30 de dezembro de 2011

Perguntas & Respostas


Sempre quis fazer isto, por isso, nada melhor que acabar 2011 com perguntas e começar 2012 com respostas!
Os meus queridos súbditos estão autorizadíssimos para fazer todas as perguntas, à vossa soberana, que quiserem verem esclarecidas posteriormente aqui no Reino. Sobre mim, sobre o Reino, sobre a vida... O que vocês desejarem, ok?

Ready? Set. Go!

29 de dezembro de 2011

Spot the differences


Qual nórdicos, qual quê! Quem tem o pior frio de sempre são mesmo os transmontanos. Sim, porque eu sou uma pessoa extremamente friorenta (uma transmontana friorenta , eu sei que parece impossível mas existem) e quando estava em Inglaterra usava uma camisola fina e o meu casaco aberto porque senão tinha calor. Mal chego à Bila tenho que fechar o casaco, puxar do meu cachecol, mudar para uma camisola mais quente ou usar um casaco extra, LoL.
Parece-me que isto está um bocadinho trocado, não? Já sabia que são diferentes tipos de frio (porque um é frio seco e o outro é frio húmido) mas isto é um exagero!

Uma das coisas que adoro lá são as lojas... Há muito tempo que fazer compras na Bila é mentira porque raramente tem coisas que gosto e mesmo quando vou ao Porto ou assim, não encontro muitas coisas. Mas quando vou a Inglaterra, isso já é uma conversa totalmente diferente pois eles numa só loja conseguem ter vários estilos, ou seja, conseguem agradar muita gente num só local. Além de que têm coisas giríssimas e há sempre promoções! Escusado será dizer que faço mais compras lá do que cá! Se quiserem ter uma noção do que eu estou a falar, basta visitarem as seguintes lojas inglesas: Next, Store Twenty One e New Look. Quanto ao resto das lojas que tão bem conhecemos do género Primark e H&M, também têm sempre promoções e tudo a preços decentes. Nem vou falar de artigos electrónicos (televisões, telemóveis, consolas, entre outros) e jogos, porque aí é uma diferença como do dia para a noite!

Outra coisa muito gira que vi lá, é que numa rua principal são capazes de ter 3 lojas diferentes de usados, ou seja, coisas doadas que ficam à venda e que os lucros vão para instituições de solidariedade! Coisas que vão desde decoração de casa a brinquedos a roupa e não são coisas a cair de podres, são coisas boas. E vocês são capazes de pensar: as lojas estavam às moscas... Errado. Tinham sempre montes de pessoal lá dentro a comprar! Eu mesma entrei e encontrei um Buda lindíssimo, não comprei porque não tinha espaço na mala, LoL.
Só consigo chegar à conclusão: um mentalidade completamente diferente...

27 de dezembro de 2011

Natal, literalmente, em terras de sua majestade

Como tinha prometido no post anterior, aqui estou eu para vos explicar o porquê de ter escrito num teclado inglês. Resumindo, duas semanas antes do Natal, mais coisa menos coisa, recebi uma notificação para ir a uma entrevista de emprego no UK (que seria na semana do Natal)! Depois de muita conversa e ponderação com a família, decidi aproveitar esta oportunidade, aliás eu não tinha moral para não aproveitar! Andava eu deprimida por não dizerem nada e agora que realmente dizem alguma coisa, não iria aproveitar? Então marquei a viagem e quando ia marcar a de volta, vejo que para voltar a casa antes do Natal teria que pagar perto de 400 euros! Portanto, além de ir ter a minha primeira entrevista de emprego, iria passar o meu primeiro Natal longe de casa?
Pensando bem, nestas últimas semanas houve muitas estreias… Mas continuando.

Nunca tinha sentido uma diferença tão grande em dois dias, apenas. No dia da viagem, custou-me muito, mesmo muito pois o Mais-que-Tudo levou-me ao aeroporto e despedi-me dele lá, o que me custou imenso! Fui para o avião de lágrima no canto do olho e de coração apertadinho… A seguir tentei acalmar-me um pouco, começando a olhar em volta e apercebi-me que a maior parte das pessoas a entrar naquele avião eram quase só velhotes portugueses. Pensei logo: isto vai prometer. E não é que prometeu mesmo? LoL.
Quando já íamos no ar há 45 minutos ou mais, uma das velhotas, perto do meu lugar, começa a gesticular com a hospedeira a tentar dizer-lhe juntando francês com português qualquer coisa de importante, apontando para cima. A hospedeira que só falava inglês perguntou se haveria alguém disposto a traduzir e como eu estava perto da referida senhora, ofereci-me. Lá lhe perguntei o que se passava, o que estava a sentir e se eram nervos de andar de avião. Ela, ainda a panicar bastante e relativamente corada, diz-me que já andou muitas vezes de avião, que naquele momento sentia falta de ar e que queria, à força toda, que lhe dessem a máscara de oxigénio (aquelas usadas só em situações extremas que caiem de cima e tudo). Escusado será que dizer que percebendo claro que a senhora estava nervosa e que tinha-se que a acalmar, digo-vos que o meu esforço para não me rir foi enorme! LoL. Traduzi o que a senhora disse à hospedeira, tendo esta ficado escandalizada por a senhora estar a pedir tal coisa, pedindo-me para a tentar acalmar dizendo que não podem dar oxigénio dessa maneira, só porque ela está com calor. Virei-me para a senhora que estava de casacão vestido, por baixo daquele ainda tinha outro casaco e por baixo desse uma camisola de lã (quem andou de avião sabe que aquilo lá dentro aquece porque tem ar condicionado), dizendo-lhe para tirar os casacos, ficar só de camisola, pegar numa revista abanando um pouco e beber um pouco de água fresca porque se queria oxigénio não ia ter sorte. Lá se acalmou e ficou sem as faltas de ar mal tirou os 2 casacos e beber aguinha fresquinha trazida pela hospedeira… Antes de voltar ao meu canto, o marido da tal senhora, pede-me desculpa pelo sucedido pois eles não falavam nem percebiam inglês, sendo a única língua estrangeira que sabiam era o francês mas que tinham família em Londres logo estavam bem encaminhados. As pessoas no avião quando a senhora parou de panicar, também acalmaram e quando voltei ao meu cantinho, tive que tapar a boca para não se ver o meu sorriso e para não me rir, que em minha defesa foi muito difícil de fazer porque quem estava ao meu lado estava a rir-se à bruta! Enfim… Eu vi logo que ia haver aventura. LoL. De resto correu tudo bem, no entanto, quando cheguei a casa de familiares (onde iria ficar) mal consegui comer e dormir do nervosismo!

