28 de dezembro de 2019

Bridgertons series (opinião SEM spoilers)



“Love's about finding the one person who makes your heart complete. Who makes you a better person than you ever dreamed you could be. Its about looking in the eyes of your wife and knowing all the way to your bones that she's simply the best person you've ever known.”
The Viscount Who Loved Me

Já algum tempo que me queria lançar a ler romances de época e devido a várias recomendações, decidi começar por esta da autora Julia Quinn, que por acaso desconhecia.
Esta saga tem 8 livros (vá, 9 livros se contarem a novella) e, apesar de mais tarde falar de livro a livro pois cada um tenho uma opinião diferente. A verdade é que a autora inclui nestes livros sempre personagens ricas em detalhes e nos seus dilemas, com um sentimento de humor fantástico, notando-se também um cuidado de pesquisa sobre como a sociedade inglesa do século XIX funcionava na altura. 
Quando comecei a ler estes livros pensei "Romance de época com uma pitada de erotismo? Bem, isto é novidade!" mas a verdade é que é literalmente uma pitadinha, acabando por serem bastante suaves nesse sentido. Fazendo-me notar também as idades que a autora decidiu usar, que seria uma incongruência para a altura mas tendo em conta o público alvo dos livros, faz sentido. 

O primeiro livro, obviamente, é como que uma introdução a esta família e se vocês estão ambivalentes se vão ler ou não esta saga. Leiam apenas o primeiro livro e prometo que vão ficar viciados! Eu tive partes em que tinha que fazer uma pausa para me rir a bom rir, LoL.
O segundo livro já não gostei tanto como o primeiro, pois achei que faltava um pouco mais, aquele sentido de humor que me fez apaixonar pela escrita da autora. Contudo, neste livro gostei da menção dela sobre alergias, fobias e como eram retratadas na altura.
O terceiro livro pareceu-me uma adaptação do conto da Cinderela, por isso acabou por se tornar bastante previsível e acabei por não gostar tanto deste livro também.
O quarto livro é o desvendar de um grande mistério que vem desde o início da saga, o que me fez literalmente devorar este livro! Contudo, este livro relembra-nos também o papel da mulher na sociedade da altura e o quão limitadas estavam... deixando-nos uma perspectiva mesmo interessante.
O quinto livro começa logo a matar, LoL. Pensamos como é que as personagens vão conseguir resolver a situação, prendendo-nos assim à leitura. Este foi o livro que tive mais empatia pois tem uma evolução fantástica das personagens...
O sexto livro pensei que fosse mais pesado mas a autora decidiu manter a mesma leviandade dos outros livros... levantando a velha questão, será que um homem e uma mulher podem ser amigos?
O sétimo livro deixou-me excitadíssima pois era o livro da minha Bridgerton favorita e... não desiludiu! Com aquele sentido de humor brutal e com um pouco de mistério, este é de facto o meu livro favorito da saga.
O oitavo livro pensei mesmo que a autora não me podia surpreender mais... e eu estava tão enganadinha, LoL.

Em geral, aconselho vivamente esta saga. Sejam leitores assíduos de romances ou não. Só pelo desenvolvimento das personagens, os detalhes da época e o sentido de humor, estes livros valem bem a pena!

Já conheciam esta saga? Ou esta autora? Ficaram interessados em ler ou costumam ler romances históricos?


Audiobook: todos os audiobooks desta saga são simplesmente fantásticos e aconselho vivamente. O enredo é super fácil de acompanhar.

Review em vídeo: IGTV - Bridgertons

22 de dezembro de 2019

Uma visão prática do Kindle



Há tempos fiz uma review mais prática do meu Kindle e decidi colocar aqui no blog também, para o caso de alguém estar indeciso a comprar uma auto-prenda para o Natal. 

Não têm que agradecer, LoL.

20 de dezembro de 2019

Bookaholic problems



Eu acho que o grande problema de qualquer bookaholic, que nos deixa de coração apertado e a alma triste... é o facto de nunca mais podermos ler o nosso livro favorito pela primeira vez.

Aquela ansiedade de sabermos mais da história e personagens, aquele entusiasmo quando pegamos no livro... Nunca mais. Contudo, quando efectivamente vamos reler um livro favorito, acabamos por sentir que é quase como revermos um velho amigo. 

Que livros vocês gostavam de reler pela primeira vez?


Aproveitem e vejam também a TAG para a qual fui identificada pela @wordsalacarte_night:


18 de dezembro de 2019

Stalking Jack the Ripper series (opinião SEM spoilers)


 

“Wield your assets like a blade, Cousin. No man has invented a corset for our brains. Let them think they rule the world. It’s a queen who sits on that throne. Never forget that.” - Stalking Jack the Ripper
“Humans were the true monsters and villains, more real than any novel or fantasy could invent.” - Hunting Prince Dracula
“If you wish to go, I’ll never make you stay. I might not do and say the proper thing all the time, but I do know that I love you enough to set you free.” - Escaping Houdini
“Men are keen on blaming women for the rise in sin. It's been something plaguing humanity since the Bible first accused Eve of tempting Adam. As if he had no mind to taste that forbidden fruit before she offered it to him. Everyone seems to forget God told Adam the fruit was forbidden. He created Eve later.” - Capturing the Devil

Mal vi o título desta saga da autora Kerri Maniscalco, que fiquei logo super intrigada, aliás eu já tinha o primeiro livro na minha To-Read List já há algum tempo... mas o quarto e último livro da saga ia sair este ano, por isso pensei que estava na altura.

