20 de agosto de 2018

The Graham Norton Show


Um dos meus programas favoritos desde que vim para o UK é este programa!

Em primeiro lugar adoro o Graham e se eu soubesse que ele apresenta todos os anos a Eurovisão, aqui no UK, eu já tinha começado a ver há muito mais tempo, LoL. O tom sarcástico e o sentido de humor é simplesmente brutal! Mas não é só por isso que adoro... o programa em si em termos de entrevistas a convidados é brutal pois não é o normal formato. Num episódio o Graham é capaz de dizer muito pouco e às vezes convidados falam entre si, trocando histórias, etc. Não se tornando aborrecido... aliás muitos vídeos do programa ficaram virais por isso mesmo.
No final do programa tem ainda a Red Chair! Que qualquer pessoa da plateia pode ir lá contar uma história. Se for boa, pode ir embora mas se for má, é virado ao contrário, LoL. E, meu Deus, as histórias que aparecem lá...

Aconselho-vos a ver um episódio, vão rir sem parar, LoL.

18 de agosto de 2018

To and through the heart



Run desire run
Sexual being
Run him like a blade
To and through the heart
No conscience
One Motive
Cater to the hollow

Screaming feed me here
Fill me up again
Temporarily pacify this hungering
So grow
Libido throw
Dominoes of indiscretions down
Falling all around
In cycles
In circles
Constantly consuming
Conquer and devour

Cause it's time to bring the fire down
Bridle all this indiscretion
Long enough to edify
And permanently fill this hollow

Screaming feed me here
Fill me up again
Temporarily pacifying

Feed me here
Fill me up again
Temporarily pacifying


Nota: Já vos tinha dito que A Perfect Circle é uma das minhas bandas favoritas?

16 de agosto de 2018

Dinossauros disfarçados de jovens, parte 2


Foi-me colocado este cenário pois ao que me parece, há milhões de anos pertenci ao Fórum ou Conselho de Veteranos da universidade... Longe estava eu de pensar que isto tinha acontecido mesmo. Tal como na parte 1, eu fico mesmo incrédula ao ver que este tipo de pensamento retrógrado ainda existe, principalmente em pessoal jovem!

Então o cenário foi o seguinte, havia duas pessoas que pediram ao Conselho para terem a autorização para em vez de comprarem o traje feminino, queriam comprar traje masculinho pois além de não se identificarem com o feminino, estavam já em transição.

A minha resposta foi: não importa o traje que compram desde que estejam bem trajados.

A resposta real do Conselho foi: se são mulheres têm que comprar e usar o traje feminino.


Há poucas coisas que me deixam sem palavras e este tipo de atitudes é uma delas…

14 de agosto de 2018

The Lux series: Oblivion



"If your ego gets any bigger, it'll need its own zip code."

Eu dou comigo a que de cada vez que estou encalhada em algum livro ou não sei o que ler a seguir, viro-me sempre para a senhora Jennifer Armentrout. E foi precisamente isso que aconteceu, dando por mim a ler o último livro da saga Lux da autora. 

Este livro é considerado o livro 1.5, ou seja, para melhor compreensão do mesmo, é melhor ler depois do primeiro livro e antes do segundo, se bem que eu acho que podia passar bem por um 2.5 pois tem bastantes partes do segundo e até partes do terceiro. Além disso são as mesmas cenas mas apenas em diferente POV (point of view), isto é, o livro em si é a visão do Daemon, o nosso alien favorito. E sim, tem partes hilariantes, LoL.
Eu adoro livros com diferentes POV. Aliás, na saga The Covenant, tenho que admitir que o meu livro favorito é o Elixir pois é a POV do Aiden (team Aiden forever). Portanto, pensei: eu vou adorar este livro!
O problema é que apesar de ter gostado da saga Lux, esta não é a minha saga favorita por isso sim foi engraçado ler certas passagens pelo POV do Daemon mas não estava fervorosa a ler. Contudo e porém, ao ler este livro e as menções que faz, senti muito mais curiosidade no novo livro que vai sair da saga sobre o Luc, uma outra personagem completamente secundária mas que levanta muitas questões. 

Por isso, se a intenção da senhora Armentrout era aguçar a nossa curiosidade para o novo livro ainda para sair, job well done!