A minha entrevista iria ser no dia a seguir, iria levantar-me imensamente cedo, por isso arranjei tudo na noite anterior e quando digo arranjei tudo, é que para entrevista com os cámones há que ir extremamente apresentada, por isso, fui de fatinho e camisa, qual executiva qual quê (e não, infelizmente não existem provas fotográficas). No dia da entrevista em si, estava com uma cara horrível, mesmo assim não conseguia comer, tremia por todo o lado, por isso, toca a maquilhar para esconder as olheiras e parecer uma pessoa normal. LoL.
Cheguei ao hospital e pensava que iria andar lá perdida à procura da sala da entrevista mas os camónes têm uma pessoa na recepção de propósito para isso, para guiar as pessoas pelo hospital. Chegando à dita sala, eu já sabia que iria ter um teste de cálculo (drug calculations) nada de muito sério (aliás só passava para a dita entrevista se tivesse 100% no teste), no entanto, tornou-se sério quando vejo que além desse iria fazer um teste sobre a legislação deles (drug administrations). Pensei logo: “Já fui!” mas mesmo assim fiz o teste e respondi a tudo… Quando acabei ainda tive que esperar um bocado pois quando as pessoas acabavam o teste, a senhora responsável, que depreendi ser a enfermeira-chefe, após corrigir o dito teste levava-as para o corredor e conversava com elas. Chegou a minha vez e a senhora pede-me para a acompanhar para uma sala particular. Fiquei logo preocupada… Então ela começa a dizer que gostou muito das minhas respostas, que acertei em tudo que era do cálculo, no entanto, na parte da legislação, apesar de ela ter gostado imenso das respostas pois tinham lógica e conhecimento, não podia dar a pontuação toda pois não incluía o que estava na legislação, não podendo assim aceitar-me para entrevista. No entanto, a senhora, que por acaso foi extremamente simpática e se ela souber ler português, obrigada Judi! Pois apesar de não ter sido aceite para entrevista, ela explicou-me o que era a legislação para todos os hospitais, como ter acesso a ela e que pontos eram os mais importantes a ter em conta. Posso não ter sido aceite ou não fiquei com o emprego mas esse era o risco, fiquei um bocadinho triste sim, porém agora numa próxima entrevista vou sair-me muito melhor depois das indicações e conselhos da Judi! Assim foi a minha primeiríssima “entrevista” de emprego… Quando saí do hospital, senti tanto a tristeza característica de não ter sido aceite, como alívio pois os nervos eram muitos!

Os restantes dias, aproveitei ao máximo para passear no centro da cidade e até cheguei mesmo a fazer umas comprinhas pois além de ser extremamente barato comprar roupa, adoro as lojas lá! Já tinha imensa coisa em saldo! E por falar em saldos, doeu-me outra vez o coração quando vi uma colecção inteira de livros, que são para aí 9 livros, um pack da colecção a 20 libras (aproximadamente 25 euros). Escusado será dizer que ia-me dando um ataque quando vi isso... Mas não, não comprei, infelizmente pois o espaço da mala era limitado. LoL.

Chega então finalmente o Natal e aí é que começa o coração a ficar apertadinho... No entanto, vocês não vão sentir pena de mim quando vos disser que passei o Natal com os meus familiares de Inglaterra e amigos. Um desses amigos é chef, que fez para a véspera de Natal fez um horror de coisas deliciosas, tudo decorado a preceito (entradas, pratos principais e sobremesa): queijo brie com compota de frutos vermelhos (vou comprar aqui em Portugal e vou tentar fazer porque era óptimo); presunto; um queijo, que não sei o nome, com pêra (que delícia); lombo de porco assado de uma maneira especial com especiarias e ananás; batatinhas crocantes, que ainda não sei como ele fez aquilo; arroz com avelãs; bacalhau feito, acho eu, à moda do "Zé do Pipo" e com o puré decorado que mais parecia um bolo; salpicão brasileiro; uma coisa que não sei o nome mas acho que era uma espécie de salada, que tinha batata palha, que era delicioso; panacota caseiríssimo (coisa que eu adoro, adoro e adoro). No dia de Natal: as entradas do dia anterior; o lombo de porco aproveitado e desfiado, fez um prato que nunca tinha comido coisa igual e era de chorar por mais; polvo à moda portuguesa; os restos do bacalhau; um bolo húmido de nozes com glacé por cima que era de morrer, literalmente morrer (tive pena de não poder trazer metade do bolo para casa, LoL); e pudim caseiro feito no forno.
Escusado será dizer que eu engordei 10 quilos em apenas dois dias, certo? Obrigadíssima André pelo desfalque na minha linha! LoL. E agora que vocês estão a babar para o teclado, já não sentem tanta pena de mim, certo? No meio disso tudo ainda tinha rabanadas e sonhos que trouxe de Portugal, por isso além da excelente companhia, extremamente divertida, tive esta comida deliciosa, de comer e chorar por mais! Logo eu que não ligo muito a bacalhau e polvo, tive este manjar dos deuses, mesmo!
Assim foi o meu Natal de 2011, acreditem quando digo que quando cheguei ontem, matei logo as saudades todas, do Mais-que-Tudo, da família, das francesinhas e do café português!