Estes livros passam-se no século XIX em Londres, tendo como personagem principal uma rapariga inteligente, com um interesse académico em medicina legal e também com uma vontade de quebrar muitas regras da sociedade da altura. Que para uma mulher, eram muitas... 

Como a personagem principal está no meio do mundo da medicina, reparei que muitas das referências, fizeram-me muito mais sentido depois de ter lido "The Butchering Art", o que significa que a autora teve o cuidado de pesquisar e colocar a realidade mais próxima de como a sociedade era e os avanços científicos da altura também. Só isso me intrigou ainda mais!
Contudo, ao ler o primeiro livro apercebi-me que estava um pouco frustrada... até que consegui perceber que era porque achei que a autora, apesar de querer introduzir um pouco de sentido de humor, não conseguiu captar o sentido de humor tão característico britânico, como ficou tão bem retratado na saga "Montague Siblings". Foi então que parei de comparar as duas sagas, que consegui efectivamente aproveitar esta colecção. 

Gostei particularmente como a autora conseguiu sempre manter um aspecto gothic novel à saga e como também conseguiu manter-me sempre a congeminar teorias para tentar decifrar o final. Coisa que em todos os livros me acabou por me surpreender! Quanto à componente de romance, achei adequado para a altura que era, ou seja, é bastante suave, LoL.

No primeiro livro, ela analisa todo o caso de Jack The Ripper, que eu acho morbidamente fascinante. Pelo caso em si e fiquei ainda mais fascinada pelo facto da autora no final do livro pedir desculpa pelas liberdades que tomou com o caso. Com detalhes, como por exemplo, um corte de jornal que tinha saído na realidade num dia e ela colocou a sair noutro dia no livro... Só isto demonstra a pesquisa que fez!
Já no segundo livro da saga, o enredo desenvolve-se na Roménia e foi aqui que tive um pequeno problema... pois passasse mais especificamente no castelo fortaleza de Val Tepes (Drácula), onde eu estive efectivamente, portanto foi um bocado difícil a início eu separar o que a autora estava a fantasiar e o que efectivamente eu vi, LoL. Muito honestamente, acho que foi a primeira vez que tal me aconteceu a ler um livro mas a autora no final pede desculpas novamente pelas liberdades que tomou, o que achei fofinho. 
Gostei bem mais do desenvolvimento da personagem principal no segundo livro, pois estava a começar a ficar um pouco apreensiva pelo facto da autora mencionar sempre a grande inteligência e eu sem ver nada, LoL. Contudo, mostra bem o que era esperado das mulheres na altura, isto é, que estavam boas para ficar em casa a tricotar e pouco mais, considerando uma mulher com uma opinião, uma mulher histérica... O que fez o meu sangue fervilhar um pouco e ter um imenso respeito pelas personagens e por todas as mulheres ao longo da História que foram quebrando barreiras!
O terceiro livro, começa logo literalmente a matar e gostei bastante mais! Talvez porque ela incluiu todo um triângulo amoroso, talvez porque ela colocou um mistério do género "Murder on the Orient Express" ou talvez porque já não tinha a barreira de frustração com este livro... Só não gostei que tivesse terminado num cliffhanger e que tive que esperar um bocadinho pelo último livro para saber o que se ia passar, LoL. 
Quanto ao quarto e último livro da saga, a autora criou um alto e verdadeiro imbróglio. Ao ponto de por mais teorias que uma pessoa colocasse, ela dava mais um nó, tirando-nos possibilidades... Apercebemo-nos também que neste livro vai se resolver uma trama que teve desde início da saga. A minha crítica para este livro é o facto do final ser um pouco rebuscado, talvez porque me tenha dado a sensação que foi escrito à pressa.

Contudo, gostei desta saga, recomendando a toda a gente que queira ler um Young Adult, com nuances de gothic novels, mistério, policial e com um bocadinho de romance, que nos surpreende sempre. Aconselho também a ouvirem aos audiobooks pois a narradora/actriz é simplesmente espectacular com as vozes e com os imensos sotaques!

E vocês? Já leram esta saga? Ficaram intrigados?



Audiobook: o enredo é super fácil de acompanhar neste formato e os audiobooks estão agradáveis de se ouvir.

Review em vídeo: IGTV - Stalking Jack the Ripper series

16 de dezembro de 2019

Paixões


Gostava de falar com vocês sobre paixões. Já não é a primeira vez que falo nisto pois já muitas vezes publiquei e re-publiquei as palestras do Sir Ken Robinson, que fala em nutrirmos as nossas paixões e, mais profundamente, re-estruturarmos o sistema de educação.

O que quero falar é num ciclo vicioso...

A criança é apaixonada por alguma coisa, seja desenho, dinossauros, ballet, etc etc. As outras pessoas tendem a gozar ou até em alguns casos insultar. (Sim, porque um menino gostar de ballet é anti-natura... Enfim.)
Depois em adolescente, escondem as suas paixões e muitas das vezes os seus sentimentos... porque foram gozados e/ou insultados. Enquanto que, principalmente, os pais se questionam porque é que os seus filhos não lhes contam nada e culpam a internet ou más companhias.
Já em adultos, tornam-se desapaixonados pela vida e sentem-se apenas à deriva. Tendo as pessoas à sua volta a dizer que deviam encontrar algo que gostem de fazer ou... algo pelo qual são verdadeiramente apaixonados.

