ver online? E muito obrigada por leres e por partilhares 🙌

C. disse...

Mysupersweettwenty - infelizmente a resposta é ambos. Irei explicar no Instagram nos proximos dias se estiveres interessada...

C. disse...

Thenoysogirlygirl - como diz o estudo cientifico de 21 páginas... não há nenhuma relação

A Coruja disse...

Olha tenho medo dos dois! Lolll

Agora a sério, concordo 100% em tudo o que disseste. Para mim é um crime o facto de haver pais sem vacinar os filhos. Deveria de ser obrigatório!

Vou partilhar!

Visita-me: https://www.corujacorujita.pt/

Andreia Morais disse...

Sinto que há muitas pessoas a precisarem de ler esta publicação!

Beta Navarro disse...

Claramente os anti vaxxers. Penso que o autismo é causado especialmente pela genética. Aqui em Inglaterra há muitas crianças autistas, na sala do meu filho para 28 crianças pelo menos 5 são autistas. Também conheço duas senhoras, uma tem 2 filhos autistas e outra 5. Se não estou enganada esses anti vaxxers nasceram nos E.U. Muita da população americana tem descendência daqui do reino unido.E foi devido às vacinas que a mortalidade infantil diminuiu significativamente. Beijinhos grandes.

Green disse...

Texto super interessante, toda a gente deveria ler, anti-vacinas ou não, todos deveriam ler mesmo. Se certas vacinas são "obrigatórias" não é por acaso, mas há pessoas que, como dizem a minha mãe, têm o cérebro ao lado da cabeça, não dá para mais.

Beatriz Sousa disse...

Eu em miúda recebi vacinas para tudo e mais alguma coisa, tanto é que sempre que vou levar a vacina do tétano ou isso eles dizem-me que daqui a uns tempos vou precisar de um boletim novo.
Acho ridículo não vacinar os filhos, tantos anos a erradicar doenças para agora porque uma maria não quer vacinar o filho, voltar tudo ao princípio? Muito mau!

Ashes on the Ground disse...

É uma questão de saúde pública. Nos últimos anos, doenças que já se pensavam ter sido erradicadas têm voltado a matar pessoas (como o caso do sarampo). Se as pessoas não tiverem as vacinas em dia, esperam que este tipo de doenças são controladas de que forma?

Love Adventure Happiness disse...

Os anti-vaxers são muito mais perigosos. A maioria é-o por ignorância/falta de informação correcta. Se colocares vacinas e autismo continuas a ter artigos que os relacionam positivamente, até ao ano passado o artigo que relaciona vacinas e autismo ainda era citado apesar de ter sido retirado APENAS há 2 anos (nem sei como não o retiraram antes).
Falta de informação, desacreditação no sistema, falta de confiança!
Claro que não justifica! Fora que porque e que não é considerado maus tratos? Eu sei que os pais decidem pelos filhos mas colocando a vida deles em perigo e dos restantes não deveria ser obrigatório? A nossa liberdade não acaba quando a do outro começa ou isso é só para ser bonito de dizer???
Enfim vou ficar por aqui que este assunto é recorrente nas nossas discussões no laboratório e é sempre complicado e somos todos cientistas a favor da vacinação só que ainda não conseguimos chegar a um consenso de como lidar com essas pessoas...

Graça Pires disse...

Gostei de ler. É um assunto que tenho acompanhado. A minha opinião é que as crianças devem ser vacinadas para que as doenças não voltem a aparecer, como está a acontecer com o sarampo que até já matou pessoas…
Uma boa semana.
Um beijo.

Ella Morgan disse...

Sinceramente, acho uma estupidez essas decisões de não vacinar os filhos. Afinal, se há uma hipótese de nos protegermos contra certas doenças que nos podem matar, há que a aproveitar. E relativamente a essas ideias peregrinas de que as vacinas causam autismo, é como nos trabalhos da escola, há que, primeiro, confirmar a fidelidade da informação!
Acredito que muitos tenham medo das vacinas, eu mesma tenho medo de tomar vacinas (por ter medo de agulhas), contudo, jamais seria ingénua a ponto de não me vacinar ou não vacinar os meus futuros filhos. Ainda esta semana vou ter que começar a fazer um tratamento por vacinas por causa de uma alergia, sendo que a terei que tomar todos os meses durante os próximos três anos. Claro que tenho medo, mas também sei que é para o meu próprio bem e saúde.
Por outro lado, gostava de questionar a essas pessoas que agora têm mania que sabem mais do que aquilo que realmente sabem, se nas aulas de ciências da natureza nunca deram, por acaso, os benefícios das vacinas (já para não falar que os manuais escolares são bem capazes dede ter fontes mais fidedignas do que algumas revistas científicas/médicas que há por aí à venda).
Ainda bem que falaste sobre este tema, pois é muito importante que as pessoas saibam que estão erradas quando aos malefícios das vacinas.

Beijinhos,
Ella Morgan
moonlightfelicitydestin.blogspot.com

Cynthia disse...

As pessoas valem-se do facto de poderem decidir pelos filhos e decidirem como bem entendem porque são delas. Continua a não ser crime não vacinar os miúdos, não sei muito bem porquê, afinal de contas, está a pôr-se em risco a saúde pública. E a saúde dessas mesmas crianças. Por acaso, não conheço nenhum anti-vaxxer, que saiba... e prefiro continuar sem conhecer, pq é o tipo de coisa que me faz chegar a mostarda ao nariz se entrar numa discussão sobre o assunto...

Matilde disse...

Aqui está https://www.rtp.pt/play/p4234/e338029/pros-e-contras