Em termos de perspectivas… Além de sentir cada vez mais o meu coração divido, metade cá e metade lá, continuo de olho em Inglaterra, esperando conseguir atingir esse objectivo em 2012!!!


P.S. - Vocês são os meus heróis por lerem isto tudo...

23 de dezembro de 2011

Feliz Natal, meus queridos subditos!



Desejo-vos um feliz Natal! E se nao gostam ou nao festejam o Natal, entao aproveitem os momentos com as pessoas que voces amam... Nunca os tomem por garantidos.

Nota: peco imensa desculpa escrita meia esquisita e pela falta de acentos, mas escrever portugues num teclado ingles e' obra, digo-vos (num proximo post explicarei o sucedido)!

19 de dezembro de 2011

Algo se passa comigo...


Algo está de muito errado comigo quando eu consigo puncionar (muitas das vezes sem sequer ver uma só veia) conseguindo acertar logo à primeira e não conseguir, por nada deste mundo, fazer um risco direito com o eyeliner!

18 de dezembro de 2011

Slightly disturbed


Uma parte de mim é sem dúvida tal e qual a Wednesday Addams: terrível, mórbida, sombria, macabra... Quando ela vem à superfície, não é bonito de se ver, acreditem. Por isso se estiver num desses dias, fujam pela vossa vida!

17 de dezembro de 2011

16 de dezembro de 2011

TAC

Esta semana fui fazer uma TAC ao maxilar, a pedido do dentista, depois do filme do dente do ciso... E vocês pensam "O que poderia correr mal?", ora bem, eu respondo "Eu!", LoL. Quando fiquei a aguardar que me chamassem, é que comecei a pensar que nunca fiz uma TAC, nunca vi fazer uma TAC, aliás, vi mas na televisão, por isso não sabia muito bem o que esperar. Não que estivesse a panicar mas apercebi-me só ali, que nem sabia o que me esperava.
Quando me chamaram e me deitei naquilo, primeiro o que pensei foi que aquilo parecia um donut, o que me levou a um sorriso. Depois do senhor me dar umas compressas para morder, ele foi lá para a salinha à parte e aquilo começou a fazer uns barulhos potentes (estava obviamente a trabalhar), então foi aí que pensei "Se isto explode, eu estou aqui!", foi aí que com uma compressa na boca, comecei a rir feita estúpida. O que vale é que estava sozinha e ninguém me conseguia ouvir rir por causa dos barulhos da TAC... Só eu, right? Por isso é que digo que paguei e vai sair mal feita se calhar, LoL.

15 de dezembro de 2011

Fazem filmes de tanta coisa...


...então porque raios ainda não fizeram um filme da Xena? Hein?!



Nota: sou só eu que acho esta actriz, extremamente bonita? Para par fantástico num filme era juntar a ela e o actor que faz de Khal Drogo em The Game of Thrones e que fez o recente Conan, o bárbaro. Que acham?

13 de dezembro de 2011

Radicalidades


Tenho-me apercebido que sou uma pessoa extremamente radical para uma coisa/situação. Se por acaso me chateio com alguém ou se termina uma amizade, corto relações radicalmente ao mais alto nível!
Se desiludiu, desrespeitou ou traiu, então depois, da devida discussão, não há espaço para mais explicações. Não sei se este cortar radical é só mágoa ou apenas para me proteger…
Eu sei que em termos de amigos (porque de namorados, já falei) as pessoas podem encontrar-se, chegar a um novo entendimento, no entanto, a precaução e a suspeita estarão sempre lá. Ou seja, vamos estar sempre de pé atrás e eu não gosto de me sentir assim.
Sei que muita gente vai falar em segundas oportunidades, só que nestes termos (e acho que em muitos outros mas em especial neste) sou bastante paciente, por isso é difícil que a “mostarda me chegue ao nariz” de uma só vez! Na amizade (e consequentemente nos namoros) deve haver uma base: respeito e lealdade. Havendo algo que abale um desses pilares, a estrutura vai toda abaixo e se de facto se destrói, é difícil que essa estrutura volte a ser como era antes, daí a segunda oportunidade, muito provavelmente, vai fazer mais mal que bem.
A minha grande dúvida há tempos era saber se esta era a melhor atitude para eu tomar (apesar de que desde que sou gente que sou assim). Até que cheguei à conclusão que se estas pessoas, eu as considerava minhas amigas então conheciam-me minimamente para saber que tenho um limite e que não tolero certas coisas.
Por isso, que se foda… Continuarei a ser como sou!

12 de dezembro de 2011

Contos de fadas


"Os contos de fadas não dizem às crianças que os dragões existem, elas já o sabem. Contos de fadas dizem às crianças que os dragões podem ser derrotados!" - G. K. Chesterton

11 de dezembro de 2011

Um já foi...


Ontem fui, finalmente, arrancar um dos dentes do ciso (supostamente era para ter arrancado dois, no entanto, depois deste filme, o dentista disse que ia ficar para a próxima, LoL). Podia explicar-vos tudo desde início mas resume-se a eu já ter arrancado quatro dentes há uns anos para poder colocar o aparelho (jurei nunca mais, avisando que se tivesse que arrancar mais, ou era a dormir ou era drograda) e, agora, para arrancar os do ciso, cheguei mesmo a tomar calmantes e analgésicos antes de ir... Estão a imaginar a coisa, não estão? Mesmo assim, ainda custou! Não que doa muito porque com anestesia sentimos apenas uma pressão mas como os meus dentes são mesmo bons (nunca tive cáries ou outro problema) e grandes como tudo (daí o facto de ter que tirar quatro pois não cabia tudo no meu maxilarzito), o dentista ainda suou um bocado para o tirar. Aliás, ele ficou tão surpreendido pelo tamanho do dente que praticamente me obrigou a levá-lo para casa como recordação (e a gozar comigo que podia limpá-lo e vendê-lo como marfim, mas isso são pormenores, LoL)!
Agora, estou fina, não tenho muitas dores, totalmente tolerável, até porque as minhas recuperações são bastante soft, o que custa mesmo é o momento de arrancar o dente, que é um suplício!