Como podem ver, é um verdadeiro ciclo e está nas nossas mãos quebrá-lo. E não pensem que é só os pais mas toda a gente. Quando virem alguma criança apaixonada por algo, nutram essa paixão. Tentem contrariar este movimento! 

14 de dezembro de 2019

O balanço de 2019 e o desafio de 2020


Este ano em termos de leitura revelou-se! Depois de me ter lançado completamente para o mundo dos audiobooks, a quantidade de livros que efectivamente conseguia ler, aumentou exponencialmente... Então após ter não só ter superado o meu desafio deste ano como quadruplicado o seu número em livros... o meu desafio para 2020, após ter pedido a vossa opinião no Instagram do Reino, era para ser 12 livros, como que um por mês.

Contudo, apesar de ter apreciado este desafio, tendo em conta a quantidade de livros que consegui ler no final deste ano, quero um desafio aliciante e não um que até vou conseguir atingir facilmente. Então decidi colocar o meu desafio para 31 livros!

E vocês, costumam participar no desafio de GoodReads? Qual é o vosso desafio para 2020? 

12 de dezembro de 2019

Sala de Cinema: Love Actually



Nesta altura das festas, é normal cada um ter a sua tradição de filmes de Natal. A minha é ver o Home Alone (Sozinho em Casa) e este filme! Não é Natal sem haver Love Actually... 

Tenho que ser honesta e dizer que pessoalmente não gosto muito de comédias românticas pois para mim a receita é sempre a mesma e acaba por ser mais do mesmo. Contudo, esta "rom-com" britânica com oito casais com histórias muito diferentes mas bastante realistas, é simplesmente fantástica e um verdadeiro clássico!

Com um elenco de peso, desde Hugh Grant, Liam Neeson, a Emma Thompson e Kiera Knightly, este filme demonstra os vários tipos de amor e vários tipo de relações. Tem como um uma longa história por trás mas o filme em si são pequenos clips dos diferentes casais. Mostrando assim os diferentes tipos de casais, um casal é mais realista, o outro é mais fantasia, outro é pura comédia e outro é o tradicional "rom-com".

Tornando este filme não uma história de amor mas antes uma história sobre o amor. E eu podia dissecar todas as relações deste filme mas a verdade é que o casal nosso favorito é o da Lúcia Muniz e Colin Firth! 
Com a sua conversa em inglês e em português, em que ninguém percebe nada mas o diálogo faz sentido... é simplesmente fantástico em termos humorísticos, LoL.

Espero que já tenham visto este filme, se ainda não o fizeram, neste Natal têm mesmo que ver!

Gostam deste filme? Qual é o vosso casal favorito?




10 de dezembro de 2019

Sonhos


Hoje gostava de falar sobre sonhos. Não necessariamente os sonhos de desejar algo que aconteça ou um grande objectivo na nossa vida mas daqueles sonhos de quando fechamos os olhos e o nosso cérebro nos leva para um mundo desconhecido.

Eu podia debitar os mais variados estudos sobre sonhos mas eu apercebi-me em conversas com amigos, que sonhar, como tudo o resto, é subjectivo.
Quando eu sonho, na maioria das vezes, são sonhos nítidos, quando acordo consigo-vos descrever o que aconteceu, o seu enredo, detalhes de onde e com quem estava. Claro que tenho sonhos que mais parecem flashes mas a maioria é assim... E apesar de dizerem que não se sonha a cores (não sei qual é a veracidade disto), eu noto determinadas cores nos meus.

Eu sempre achei o tema "sonhos" super interessante. Quando tinha Psicologia e passamos por esse tema, eu adorava ler sobre o assunto. Além claro do fantástico mundo do simbolismo dos sonhos!

E vocês? Vocês lembram-se dos vossos sonhos? Com nitidez ou nem por isso?

8 de dezembro de 2019

Uma viagem às minhas estantes!



Decidi gravar este vídeo depois de vir de Portugal com alguns livros que tinha lá e outros que comprei... o que eu não esperava era criar um desafio para mim própria!

O que acharam?

6 de dezembro de 2019

And the lightning cracks the sky...


Hoje decidi partilhar esta cover duma música que muitos metaleiros conhecem... A Through the Fire and Flames da banda DragonForce, que musicalmente é um pesadelo para tentar tocar! Aliás esta cover em piano teve que ser com mais uma pessoa, se virem as notas vão perceber, LoL.
Eu por acaso tive o imenso prazer de os ver ao vivo e são simplesmente brutais, com uma energia invejável! 



Que acharam da cover? Já agora, gostaria de deixar a nota de que a música não é só difícil como eles ainda tocam a fazer headbang!

4 de dezembro de 2019

The London Tour: Christmas Markets & Winter Wonderland

A partir desta altura, toda a Londres começa a ficar decorada a preceito das festas natalícias mas além das fantásticas decorações temos também os mercados de Natal, apesar de quase todas as cidades fazerem o seu, os de Londres são os mais falados.


