30 de abril de 2012

A palavra "equipa" tem muito que se lhe diga...


O meu serviço e departamento é um ambiente muito propício a uma pessoa se sentir confortável para aprender. Não só pelas coisas todas que há para aprender mas principalmente pelo ambiente e pela relação entre a equipa, ou seja, não existe aquela hierarquia estúpida de auxiliares, enfermeiros e médicos, por esta ordem crescente. Só para terem uma noção, no outro dia tivemos muito serviço e mal tínhamos mãos a medir, era toda a gente a ajudar, até que fiquei muito parva a olhar para um médico especialista a lavar com uma esfregona o chão do departamento porque tinha sangue. Quando lhe disse que podia deixar estar que eu fazia, ele respondeu-me muito prontamente: "Eu não vou ficar aqui a olhar para ti a trabalhar, também estou aqui para ajudar, por isso trata doutras coisas que eu faço isto." Fiquei ainda mais com expressão qual burro a olhar para um palácio após ele me ter dito aquilo. 
Se fosse só esta situação isolada e pelo facto de naquele dia o serviço ter estado mesmo muito atarefado mas não, coisas semelhantes já aconteceram... 

Outra coisa que tenho em muita consideração é o Consultant (médico no topo de carreira) que chega à sala de enfermagem e diz sempre com um sorriso: "Bom dia, equipa. Bem dispostos?" E, no final do dia, antes de se ir embora vai ter connosco e diz: "Obrigado equipa, excelente trabalho!" Parece estúpido e insignificante mas quem vem de um sítio em que os médicos se consideram deuses e que não devem falar com os comuns mortais, nomeadamente enfermeiros, esquecendo-se que fazem parte duma equipa com um único objectivo: o bem-estar do doente.

28 de abril de 2012

O mundo é microscópico


Como tinha prometido no outro post, aqui fica a prova de que o mundo é bem pequeno e a blogosfera idem aspas.
Tal como vos tinha dito no resumo das peripécias, os primeiros tempos foram de muito passeio e muito convívio. O pessoal português que já cá está há mais tempo acolheu-nos muito bem e tenho conhecido muita gente que veio para o UK pela mesma razão que eu: falta de emprego em Portugal. Mas que se lhes dessem um emprego em Portugal, teriam que ponderar muito bem ou então nem sequer ponderavam e não aceitavam.

Uma das pessoas que tive o prazer de conhecer, foi o blogueiro PortugueseNurse, que está precisamente a trabalhar no mesmo hospital que eu, no departamento ao lado do meu! Que coincidência ou não, foi a primeira pessoa da blogosfera que conheci pessoalmente...

Outra coincidência parecida foi através duma amiga que fiz aqui no UK (que trabalha no serviço do Mais-que-Tudo), voltei a ter contacto com uma amiga de infância que já não falava há mais de 10 anos!!!

Como diria o Prof. Hermano Saraiva: e esta, hein?!


26 de abril de 2012

Moving and Handling


Além das palestras que falei que temos que frequentar, sobre o que fazer em casa de incêndio, eDN (software do hospital), TM (software do meu departamento), suporte básico de vida, etc. Frequentamos também uma formação obrigatória no hospital, chamada: moving and handling. Que é uma formação só sobre transferências de doentes, desde cama para cama, de cama para cadeirão, cadeirão para a posição de pé e cama para a posição de pé. Não vos vou chatear com os detalhes aborrecidos mas, resumindo, aqui têm máquinas para mover os doentes e nós somos obrigados a usá-las pois o Sistema Nacional de Saúde (denominado de NHS) daqui não paga por lesões de coluna aos enfermeiros ou a qualquer profissional de saúde pois isso indica que são utilizadas posturas erradas, coisa que não devemos fazer pois temos aquela formação específica. No entanto, só vos digo que se uma das máquinas apresentadas a nós, que é utilizada para mover o doente que está sentado (tanto na cama como no cadeirão), fosse levada para Portugal, aquilo passaria a ser o Santo Graal. Acreditem! Era isso e um simples pano, que era miraculoso no posicionamento na cama! 

Daí, pelo facto de não pagarem pelas lesões de coluna, a formação foi sempre levada de modo a instrutora nos corrigisse, na prática, as más posturas, além de dar sempre dicas para salvaguardarmos as nossas costinhas. No entanto, o que me chocou não foi o facto de não pagarem pelas lesões ou por nunca podermos posicionar um doente sozinhos ou sermos obrigados a usar os utensílios… O que verdadeiramente me chocou foi uma coisa que a instrutora fez questão de dizer e sublinhar para a gente meter bem na nossa cabeça: se por acaso um doente tropeça ou qualquer coisa do género e vai cair, é deixá-lo cair, nunca na vida ir socorrer e amparar a queda ou ajudar seja como for pois iremos fazer mais mal que bem. Parece desumano e chocou-me mas pela explicação da instrutora, aquilo que ela dizia, fazia sentido tanto para o nosso bem como para o bem do doente, mas mesmo assim, chocou-me.