Nota: não fiquem com a ideia que sou uma pessoa "picuinhas" mas além dos meus dentes não quererem sair nem por nada e não ajudarem muito... cada um tem o seu limite e o meu limite é arrancar dentes, LoL.

8 de dezembro de 2011

Fases do ciclo

THE EXORCIST

Os homens reclamam imenso da ambivalência das mulheres e consequentemente nós ficamos chateadas com tal insulto!
Não sei como é com vocês mas eu viro uma verdadeira psychotic bitch de 28 em 28 dias... E consigo gostar ainda mais do meu Mais-que-Tudo por me aturar nesses momentos mais bitchy. Nem sei como é que ele consegue pois nem eu me aturo a mim própria nessas alturas!
Por isso, se calhar até dávamos um desconto aos homenzinhos, não era?

7 de dezembro de 2011

Conversas à mesa n.º 12

O Zé, o meu irmão, a querer mostrar o ponto de vista dele, já não me lembro sobre o quê, só sei que se saiu com isto: "É como fazem aos miúdos... Ensinam a falar e a andar, para depois ser só: está quieto e está calado!"

Ao qual eu respondo: "Pois... Então olha, está mas é calado, que eu quero ouvir as notícias."


Humor do Zé - 0
Humor da Corina - 1


Nota: para quem não percebeu, eu disse aquilo de propósito. LoL

6 de dezembro de 2011

4 de dezembro de 2011

Be the overflow



Time it took us
To where the water was
That's what the water gave me
And time goes quicker
Between the two of us
Oh, my love, don't forsake me
Take what the water gave me

Lay me down
Let the only sound
Be the overflow
Pockets full of stones

Lay me down
Let the only sound
Be the overflow

And oh poor Atlas
The world's a beast of a burden
You've been holding on a long time
And all this longing
And the shields are left to rust
That's what the water gave us

So lay me down
Let the only sound
Be the overflow
Pockets full of stones

Lay me down
Let the only sound
Be the overflow

'Cause they took your loved ones
But returned them in exchange for you
But would you have it any other way?
Would you have it any other way?
You could have had it any other way

You could have had it any other way
'Cause she's a crueller mistress
And the bargain must be made
But oh, my love, don't forget me
But I let the water take me

Lay me down
Let the only sound
Be the over flow
Pockets full of stones

Lay me down
Let the only sound
Be the overflow

Lay me down
Let the only sound
Be the overflow
Pockets full of stones

Lay me down
Let the only sound
Be the overflow


Nota: não está muito dentro do género de música mas ouvi numa publicidade e achei a música intrigante, com uma sonoridade super diferente. Que acham?

2 de dezembro de 2011

A linha ténue da miopia


Tudo bem que todos nós erramos, aliás há aquele ditado popular “errar é humano” pois como humanos somos seres imperfeitos e sempre seremos. No entanto, que linha é que separa o erro da estupidez?
Será que o erro é quando ponderamos ou pensamos sobre o assunto mas que no final foi uma má escolha/decisão? Será que a estupidez é quando nem pensamos sobre o assunto e nos atiramos de cabeça? Não me faz muito sentido pois onde colocamos na equação a idade (que supostamente está interligada com a sabedoria)? E onde colocamos também as experiências de vida?
É estranho, não é? Interligarmos a idade à sabedoria? Claro que não estou a dizer aquele tipo de sabedoria do género do druida do Asterix e Obélix, mas sim, a sabedoria do género de ponderação e conhecimento. Porque será que fazemos esta ligação?
É relativamente normal pensar nas atitudes dos adolescentes como estúpidas e irracionais… Ainda não têm (supostamente) experiência, não sabem nada da vida, ainda não têm o lobo frontal desenvolvido, as hormonas estão ao rubro, logo fazem asneiras. E é normal também pensar nas atitudes dos adultos como sensatas e racionais… Têm (supostamente) experiência, sabem qualquer coisa da vida, já passaram por vários estadios de Erikson e têm dentes do siso (ou tiveram), logo não fazem asneiras. Se estas ligações são verdadeiras então porque é que se vê tanto adulto a fazer asneiras de meia-noite e adolescentes com mais cabecinha que muita gente?
Acredito que quando erramos está no nosso poder aprender com eles, no entanto, nem quando tivermos 101 anos vamos ver a vida nitidamente, vai haver sempre algo a descobrir ou aprender, por isso, seremos sempre míopes para a vida. Nunca a vamos ver nítida e claramente!
O meu lado pessimista perguntaria logo: então para que é que me vou sequer chatear a aprender o que quer que seja, se vou ser “caixa de óculos” para toda a vida? Mas como eu quero ser uma pessoa melhor, tento abafar sempre este meu lado pessimista… Eu quero diminuir a minha graduação! Eu quero ver a vida um pouco mais nítida e isso só vai acontecer se eu aprender com os meus erros.
Isto leva-me a uma possível resposta à minha pergunta inicial: o que separa o erro da estupidez? Talvez o facto de que é com os erros que se aprende e nos tornamos uma pessoa melhor, para este mundo já de si desfocado, então a estupidez é quando repetimos o mesmo erros uma e outra vez… Será?

30 de novembro de 2011

Chuck Norris n.º 45


A Torre de Pisa curvou-se uma vez para Chuck Norris e nunca mais se atreveu a levantar.

28 de novembro de 2011

Fado


Finalmente a UNESCO anunciou o Fado como património (imaterial) da humanidade e isso merece uma homenagem... Deixo-vos este lindo fado de Mariza!

26 de novembro de 2011

Bazinga!

Ando tremendamente viciada numa série... Já estava para ver desde início mas entretanto esquecia-me sempre. (Shame on me) LoL. Desde o primeiro episódio de The Big Bang Theory (T.B.B.T.) fiquei colada a rir-me que nem perdida! Assim resumidamente, acompanhamos a vida de um físico teórico, um físico experimental, um engenheiro espacial, um astrofísico e uma pretendente a actriz. Estão a ver o potencial, não estão? É cenas geeks atrás de cenas nerds... Fantástico!