Se quiserem ver um mercadinho enquanto estão a passar pelo centro da cidade, podem sempre passar por Southbank, onde tem sempre um Christmas Market em estilo alemão, com pequenas casinhas onde tem de tudo um pouco, desde decorações de Natal, como presentes e ainda comida festiva tipicamente inglesa, juntamente com outras culturas.


Contudo, se quiserem um Christmas Market de grande dimensão, aconselho vivamente a passarem por Hyde Park onde tem a gigantesca Winter Wonderland, que além do mercado de Natal tem também parque de diversões!
Todos os Christmas Markets e a Winter Wonderland são de entrada livre, portanto são paragens obrigatórias se por acaso viajam para Londres nesta altura do ano.

O que acham? Gostariam de visitar estes mercadinhos de Natal?


Southbank Christmas Market - estação: Waterloo ou Embankment
Winter Wonderland - estação: Hyde Park Corner ou Marble Arch


Post anterior: The London Tour - Harry Potter Studios & Plataforma 9 3/4

2 de dezembro de 2019

The Promised Neverland series (opinião SEM spoilers)


Ora bem, eu comecei a ler este manga do autor Kaiu Shirai e ilustrada por Posuka Demizu, devido a um desafio da The Phoenix Flight.

Honestamente não é o primeiro manga que leio mas foi a primeira vez que li um manga em formato físico! Obviamente que não podia dizer que não a um desafio... Disse-me para ler o primeiro volume pois ia ficar completamente viciada. Pois bem, 12 volumes depois, tenho a dizer que estou plenamente viciada nesta história, LoL.
Eu sei que vocês esperam uma review direitinha mas neste caso vou fazer o mesmo desafio que me fizeram a mim pois este manga, quanto menos se souber, melhor!

Contudo, ler este manga em formato físico, fez-me pensar nos meus mangas favoritos e se aplicava o meu método de triagem, ou seja, se gostava de ter esses mangas em livro... daí ter dado a mim própria o desafio de reler esses mangas.

Vocês gostam de ler mangas? Têm por hábito comprar em formato físico ou lendo apenas online?

28 de novembro de 2019

Mum Shaming


Tenho uma amiga minha que me veio pedir conselhos e dicas para terminar a amamentação. Perguntou-me antes de sequer perguntar a profissionais ou a outras mães pois o tão conhecido "mum shaming" continua em alta.
A questão dela era como conseguir que a filha deixasse a mama. A menina tem 2 anos e chegou a um ponto que a amamentação já não está a ser benéfica para ambos. Porquê o receio dela? Existe um movimento fantástico de aleitamento materno, de amamentação até pelo menos os 2 anos (o que é recomendado pela OMS). Contudo, como em todos os movimentos, há extremistas.

Extremistas que dizem que a amamentação é até quando a criança quiser e é a criança que decide quando parar. Gostaria de anotar que eu sou mais do que a favor da amamentação, contudo, a mesma tem que ser benéfica tanto para o bebé como para a mãe.
Contudo, o que eu quero dizer é que eu não tinha dicas para ela. A amamentação do Príncipe foi muito específica, o desmame foi muito gradual e o cessamento foi natural... Porque calhou!

Muitas técnicas, dicas e afins não resultam para todas as crianças. O que resulta para uma pode não resultar para outra... porém, as pessoas tendem logo a criticar a mãe. Ou seja, em vez de ajudar, desajudam...

Eu costumo dizer que educar uma criança é como montar um móvel complexo do IKEA mas sem o manual de instruções. Tu tens ideia do que queres como produto final mas sem instruções, temos que ir por tentativa e erro. Além de que muito provavelmente não chegar ao final com falta de parafusos, LoL. Mas tentamos o nosso melhor para educar um ser humano saudável e decente.

Não será isso o mais importante?

26 de novembro de 2019

As minhas reviews



Eu tenho estado ao longo dos anos a tentar melhorar as minhas reviews literárias. Tenho que ser honesta e dizer que não sou das melhores mas quando eu vou fazer uma opinião literária, penso no que eu gostaria de ouvir ou ler.

Para estar interessada em ler o livro em questão, gosto de saber um pouco da premissa. Seja "livro baseado na conchichina" ou como "livro com uma distopia". É a premissa do livro que me vai fazer ler ou não... Quando às vezes pesquiso um livro, eu raramente leio a sinopse. Sou bem capaz só de olhar na coluna do género literário (como tem no Goodreads): "Ah, então é uma fantasia paranormal mas com romance."

Ou seja, tento dizer-vos a premissa sem dar spoilers pois é coisa do diabo e há todo um círculo no inferno para as pessoas que dão spoilers sem colocar um aviso.
Portanto, tento colocar bem visível se a minha book review tem spoilers ou não... Que geralmente não tem mas se tiver, é porque quero discutir o livro com vocês e também há muita gente que já o leu.

E, claro, o que seria uma opinião literária sem eu dizer se gostei ou não do livro?
Contudo, como já mencionei várias vezes, ler é muito subjectivo e então a minha opinião vale o que vale. Só que acho que acabamos por gravitar naturalmente para pessoal ou com os mesmos gostos literários ou com sugestões de leitura out-of-the-box.

Isto para dizer o quê? Nas minhas reviews gosto de falar sobre a premissa e o mundo do livro, não gosto de colocar sinopses, em vez disso, mencionar o género literário e as suas nuances. Sem spoilers e com a minha opinião pessoal...