Por isso, não se admirem se por acaso caírem à minha frente e eu não mexer para vos ajudar ou amparar... Let it fall, let it fall, let it fall! LoL.

24 de abril de 2012

As peripécias até agora...


Ora bem, recapitulando as nossas aventuras até agora, além do facto de já termos o nosso cantinho e de aos poucos ir ficando mais acolhedor, ainda termos muitas caixas dentro de casa mas o que interessa é que já temos uma mesa, cadeiras, sofá (com duas almofadas lindas, que a je encontrou no centro da cidade) e um colchão de verdade! Não que o nosso colchão de ar fosse mau mas dormir num colchão ortopédico Super King size é outra qualidade, LoL. Outra peripécia foi mesmo encontrar lençóis e edredão para uma cama tão grande mas felizmente, juntando o que a gente encontrou aqui com o que a minha Mãe encontrou em Portugal, lá conseguimos vestir o colchão. 

Parece estranho até, antes as minhas preocupações eram exclusivamente encontrar emprego, ir a entrevistas, etc. Agora as minhas preocupações são organizar a casa, encomendar coisas que faltam para a casa, analisar o espaço para escolher a mobília adequada para maximizar o espaço, tratar da água, luz e gás, enfim, um role de coisas! Uma casa dá muito trabalho, principalmente no início, disso me apercebo agora. 

Quanto ao trabalho, a coisa tem ido devagarinho, sinto-me a progredir gradualmente, talvez não tão rápido como gostaria mas tenho que dar um pequeno desconto a mim própria porque é muita coisa ao mesmo tempo, além de que não tive treino nenhum no que normalmente faço no meu serviço. Fora isso, as pessoas são extremamente acolhedoras e ensinam-me muito.

Porém, a vida não é só preocupações e nós temos aproveitado para sair bastante, para conviver, conhecer, comer e beber! Conviver com o grupo que veio comigo trabalhar para o hospital, conhecer o pessoal que já cá estava a trabalhar há algum tempo (e dentro desta categoria terei uma surpresa para vocês mas isso será para outro post, até para criar suspense), comer o pequeno-almoço tipicamente inglês e beber os deliciosos pitchers (que são as quatro canecas da imagem). Aproveitei também uns dias de folga para passear pela cidade, conhecê-la melhor, tendo paragem obrigatória nos parques, que são lindíssimos!

Como disse, a vida não é só preocupações e este fim-de-semana já está combinada uma grande celebração pois hoje, precisamente hoje, recebemos o nosso primeiro ordenado... Venha a festança!

23 de abril de 2012

De volta ao mundo!



Já temos net em casa, ou seja, estou de volta ao mundo! LoL. Por isso, aguardem novos posts e relatos das nossas aventuras...

20 de abril de 2012

Muitas caixas e uma tábua de engomar multiusos


Venho só dizer que estou viva e não, ainda não tenho internet em casa... Noto principalmente agora que uma pessoa sem net, é uma pessoa excluída. Neste momento o mundo podia estar a acabar, que nós não sabíamos, LoL. Sim, porque além de net, também não temos televisão.
Aliás no início não tínhamos quase nada... Como não tínhamos colchão, nem cama, comprámos um colchão de ar, não tínhamos mesa por isso comprámos uma tábua de engomar. Leram bem, tábua de engomar! Esta tábua (que é tal e qual a da imagem) serviu de mesa de jantar, mesa de bricolage, mesa de apoio para os computadores e, incrivelmente, para passar a ferro.
Claro que jantar numa tábua de engomar, sentados no móvel de entrada (porque nem bancos tínhamos) e comendo à vez porque o espaço era muito apertado, mereceu toda a nossa atenção e especialmente fotos de tão hilariante que era. Depois fizemos o upgrade, comprando bancos e após muitas refeições na nossa querida tábua, recebemos finalmente a nossa mobília.
Quando digo mobília é apenas uma mesa, cadeiras, colchão e um sofá, mas tendo em conta a nossa situação, quando a recebemos tivemos um grande sentimento de vitória, LoL. Após desempacotar tudo e fazer toda uma sessão de bricolage, tivemos uma tonelada de caixas em casa!
De momento, as coisas já estão mais organizadas, estamos a pensar no próximo upgrade, que será eventualmente a cama e eventualmente umas cortinas decentes porque as que nós temos não tapam grande coisa e aqui amanhece sempre muito cedo.

Gostaria de agradecer todos os vossos comentários e todas as mensagens de força. Peço desculpa se de momento não comento os vossos cantinhos, nem respondo aos vossos comentários mas quando, finalmente, tiver net em casa, irei responder a tudo e visitar todos os blogs. Obrigada!

11 de abril de 2012

Já está!

Conseguimos! Já temos as chaves para a nossa casinha... Agora é mudar tudo de uma cidade para a outra, limpar a fundo a casa e, finalmente, morar lá com o Mais-que-Tudo! LoL. Infelizmente, não terei net e não vou conseguir vir ao Reino, nem aos vossos cantinhos, mas mal consiga, eu dou notícias e faço uma ronda pela blogosfera.