Tal como já vos tinha dito, acabo sempre por ter uma personagem favorita, T.B.B.T. não foi excepção e a minha personagem favorita é sem dúvida alguma o Dr. Sheldon Cooper! Só a risada dele, dá-me vontade de chorar de tanto rir e só de pensar no sorriso dele, começo-me logo a rir! LoL.

24 de novembro de 2011

Generalizar ou não generalizar, eis a questão!

Estes vídeos já foram tema de muita conversa! São basicamente sobre vários universitários (que curiosamente acho que são todos de Lisboa, o que faz com que o "estudo" seja extremamente alargado) a responderem a determinadas perguntas de cultura geral. Eu pessoalmente acho que a revista Sábado não deveria manipular assim tanto a opinião pública, mas isto sou eu.



Tenho é ideia que o vídeo da Sábado surgiu deste vídeo do programa "5 para a meia-noite". Que também é algo preocupante... No entanto, mostram respostas certas mesmo assim!



E vocês, que acham desta polémica à volta dos nossos universitários?

21 de novembro de 2011

Ler é uma coisa que me assiste e muito!

Apercebi-me que quase nunca faço posts sobre livros mas devia porque eu adoro ler, é simplesmente daquelas coisas em que me deixa mesmo relaxada. E sempre gostei, aliás conseguia (e ainda consigo) passar horas a ler! Porém, quando fui para o curso de Enfermagem perdi muitas horas habituais de leitura pois aproveitava tudo que era minuto ou para estudar ou para fazer trabalhos ou para descansar a vista. Agora com o curso acabado, nada como retomar ao meu querido hábito de leitura... Já viram que coisa maravilhosa que é, ler no quentinho da nossa caminha? Até me derreto só de pensar.



Portanto, assim num espaço de seis meses, já li os três livros da “Saga Herança” de Christopher Paolini (Eragon, Eldest, Brisingr; que para quem gosta assim duma combinação de Harry Potter e Senhor dos Anéis, esta saga é perfeita e de momento espero com alguma ansiedade o quarto e último livro que já saiu nos EUA), “Angelologia” de Danielle Trussoni (a história em si é boa e interessante, no entanto, o tipo de escrita é extremamente maçudo, o que chega a cansar um bocado), “O Elemento” de Sir Ken Robinson e Lou Aronica (acho que este livro o aconselho a toda a gente, fala sobre como descobrir a nossa paixão, com os respectivos passos, e com vários depoimentos, tem até um depoimento do sr. Paulo Coelho que me deixou muito surpreendida), “Orgulho e Preconceito” de Jane Austen (tem, obviamente, muita coisa que não mostra no filme e gostei muito de ler, acabei por adorar a escrita dela)
E estou de momento a ler “Papisa Joana” de Lawrence Durrell (o livro é adaptado do original em grego de Emmanuel Royidis e a escrita é algo que me deixa com um sorriso nos lábios pois além de o autor explicar todos os factos, lança sempre alguns raios de ironia e sarcasmo, coisa que adoro) e “The Secret History of Lucifer” de Lynn Picknett (maior parte de vocês já está a pensar que se não sou satânica estou lá perto mas este livro não tem nada haver com a adoração ao diabo ou coisa que o valha, é um livro em inglês que não resisti em comprar quando estive em Inglaterra, esperava encará-lo como um exercício e desafio por ter que ler em inglês, no entanto, a linguagem é acessível, a forma de escrita híper-mega sarcástica, explicando como foi criada a imagem de Lucifer e falando como hoje em dia somos todos satânicos pois Lucifer é representado como a tecnologia, revolução e mudança, pontos de vista interessantes e ainda me falta ler bastante).
Já em lista de espera mais imediata está “Persuasão” de Jane Austen, “Só o amor é real” de Dr. Brian Weiss e "A História de Edgar Sawtelle" de David Wroblewski (agradecia que não houvesse comentários spoilers).

Acreditem quando digo que leria muito mais se tivesse dinheiro para isso...

20 de novembro de 2011

Status quo


Um dia destes telefonaram-me da minha antiga Escolinha, a perguntar se não me importava de dar uma palestra sobre terapias alternativas e complementares. Já é o terceiro ano consecutivo que a faço, logo como já não é a primeira vez que faço este tipo de comunicação, a única diferença é que este ano fiz para alunos e não para colegas. Foi precisamente isto que fez “confusão” nesta cabeça.
Quando fui apresentada à plateia, fui chamada Enfermeira Corina, o que me lançou a risinhos incontroláveis. Parece que ainda não me habituei ao status de licenciada... LoL. E agora que penso nisso, passei 17/18 anos da minha vida a estudar, normal que me custe um bocadinho a deixar para trás o status de estudante, certo?

19 de novembro de 2011

Sou uma cliente assim para o chatinha

Eu sei que não sou a pessoa mais compreensiva no que toca a eu pagar serviços e esse respectivo serviço falhar. É uma coisa minha de gostar de ver o meu dinheiro bem empregue… Por isso vocês já estão a imaginar quanta comichão me dá ter que pagar quotas à OE todos os meses, não estão?

18 de novembro de 2011

Wishlist n.º 30

Há uns tempos, no café, estivemos a falar sobre que raças de cães gostaríamos de ter... Ora bem, assim uma coisa de sonho mesmo, eu gostaria de ter um Great Dane.



Mais conhecido como a raça do Scooby-Doo, o Great Dane é um cão imponente, aliás tão imponente que se vocês vissem um cão deste género a correr, vocês gritavam: cuidado com o cavalo!!!
São enormes, mesmo! Mas tão lindos, tão elegantes... Aproveitei e pesquisei mais sobre esta raça, até para perceber que tipo de personalidade costumam ter. Supostamente o carácter destes cães é essencialmente amistoso, afectuoso com os familiares (em particular com as crianças), esquivo e desconfiado com estranhos. Mesmo o meu tipo de cão!
Só que infelizmente devido ás alergias, penso que futuramente não irei ter tão cedo animais, além de que estes cães necessitam de muito espaço para correr, saltar, brincar... Enfim, fica o sonho.