Vocês têm gostado ou acham que lhes falta qualquer coisa? O que é que vocês gostam numa book review/opinião literária?

24 de novembro de 2019

Sala de Cinema: Dead Poet Society



Finalmente, chegamos a este filme! Realizado por Peter Weir e escrito por Tom Schulman (para os bookaholics, este filme tem livro), incluí uma estrela que vocês vão ver em vários filmes clássicos, o grande Robin Williams.

Este grande sucesso de filme de 1989, é essencialmente um drama sobre os sonhos da nossa juventude. Centra-se numa escola privada, que é estritamente tradicional nos seus valores, programa curricular e sistema de educação. O que muda no paradigma é John Keating (Robin Williams), um professor que em vez de apenas ensinar os seus alunos, inspira-os, desafia-os e é o catalisador numa grande mudança na escola.
Em termo de curiosidade, o actor Robin Williams decidiu representar o papel desse professor, pois disse ele que era o tipo de professor que ele desejava ter tido na escola a certo ponto! 
Nem de propósito este filme imortalizou a frase "O Captain! My Captain!" de Walt Whitman, que os alunos dizem para celebrar o professor.

O enredo do filme desenrola-se centrando-se num grupo de rapazes que são colegas e amigos que ficam inspirados pelos ensinamentos de Keating, criando uma imitação de um clube secreto, o Dead Poets Society, encontrando-se clandestinamente para discutir temas importantes como raparigas, álcool e a vida.

Além da sua vida na escola, ao longo do filme, começamos a ver mais os seus backgrounds, que são na sua essência todos um pouco diferentes. Um deles recebe bastante responsabilidade dos pais de ter uma determinada carreira e no filme, sentimos mesmo o peso dessa obrigação para com a família, tendo em conta que o que o realmente faz feliz é actuar. Que vendo-se numa situação de desiludir a família e de nunca mais fazer aquilo que o realmente o satisfaz... decide tirar a sua própria vida.

Por isso, no início o filme pode parecer sobre escola, juventude ou ainda amizades mas a verdade é que é sobre a morte. Pois este filme imortalizou, também, a frase "Carpe Diem". Explicando como devemos aproveitar cada momento e como as nossas vidas são apenas um instante, que não podem ser desperdiçadas! 



Vocês já o viram? Ficaram inspirados com ele ou não é do vosso estilo de filme?

22 de novembro de 2019

Sestas



Hoje vamos falar de sestas... Eu podia falar-vos do que recomendam mas estaria só a maçar-vos como seria mais do mesmo.

Quero-vos dar o lado pessoal relativamente às sestas. Desde que o Príncipe nasceu que sempre fui muito protectora das sestas dele. No início, claro, um be´be dorme mais mas lentamente vão crescendo, a sesta que fica é a sesta depois de almoço... que para nós é sagradíssima!
Toda a mãe seja ela quem for, ou tenha menina ou menino ou ambos, vai arranjar uma coisa para stressar. A minha foi as sestas, LoL.

Outra mãe pode ser as papinhas, o BLW, posição de dormir, etc etc. Mas o stress que eu escolhi foram as sestas.

Muito honestamente acho que foi porque numa de ler estudos sobre desenvolvimento infantil, li num artigo que uma sesta não dormida era o equivalente ao saltar uma refeição.
Isto nunca mais me saiu da cabeça!

Então desde o início que a sesta depois do almoço era sagrada. Tratava tudo de manhã para que durante a tarde, estávamos em casa a dormir descansadinhos. Contudo, a sesta não era só boa para o Príncipe...
Que levante a mão, a mãe que não lança um suspiro de alívio quando a criança começa a sua santíssima sesta!

Pode aproveitar para ler, tentar arrumar a casa, tomar um banho relaxada ou até mesmo escrever (como estou a fazer agora)!
As sestas são boas, não só para a criança mas também para a sanidade dos pais.


18 de novembro de 2019

The London Tour: Harry Potter Studios & Plataforma 9 3/4

Este vai ser um post mega especial pois, finalmente, vou falar desta atração em Londres... que para qualquer Potterhead é definitivamente um lugar de visita obrigatória!

Gostaria de deixar uma nota de que eu já visitei os estúdios 4 vezes e dessas mesmas 4 vezes a minha visita nunca foi igual... estão sempre a adicionar mais coisas à exposição, além de que ao longo do ano fazem diferentes eventos. Por ter ido já algumas vezes, deixo-vos algumas dicas e conselhos para vocês aproveitarem ao máximo.



Antes de sequer chegarem à porta dos estúdios, para iniciar a vossa tour, convém mencionar algumas coisas importantes, como por exemplo, a compra de bilhetes. A compra dos mesmos é toda feita online e com antecedência (quando digo com antecedência é mal vocês tenham os bilhetes de avião, vão logo ver a disponibilidade de bilhetes no site dos estúdios, senão podem ter um dissabor). Não se esqueçam de imprimir a vossa confirmação de compra para levantarem os bilhetes nos quiosques lá nos estúdios!