Mais uma vez, obrigada a todos pelos comentários cheios de força e carinho!

10 de abril de 2012

Number 8


Não podia deixar passar este dia em branco... O número 8 persegue-nos neste momento e, devido ao seu background oriental, o Mais-que-Tudo diz que o número 8 lhe diz muito pois para os orientais é o número perfeito, o número do infinito! 8 anos a aturar-te, parece um infinito realmente, LoLoLoL. Estou brincar, obviamente, porque aturo tanto eu como ele (e olhem que não sou pêra-doce), é assim mesmo pois não temos sempre dias bons, há também dias maus. No entanto, o que interessa é superar os dias maus e aproveitar os dias bons!
És minha pessoa favorita, sabes disso, certo?

8 de abril de 2012

Só vos quero dizer uma coisa...


O meu serviço tem um turno de trabalho ao qual lhe chamam de twilight.

Era só isto, LoL.


P.S. - entretanto descobri que não é só no meu serviço... LoLoLoL

7 de abril de 2012

Ajuntamento de Tugas


Hoje, para ninguém ficar a deprimir em casa, é o jantar, só de portugueses, no restaurante Português/Brasileiro da cidade! Acho que além de ir imensa gente, quase tudo trabalha no hospital... Isto promete! LoL.

5 de abril de 2012

I love molas


Um dos meus grandes problemas onde quer que vá trabalhar, é mesmo o cabelo. Toda uma juba tem que ficar acima da gola ou não me ir atrapalhar para os ombros… No estágio, como era mais rigoroso, usava um “putxo” (como diz o Mais-que-Tudo), no entanto, agora para trabalhar é necessário, para a maior parte dos departamentos do meu serviço, o uso de um scrub hat (um nome muito mais chique para touca). Como o chefe do serviço é homem, pediu uns scrub hats em que o meu cabelo arrebenta com aquilo. Não estou a exagerar, no primeiro dia, chegou mesmo a desfazer aquilo, ao ponto de ter que ir buscar outro.
Contudo, após ter visto quem já lá trabalha há anos, vi que usavam muito molas por baixo daquilo (não se consegue ver mas eu reparei nos balneários elas a fazerem os penteados). Fui para casa a matutar e decidi no dia seguinte levar uma mola para experimentar… E não é que funciona mesmo? O cabelão fica direitinho, não é preciso atar logo não estraga tanto e o scrub hat não arrebenta nem cai. Nunca gostei tanto de molas como agora, LoL!

4 de abril de 2012

Give me something worth the sacrifice





I disappear into the night

The silence is cursing me one more time
I'm not alone in this decline
Cause all my demons have come back to life



I cannot wait for a savior

My angel is long gone
I'm on my knees
I don't wanna pray
I don't wanna pray
I don't wanna pray



Give me something more

Give me something more
Don't shut my eyes
Give me something more
Give me something worth the sacrifice



I cross the line

The walk of shame
I hear the church bells through the acid rain
I'll cannot trade the wrong for right
And pick up the pieces come back inside



I can't deny

Don't ask me why
I feel the pressure everywhere
It starts inside
Erupts in pain
It knocks me down
Am I insane?



Give me something more

Give me something more
Don't shut my eyes
Give me something more
Give me something worth the sacrifice



I can't deny

Don't ask me why
I feel the pressure everywhere
I cannot stand this life in vain
Give me a sign
Am I insane?



Give me something more

Give me something more
Don't shut my eyes
Give me something more
Give me something worth the sacrifice



Give me something more

Give me something more
Don't shut my eyes
Give me something more
Give me something worth the sacrifice



I cannot wait for a savior

My angel is long gone
I'm on my knees
I don't wanna pray
I don't wanna pray
I don't wanna pray



Give me something more

Give me something more
Don't shut my eyes
Give me something more
Give me something worth the sacrifice



Give me something more

Give me something more
Don't shut my eyes
Give me something more
Give me something worth the sacrifice

Nota: Já vos disse que adorei o último álbum de Lacuna Coil? Eheheheh. Só espero ter a oportunidade de um dia os ver ao vivo. Quem sabe, quem sabe...

2 de abril de 2012

Costela inglesa

Uma das coisas que o pessoal notou ao longo deste tempo, é que sentem falta de cumprimentar com os tão típicos dois beijinhos na face.
Epá, pessoalmente, eu não aprecio muito as beijoquices em faces alheias, a não ser claro a pessoas amigas (desde pequena que sou assim, a minha mãe quando era criança prometia-me chupas ou o chinelo, conforme a sua disposição, para eu ir cumprimentar devidamente as pessoas) e aqui não têm esse hábito. Tanto homens como mulheres, é um cumprimento de mão e chega! Aliás, no outro dia, ao ir cumprimentar uma portuguesa, ela deu-me dois beijinhos na face e até fiquei meia sem jeito, do género: o que raio estás tu a fazer? LoL.
Devo ter uma costela inglesa, se calhar...