E vocês, queridos súbditos?! Se pudessem escolher, que raça queriam?


Nota: vocês já repararam que em Portugal dizemos a raça dos cães com marcas? Do género, o Labrador é o scottex, o Shar Pei é o 5àSec... Somos mesmo estranhos. LoL.

17 de novembro de 2011

Obrigadinha mas eu já sei...


Não preciso que me estejam sempre a lembrar que não sou normal, a sério que eu já sei disso. Eu sei que não sou uma rapariga normal por não gostar de cor-de-rosa, por gostar de ver jogos de futebol com o meu Mais-que-Tudo, por não andar de saltos altos todos os dias, por me rir de piadas geeks (que nem toda a gente percebe), por não comprar roupa nova todos os meses, por gostar mais do Inverno do que do Verão, por preferir o confortável ao bonito, por não seguir necessariamente e entusiasticamente a moda, por tentar não ter preconceitos, por não gostar de metade da música que passa na rádio, por não ler os livros que toda a gente lê, por ter o meu próprio estilo em tudo...
Eu já sei que não sou normal, a sério. Não precisam de se repetir, até porque eu gosto de ser assim, ok? Agradecida.

16 de novembro de 2011

Chuck Norris n.º 44


Qualquer comida sabe que o lugar mais seguro que existe, é dentro do corpo de Chuck Norris.

14 de novembro de 2011

The space within us




In the moonlight
In the moonlight's pale embrace
We come to know the space between us
The space between us

Dream light
Dream light comes in waves
(The waves within us)

Star light
Star light, silent embrace
(The waves within us)
To know the space within us
(The space within us)
The space within us

In blood red skies!
Mind takes fight
(the sky is falling)
Oceans rise
Words collide
To know the space between us
(The space between us)
The space between us

Fly in a dream so high
Feels so alive
The world is like a jewel in your eyes
One life, feel it

Further your dreams so high
Feel so alive
The world is like a jewel in your eyes
One life, feel it

The moonlight
Moonlights pale and grey
(The space within us)
There is no space between us
(The space between us)
The space between us

In blood red skies!
Tears run dry

There is no space between us


Nota: novamente, uma das minhas bandas favoritas de todo o sempre, Anathema.

13 de novembro de 2011

Mulher perfeita


A mulher perfeita não existe, tal como também não existe o homem perfeito. Se bem que há uns tempos encontrei um estudo que dizia que a mulher perfeita é:
  • Enfermeira
  • Morena
  • Curvilínea
  • Cabelos longos
Tendo em conta que sou estes itens todos... o que tenho a concluir é que, segundo o estudo, eu sou a mulher perfeita! LoLoLoL. E não, não estou a inventar! Podem conferir AQUI.

O que não vale um boost de auto-estima logo pela manhã... Eheheh.

12 de novembro de 2011

Antecipadamente...


Referido ao post anterior "Pessoal com connects, vinde a mim!", gostaria de agradecer a todos os que comentaram. Muito obrigada, vocês são uns amores!

11 de novembro de 2011

Pessoal com connects, vinde a mim!

Já estamos quase-quase na recta final, esta semana já recebemos as traduções e ontem acabamos por enviar tudo para a NMC (ordem dos enfermeiros do R.U.)!

Por isso, agora estamos à procura de empresas em condições que nos dêem trabalho, a mais conhecida é a Kate Cowhig, no entanto, estamos abertos a sugestões, daí estarmos a procurar outras, mesmo no R.U.; daí fazer este apelo aos meus queridos súbditos e turistas deste Reino que se, por acaso, tiverem algum contacto com este tipo de empresa, por favor mandem mail ou deixem um comentário.

Eu sei que vocês são um espectáculo e agora com isto da blogosfera, pode ser que haja por aí uma alma caridosa que me ilumine o caminho… Muito agradecida, se pudesse dava um doce a todos!



Nota: esta mensagem foi publicada no dia 11/11/2011 às 11h11... LoL.

9 de novembro de 2011

Downton Abbey


Devido à apresentação de Downton Abbey que deu na FOXlife, a minha mãe pediu para tentar arranjá-la. Então lá andei eu a investigar pois desconhecia de todo a série. O primeiro sítio onde vou, claro, é o IMDB (the Internet Movie DataBase) e não é que a série, além de se desenrolar em Inglaterra, de decorrer nos inícios do século XX, está com pontuação de 9.1?! Fiquei logo de antenas no ar... Toca a arranjar e de ver.

Pois bem, estou oficialmente viciada nesta série. Sou um bocado suspeita pois adoro este tipo de séries, além de adorar os séculos XIX e inícios do século XX. Mas acho que a série está muito bem feita e com uma história que prende, no entanto, nada como verem um ou outro episódio para ver se ficam agarrados como eu.

Claro que quando somos fãs de alguma série temos os nossos favoritos e nesta série não é diferente. Os primeiros episódios, da primeira temporada, foi o bastante para tornar a Lady Sybil Crawley a minha favorita. Além de ser linda, acho a personagem extremamente feminina e meiga mas completamente revolucionária! Só para verem como tenho bom "olho" para estas coisas, não é que a minha personagem favorita, no final da primeira temporada, passa de lady para enfermeira?

7 de novembro de 2011

Crazy weekend in Leiria!


Caros súbditos, estou de volta de um fim-de-semana brutalíssimo e de um aniversário fantástico... Onde deu para matar saudades (será que nos vamos encontrar uma terceira vez este ano Afal? LoL) e conhecer pessoas espectaculares (inclusive seguidores do Reino)!! Para não falar da comida de-li-ci-o-sa, assim em quantidades bíblicas, LoL.
Já não me ria tanto numa só noite há bastante tempo... Obrigada!