Vão ver também que podem comprar os bilhetes, não só para o dia que querem, como também para a hora que querem. Isto porque vocês têm uma hora de entrada, contudo podem ficar lá o tempo que quiserem. Podem lá ficar 8 horas se assim o entenderem mas a exposição, vendo com calma, tirando fotos e aproveitando o que há lá dentro, dá no mínimo 4 horas. Portanto, o que eu fiz foi marcar depois de almoço, do género 14h, o que dá imenso tempo até à hora de fecho e dá tempo para a viagem até aos estúdios.

Além disso, tem também diferentes tipos de bilhetes, que o que difere na maioria é o guia digital, onde têm um ipod que vai dando informação ao longo da vossa visita (que alguma já está nas placas) mas que efectivamente vos vai comer um pouco da visita. Fiz uma visita com esse guia e não achei essencial a um Potterhead fanático... contudo se forem com uma pessoa que não é necessariamente fã de Harry Potter, conselho comprarem esse bilhete com guia a essa pessoa, pois ficam com outra visão desta fandom.

Chegar efectivamente aos estúdios, se estão no centro de Londres, é preciso irem em direcção à estação Watford Junction e fora da mesma há uma paragem de autocarro (extremamente bem sinalizada), onde apanham um autocarro privado dos estúdios, que só faz essa viagem (estação-estúdios) e está sempre a correr de 20 em 20 minutos. Precisam é de pagar 2 libras e meia pelo bilhete de autocarro que já incluiu o regresso para a estação!

Lá nos estúdios têm um refeitório com comes e bebes mas podem levar a vossa comida à vontade. Ainda antes de entrar para a exposição, se por acaso estão à espera da vossa hora de entrada, podem dar uma volta pela gift shop e perder a cabeça... Sim! Perder a cabeça, literalmente! Tem imeeensa coisa!
O meu conselho pessoal é vocês darem uma vista de olhos no início e só no final comprarem para terem tempo de pensar nas asneiras e no tombo que vão fazer, LoL.
Agora, vocês entraram efectivamente na exposição... Que eu vou ser simpática e não vos fazer spoiler de como efectivamente vocês entram. 
Chegam então a esse momento mágico de fisicamente verem pedaços de Hogwarts, ver adereços específicos dos filmes, estarem no meio do Great Hall... Tenho um grande conselho, sentem-se e respirem. Eu comi esse erro, quase fiquei roxa de excitação e tive um ataque de asma misturado com um ataque de choro, LoL. Portanto, se são Potterheads como eu, sentem-se  e absorvam o choque inicial.

Depois desse choque, tirem imensas fotos, leiam as placas com informação específica, apreciem a arquitectura, os engenhos, o guarda-roupa, sets e muito mais, pois tudo que está ali foi usado e especificamente feito para os filmes. Que muito honestamente só indo aos estúdios é que tive a noção do quanto trabalho está nos filmes! Coisas como jornais e livros que foram feitos e desenhados à mão...

É vos dito logo no início que podem tirar todas as fotos que vocês quiserem, por isso levem baterias extra e espaço suficiente nos cartões de memória pois acreditem que vão tirar mesmo muitas!

Vão passar pelo Great Hall, pela Common Room de Gryffindor, o grande relógio, o escritório da Dolores Umbridge, o Ministério da Magia, a casa dos Weasley, o Knight Bus, o escritório de Dumbledore, Privet Drive, o comboio e até mesmo uma representação da plataforma 9 e 3/4... Por isso, acreditem, vai envolver muitas fotos!

Além das vossas fotos, podem também tirar fotos a andar de vassoura mas isso é extra e têm que pagar. Acho que fica uma foto por 15 libras mas eles fornecem-vos a capa e cachecol da vossa equipa para vocês estarem mesmo a preceito.

A qualquer altura da vossa visita vocês podem dirigir-se ao staff e fazer perguntas! Até mesmo perguntas sobre adereços ou coisas usadas nos filmes, ou seja, sobre a exposição em si. São todos qualificados para vos dar dicas e até informação que não faziam ideia. Há bastante staff que foi figurino no filme e isso é brutal pois dão-vos uma ideia do que foi estar nesse meio!
A meio da exposição têm uma área de comes e bebes, onde podem fazer uma pausa para descansar as pernas (e o dedo de tanto tirarem fotos, LoL) e experimentar a famosa Butterbeer! Que agora além de ter a cerveja em si (que não tem álcool) tem também gelado de Butterbeer... portanto se não quiserem beber ou se gostarem mesmo muito, podem ir para a fila outra vez e pedir um geladinho. Não vos consigo explicar a que sabe a Butterbeer, vão ter mesmo que experimentar, LoL.

Depois da pausa e da zona de restauração, vão entrar na zona dos efeitos especiais, da criação de adereços para os filmes, onde podem ver até como funcionam... onde são recebidos nessa zona, por um cumprimento de um certo e determinado Hipogrifo. 

A seguir a essa zona, que algures vai ter a Floresta Negra também, entram na Diagon Alley e o Banco de Gringotts, que tem as lojas em imenso detalhe, incluindo a Weasleys’ Wizard Wheezes que tem efeitos brutais! É engraçado estar a passar por esta zona e ter mesmo a sensação de estar a andar numa rua pois é mesmo essa a sensação que dá, pedras no chão incluídas. 