Nota: tal como tinha dito, aqui está a foto do bolo que era um espectáculo tanto em aspecto como em sabor! Aliás eu sou da opinião que roçava o diabético... Foi a Afal que o fez de raiz, até foi ela que arranjou a massa americana e fez aquele símbolo (que lhe diz muito). Além de lindo estava delicioso!

Nota da nota: agora é que me apercebi que faltou uma foto de grupo, por isso, vamos ter que nos encontrar outra vez para tirarmos a foto de grupo... ó que chato! LoL.

6 de novembro de 2011

Deve ser do tempo...

Anda a apetecer-me ultimamente comer ou panquecas ou crepes... Deve ser do tempo, só pode! Quer dizer anda uma menina a comportar-se relativamente bem e depois desfalca-se nisto. Enfim, a culpa é tua S. Pedro!

Nota: mas depois da comida toda deste fim-de-semana... adio as panquecas ou os crepes, LoL. Afal, és a desgraça para a minha dieta!

4 de novembro de 2011

Inquisição, condessas e vampiros



Gostaria de partilhar com vocês um pensamento que se me sucedeu quando estava a enrolar as pestanas para sair à noite. Sim, isto é normal em mim, ter estes pensamentos enquanto estou a fazer as coisas mais insignificantes, não se apoquentem.

Portanto, estava eu a pensar na Inquisição da Igreja Católica, que para quem não sabe era um tribunal eclesiástico destinado a defender a fé católica (coisa engraçada para se pensar enquanto se enrola as pestanas, não é? LoL). Uma das suas maneiras favoritas de “defender” a fé católica era colocar as pessoas a “Questão”, que basicamente consistia colocar as pessoas numa máquina de tortura onde as levantavam com os braços ao contrário. Supostamente, quem tivesse fé católica não teria dores e posteriormente os braços não partiam. Escusado será dizer que todos submetidos à “Questão” foram considerados culpados. Muitos deles com acusações do arco da velha sobre o pretexto da lógica da batata, matando milhares de homens, mulheres e crianças... E vou parar por aqui porque senão começo a divagar!

Não sei se vocês conhecem também a história da Condessa Elizabeth Bathory, que nasceu no século XVI na Hungria, sendo considerada, supostamente, uma das mulheres mais perversas e sanguinárias que a humanidade já conheceu. Isto porque a Inquisição assim o disse, sem provas e com testemunhas que beneficiariam com a perda de poder da Condessa (no mínimo conveniente).
O que é que a Igreja disse desta mulher? Que matou milhares de jovens, as drenava para a sua banheira e tomava banhos com o seu sangue para manter a sua beleza. Claro que a verdade agora não se sabe ao certo, no entanto, uma das lendas na Hungria é que a Condessa injustamente condenada, tinha era conhecimentos a nível da acção curativa das ervas, tratava os criados e súbditos, e utilizava esse conhecimento para si própria, tomando banhos com infusão de ervas que davam uma coloração avermelhada à água.

Neste momento vocês estão a pensar: o que raio ela quer dizer com a Inquisição e a Condessa?! Ora bem, com a história lançada pela Igreja dos supostos crimes sangrentos da Condessa, criou-se assim a grande lenda popular do vampiro Drácula. Lançando, depois deste grande vampiro, um género literário próprio!

O meu raciocínio é: se a Inquisição da Igreja Católica não tivesse existido ou não tivesse lançado a história da Condessa, não existiam vampiros, por fim, não existia o Twilight!!!
Potente.

3 de novembro de 2011

Eu, os meus sapatos e, já agora, as minhas botas

Como já vos tinha dito, sou uma tanto quanto picuinhas no que toca a escolher tudo, especialmente sapatos pois acho que é daquelas coisas que têm que ser bonitos e confortáveis. Por isso é que achava que nunca iria encontrar o estilo de bota e sapato que queria... No entanto, num dia destes estava eu a passear pelo centro da Bila e numa das lojas de comércio tradicional vejo estas preciosidades!

Devo ter ficado de queixo caído durante alguns minutos pois já há algum tempo que procurava botas femininas do estilo militar a um preço modesto. Já tenho um bom par de botas com salto mas ainda não tinha encontrado umas botas rasas em condições, até que vejo estas, lindas que nem elas, de cano alto mesmo como eu gosto e depois experimentando, comprovei que são super confortáveis.


Ao pé destas botas estava uma coisa que gostava imenso mas não teria a certeza se em mim ficaria giro... Até que numa de "experimentar não custa", acabei por adorar ver estes Oxford de salto nos meus ricos pézinhos e mais, os meus pézinhos também gostaram pois dão um óptimo andar!

Ambos os pares de calçado foram a um preço modesto e são ambos de óptima qualidade, ou seja, isto lembrou-me que posso não encontrar tudo num shopping mas verdade seja dita, tinha deixado de ir ao comércio tradicional por se ter tornado um pouco caro... Não foi o que se verificou neste caso e adorei! Gastei um bocadinho de dinheiro mas vão dar imenso jeito agora para o Inverno. Que acham, boas compras?

2 de novembro de 2011

I am surrendering to gravity and the unknown




Lost again
Broken and weary
Unable to find my way
Tail in hand
Dizzy and clearly unable to
Just let this go

I am surrendering to gravity and the unknown
Catch me heal me lift me back up to the sun
I choose to live

I fell again
Like a baby unable to stand on my own
Tail in hand
Dizzy and clearly unable to just let this go
High and surrendering to gravity and the unknown
Catch me heal me lift me back up to the sun
I choose to live, I choose to live, I choose to live

Catch me heal me lift me back up to the sun
Help me survive the bottom

Calm these hands before they
Snare another pill and
Drive another nail down another
Needy hole please release me

I am surrendering to gravity and the unknown
Catch me heal me lift me back up to the sun
I choose to live, I choose to live


Nota: mais uma vez A Perfect Circle consegue retratar o meu estado espírito na perfeição.