Após perderem a cabeça ali pelo Ollivanders, vão passar na zona de arte e arquitectura. Isto é, onde estão afixados quadros de representações de personagens ou sítios no mundo de Harry Potter. É onde está o meu quadro favorito de um Death Eater (se por acaso forem fazer a visita aos estúdios, tirem foto ao lado desse quadro e me identifiquem!).

Tem também as maquetes do navio de Durmstrang, da carruagem de Beauxbatons, de Hogsmeade... até ao momento em que se vocês ainda não tiveram um ataque cardíaco ou um ataque de choro, é nesse momento!
O momento em que vocês estão frente a frente a Hogwarts e mais não digo. A primeira vez que fui aos estúdios senti as lágrimas a correrem de tão lindo que é, parei uns minutos a absorver tudo pois é literalmente o culminar da nossa imaginação virar realidade.

A seguir a Hogwarts, vocês vão-se deparar na parte de dentro de Ollivanders com as varinhas todas. Aproveitem para tirar as últimas fotos pois depois disso, não podem voltar atrás pois a vossa visita terminou.
O final da vossa visita é na loja dos estúdios, onde eu prometi que vocês podiam perder a cabeça, LoL. Tem imensas coisas, desde camisolas, capas, varinhas, cadernos, canecas, doces, emblemas, etc... Vou só avisar que as coisas são ligeiramente caras pois, não se esqueçam, são oficiais. Para vos dar um exemplo, um cachecol de uma das casas custa cerca de 20 libras, contudo vou-vos dizer que as coisas têm uma qualidade incomparável. 

Aconselho a antes de entrarem a terem uma ideia das horas do último autocarro para não perderem a noção do tempo. 

Gostaria também de mencionar que os estúdios além de estarem sempre a adicionar novas exibições, têm eventos especiais ao longo do ano. Por exemplo, em determinados meses do Inverno, há o Hogwarts in the Snow, que faz com que tudo esteja decorado a preceito e tudo esteja coberto de neve (eu já fui e é lindíssimo). Tem também, claro, o Natal e o Dia dos Namorados. E pode ter também os eventos específicos, como por exemplo, o a exibição com os actores animais (também fui e só a parte das corujas vale imenso a pena), a exibição de aniversário de algum dos filmes com adereços específicos desse filme em questão e muitas mais...

Isto para dizer o quê? Que aquilo está muito bem feito... já conto que tão cedo não vá parar de evoluir pois com os filmes e o universo Fantastic Beasts, a exibição vai estar sempre a aumentar! Ou seja, se forem este ano e no próximo, muito possivelmente as exibições vão ser diferentes e/ou ter novidades.

Chegando ao final da vossa visita, voltando a casa, levantem as perinhas, façam uma massagem aos pés pois depois de tanto andar, vão mesmo precisar, LoL.
Mas não têm a oportunidade de comprar os bilhetes para os estúdios ou não têm um dia para disponibilizar para esta exibição? Tenho uma solução! 


Podem sempre visitar a Plataforma 9 e 3/4 na estação King's Cross! Na plataforma, vai haver fila portanto podem ter que esperar uns minutos para poderem tirar a foto. Está lá sempre uma pessoa a ajudar, com os cachecóis de cada casa. Podem tirar foto com a vossa máquina mas uma pessoa de lado está a tirar, para que se vocês quiserem, ficarem com uma foto oficial, que podem levantar e comprar na loja.

Além de terem o trolley com a placa na parede para tirar foto, têm também a loja, onde também vende as coisas oficiais de Harry Potter. Não tem tantas coisas como nos estúdios mas tem na mesma uma grande escolha.


Vocês gostavam de visitar os estúdios? Ou até mesmo a plataforma em King's Cross? Ou não acham que seja importante, numa visita a Londres?


Harry Potter Studios - estação: Watford Junction
Plataforma 9 3/4 - estação: King's Cross

Post anterior: The London Tour - Camden

16 de novembro de 2019

Mythos series (opinião SEM spoilers)


Estava mortinha por ler este do famoso Stephen Fry! O fantástico é que além do livro, eu complementei com o audiobook também... que é narrado por ele.

Quanto ao livro em si, Mythos é como que um recontar dos contos da mitologia grega, com uma narrativa coerente e fluída desde a criação dos deuses à história do Rei Midas. Na terceira pessoa, o senhor Fry explora estes mitos com humor e relembrando-me do porquê de eu adorar lê-lo: o storytelling. 
Além disso, lembrou-me também, o porquê de eu gostar tanto de mitologia grega e de ser a minha favorita! Pois os deuses não são seres perfeitos, têm os seus defeitos, têm os seus problemas, também se apaixonam (a lot!), também se chateiam, também se magoam, etc. Ou seja, são bastante humanizados.  

A linguagem de Stephen Fry e a forma como reconta estes mitos, torna este livro aceitável para qualquer idade (tendo sempre em consideração que a mitologia grega envolve certos e determinados actos explícitos, LoL). Pessoalmente, até fico com pena de este livro não ter existido quando eu estava a estudar esta mitologia na escola! 
Claro que podemos discutir o quão fidedigno é o livro em termos do seu estudo dos mitos mas a verdade é que o autor incluí a discussão de que há diversas variações em certos mitos. Por exemplo, o mito de Hades e Persephone, na literatura mais antiga diz que ela foi para o Submundo por vontade própria, contudo o mito foi evoluindo ao longo dos tempos pois raptos que geravam casamentos tornou-se a norma na Antiga Grécia, havendo assim várias versões deste mito, por exemplo.
Sendo assim é natural que ele não incluísse todas as variações, incluiu sim as versões que ele mais gostava ou achava adequado.