1 de novembro de 2011

29 de outubro de 2011

Supostamente

É sempre bom e positivo conhecer pessoas novas e experimentar situações diferentes, toda a gente sabe disso. Daí fazermos isto várias vezes na nossa vida, é na interacção com pessoas diferentes que vamos abrindo os nossos horizontes, estando despertos para o futuro e tantas, mas tantas vezes entender o passado…

Gostava de poder dizer que não me arrependo de nada, ou de querer voltar atrás no que se fez, no entanto, quando nos faltam em lealdade ou em honestidade sentimo-nos no mínimo traídos e até quase tristes connosco próprios porque não nos apercebemos do conto do vigário ou do que iria de facto acontecer. Porém, bater com a cabeça nas paredes, às vezes, é bem positivo porque faz crescer. É uma forma de encarar a vida, afirmar que tudo o que já aconteceu, fizeram de mim aquilo que sou hoje. Mas será que não há crescimento sem sofrimento? Não me parece justo que andem sempre de mãos dadas. Enfim.

Há amizades que podem não fazer parte do nosso dia-a-dia, mas a quem não deixamos de contar tudo o que nos aconteceu de bom como de mau, ou seja, que fazem parte de nós. Talvez por isso a desilusão seja maior quando se percebe que já pouco ou nada resta, além de um pacote de mentiras, conversas de circunstância, olhares envergonhados ou uma possível mudança de passeio. E quando assim é, quando nos apercebemos das desculpas no tom de voz das mensagens que não têm alma ou sentimentos, então é altura de seguir em frente…

O que supostamente deveria entrar na equação, é que de maneira nenhuma deveríamos permitir que isso voltasse a acontecer, independentemente do lado em que se está (da parte em que desilude ou da parte desiludida)… Supostamente.

28 de outubro de 2011

Ódio de estimação n.º 18


Tratar os filhos por você.
Ninguém tem nada a ver com a maneira como cada um interage com os filhos ou pais, o que não invalida que tenhamos uma opinião sobre o assunto. E confesso que me faz uma tremenda confusão quando oiço uma mãe ou um pai tratar os filhos pequenos (ou grandes, tanto faz) por "você".
Não percebo, a sério que não. Pois mesmo que me digam que significa respeito, já vi pessoal muito mal-criado e desrespeitador que trata os pais por você. Não será com certeza esse o factor principal...

27 de outubro de 2011

Cherry Vlaai

Não tenho parado de pensar na vlaai que comi no restaurante holandês em Monte Gordo... "Vlaai" é um tipo de tarte tipicamente holandesa e no tal restaurante foi servido com uma bola de gelado de baunilha, tal e qual como na imagem. Que delícia!

Ai meu Deus, afastai estes pensamentos pecaminosos de mim!!!

26 de outubro de 2011

Sou uma soberana tão fofinha que até dói!


Hoje, por acaso, fui inspeccionar as Estatísticas do blogue e devido a muita gente chegar ao Reino com a procura "imagens bonitas" ou "imagens engraçadas" ou ainda "imagens com citações", vou colocar aqui no facebook do Reino um álbum de fotos só com essas imagens fofinhas, ok?
Não têm que agradecer... LoLoLoL.

25 de outubro de 2011

Descubra as diferenças


Nas aulas do CIE falamos sobre tudo relacionado com a profissão de Enfermagem no R.U. e então estivemos a passar uma vista de olhos mais aprofundada pela carreira de um enfermeiro.
A carreira tem vários "grades" que é do género de escalões, tem para aí 10 grades ao contraste dos 2 escalões em Portugal. Mas querem saber da melhor? No fim da hierarquia estão os estudantes de Enfermagem... O que se depreende daqui?
Nós estudantes de Enfermagem de Portugal chegamos mesmo a pagar para estagiar enquanto que os estudantes de Enfermagem do R.U. recebem para estagiar, pode ser uma ninharia mas recebem, mais não seja para comer! Ok, vocês dizem-me: mas a nossa educação é melhor que a deles! Claro que sim. Ao menos isso, não é? No entanto, porque é que Enfermagem é o único curso que não paga nada ao estagiário?
Não digo isto para me fazer de coitadinha, mas é para terem a consciência da exigência deste curso e depois não há uma carreira, não há ordenado de um licenciado, não há contratos de trabalho mediante a exigência que nos foi requerida anteriormente.

Quando num estágio um enfermeiro disse mais a sério que a brincar que nós somos os escravos lá do sítio, não me parece que esteja errado.

P.S. - Depois de ver os vossos comentários começo a ficar mesmo assustada... Nenhum estagiário recebe?! Estamos mal, estamos mesmo mal.

24 de outubro de 2011

23 de outubro de 2011

Wishlist n.º 29


De momento a conjunctura não mo permite, no entanto, há já algum tempo que tenho uma grande vontade de comprar três sagas completas de três autoras diferentes: J.K. Rowling (grande fã, li tudo mas infelizmente não tenho os livros todos), Anne Rice e Jane Austen. Só que investir na nossa literacia em Portugal, infelizmente, sai caro...

22 de outubro de 2011

As minhas suspeitas


Recentemente, a Xinha forneceu-me uma informação que me deixou um tanto quanto escandalizada... Que idade é que vocês dão ao Jared Leto (vocalista dos 30 Seconds to Mars)? 20, 21 anos, talvez? Ora bem, este senhor vai fazer este ano, nem mais nem menos do que 40 anos!!!
Portanto elaborei uma teoria, ele só pode ter umas quantas veias vampirescas. Que tal? Não é nada rebuscado, totalmente plausível, certo? Porque ter 40 anos e ter este aspecto, não é normal! Não, não é! Quer dizer... A Monica Belluci continua a ser uma brasa aos 47 anos, no entanto, não aparenta ter 20!
Sobrenatural, é tudo o que eu tenho a dizer.