Acho que a única crítica que tenho a fazer a este livro, é o facto de não ter um index ou algo do género de forma a encontrar algum mito em específico. Por exemplo, se eu estivesse a ler Lore Olympus e quisesse tirar uma dúvida, bastava ir ao livro e voilá. Mas não tendo, torna-se um pouco difícil... Contudo, acho que isto sou eu a ser picuinhas, LoL.

O que acham deste tipo de livros? Vocês gostam de mitologia? Qual é a vossa favorita?


Audiobook: aconselho vivamente! Acompanhei algumas partes do livro com o audiobook que é narrado.. pelo próprio Stephen Fry!

Review em vídeo: IGTV - Mythos

12 de novembro de 2019

I am the Queen of this Kingdom



Estou super ansiosa para vos mostrar o resultado desta colaboração com a Sara de @scattidiumore. Para quem me segue há algum tempo, sabe que de vez em quando tento sair da minha zona de conforto e fazer uma photoshoot a solo estava na minha lista. E o que acontece quando duas pessoas com visões artísticas parecidas se juntam? Resulta nesta photoshoot fantástica!

10 de novembro de 2019

Classificação no Goodreads

Eu acho que nunca mencionei isto no blog mas a classificação do Goodreads chateia-me um bocado. Acho que cada Leitor Compulsivo tem um sistema de classificação diferente mas a minha passa por:
1 estrela - livro abandonado ou que não gostei mesmo. 

2 estrelas - "naquela", ou seja, não me aqueceu nem arrefeceu.

3 estrelas - foi uma leitura agradável.

4 estrelas - gostei imenso do livro.
5 estrelas - arrebatou o meu mundo.
Contudo, eu acho que o Goodreads devia deixar colocar meias estrelas. Acredito que isso fosse um pesadelo para o "average rating" mas ajudava imenso na classificação dos livros.
Por exemplo, tenho lido livros muito bons mas que não me arrebataram ou falhava num detalhe e por isso mesmo gostava de dar 4.5 estrelas. 

Eu acredito que não estou a dizer nada de novo... Mas isto está genuinamente a chatear-me. Porém. eu sei que a classificação do Goodreads vale o que vale pois como até podemos ver pelo bookstagram ou booktube, pessoas diferentes vão ter opiniões literárias diferentes.

Ler é subjectivo. Nem toda a gente gosta do mesmo género literário e nem toda a gente vai pensar o mesmo do mesmo livro. 
Então a classificação acaba por ser muito pessoal...  daí, pessoalmente, achar que as meias estrelas fazem falta.

O que é que vocês acham? Como é que é a vossa classificação?

8 de novembro de 2019

Visita à Xinha

Nesta última ida a Portugal, aproveitamos para visitar a The Phoenix Flight, que resultou num fim-de-semana de muita conversa e até alguns vídeos!



Este primeiro foi quase mal chegámos pois eu já não aguentava ter as prendinhas todas na mala. A coisa boa de fazer este unboxing sem box é que podia ver a reacção dela ao vivo!




E este último, foi um tema que guardei no meu caderninho durante meses para poder debater com a Xinha... este vídeo é resultado de uma das nossas conversas pois como grandes amigas, nenhum tema é proibido!

O que acharam dos vídeos? Gostariam de ver mais com nós as duas?


P.S. - Vejam também o nosso vídeo anterior: Q&A com a The Phoenix Flight.

6 de novembro de 2019

Multitasking


Para quem estuda ou é entusiasta de anatomia humana, sabe que uma das diferenças entre mulheres e homens é o corpus callosum, que é essencialmente uma característica do nosso cérebro, que como que unifica as duas metades... e é mais grosso nas mulheres, o que muitos estudos dizem ser a explicação para o facto das mulheres serem mais eficientes em multitasking.
Vocês não sabem mas eu sou um bocado preguiçosa, então devido a isso, eu adoro multitasking, aquela clássica de estar a cozinhar, a lavar loiça, meter roupa a secar e limpar bancadas, isto tudo ao mesmo tempo. 

Por isso quando a Bárbara me abriu as portas para o mundo dos audiobooks, eu não saltei, eu atirei-me por completo pois adorei!
Como vocês sabem, eu não estava a conseguir ler muito pois com o cuidar da casa, cuidar do Príncipe e o trabalho, muitas vezes os momentos de calma, eram passados a descansar. Então não estava a conseguir avançar muito nas leituras...
Com os audiobooks, consigo fazer multitasking! Posso estar no supermercado, a limpar a casa, a passar a roupa, a conduzir... e eu ali a ouvir um audiobook ao mesmo tempo.

Adoro tanto que vocês não têm noção!

Já antes gostava de ouvir podcasts por isso a transição para audiobooks foi super natural. Claro que ler tem sempre um gosto especial, eu não perdi o gosto pela leitura mas para quem gosta de aproveitar todos os bocadinhos, mesmo quando está a fazer outras coisas, é mesmo o ideal.

Vocês gostam de audiobooks ou não é um formato que considerem? Ou costumam ouvir podcasts? Ou simplesmente música?