12 de agosto de 2018

Leeds Castle



Desde que nos mudámos para o nosso número 2, que andámos a explorar a nova zona e nestas explorações descubrimos que a 10/15 minutos de nossa casa está o Castelo de Leeds.

A primeira visita fiz quando ainda estava grávida e na altura achei os bilhetes um bocadinho para o carotes, eram um bocadinho mais de 20 libras. Contudo, ao longo do tempo constatei que afinal o preço dos bilhetes até nem é assim tão mau pois ao se comprar, esse mesmo bilhete é válido um ano! Ou seja, durante um ano não se paga mais admissão. 
E vocês dizem: mas porque raios é que tu queres ir mais do que uma vez?

É que além do maravilhoso castelo, tem os imensos jardins em vários estilos, tem até um labirinto com uma gruta lindíssima no final, uma exposição de coleiras (sim, muito random eu sei mas é engraçado ver coleiras do século 18), exibição dos aviões Spitfires, uma falcoaria com exibições e depois ao longo do ano fazem eventos do género feiras medievais, um car show com carros clássicos e super carros, entre muitas outras coisas... por isso até vale a pena pagar o preço pois acabamos por ir muitas mais vezes pois para ver isto tudo não se consegue com apenas uma ida, LoL.

Aconselho vivamente uma visita a este castelo, mais não seja para aproveitar os maravilhosos jardins com um pic-nic.

10 de agosto de 2018

A banda sonora das Semanas Académicas

Quer ainda estejas na universidade, já te tenhas formado no ano passado ou há 7 anos como aqui a vossa Soberana (ó meu Deus, foi mesmo há tanto tempo?!)... há sempre bandas sonoras das Semanas Académicas!


Para quem foi a Semanas Académicas, como eu, no início do milénio (sim, não magoem as vossas cabeças a fazer contas, eu ia a Semanas Académicas bem antes de entrar na Universidade), vai concordar que uma presença habitual em todas, foram os Blasted Mechanism. Ainda antes do Gangnam Style, ainda antes do KPop, o pessoal universitário já ouvia música sem perceber nadinha das letras, LoL.


Calma... Obviamente que ia incluir o Quim Barreiros, esse grande Deus das Semanas Académicas! Eu acho que o pessoal até fica desiludido se por acaso ele não aparece em alguma, LoL.


Recentemente, a Ana Malhoa tem marcado presença em algumas Semanas Académicas. O que muito provavelmente o pessoal leva esse concerto para o gozo... Até ao momento em que ela canta a abertura do programa Super Bueréré. Aí o pessoal roça a loucura e cantam em plenos pulmões, LoL. O que é extremamente inteligente da parte dela pois o pessoal que costumava ver o programa dela ou está a acabar licenciaturas ou mestrados. Provavelmente o pessoal que está a começar agora, não se recorda deste programa, ahahah.


Menção honrosa: Fernando Alvim, claro... muitas das vezes a salvação para todo aquele pessoal que não gostava de nadinha no cartaz (tirando o sir Quim Barreiros, claro) pois podíamos ouvir Dartacão, Red Hot Chilli Peppers, Dragon Ball, Queen, etc. Brutalíssimo para cantar em plenos pulmões! E ficarmos assim meio burrinhos de como é que ainda nos lembramos de mais de metade das músicas, LoL.

8 de agosto de 2018

A saúde mental



Enquanto estive em Portugal e tinha mais pessoas que ficassem com o Príncipe... decidi marcar uma consulta de Psicologia.
Porquê?
Ora bem, quando estão com febre tomam medicação, quando dão um jeito vão ao osteopata/fisiatra, quando partes uma perna vais ao médico... então se a tua cabeça, a tua mente, não está bem porque é que temos a tendência a ignorar?
Eu não quis ignorar ou adiar e por essa mesma razão fui a uma consulta com um Psicólogo. 

O começo da consulta foi engraçado, não era necessário estar a procurar a razão que me levou ao consultório: eu queria saber se havia indícios de alguma depressão pós-parto ou se fiquei com alguns resquícios do baby  blues. Ou seja, o facto de eu saber o que me levava ali, facilitou no que eu esperava daquela consulta.
Então fiz um teste standardizado, falei sobre a minha gravidez, o parto, a amamentação, os primeiros tempos com o bebé, os baby blues e o que eu sentia...

O resultado da consulta foi um bocado de "food for thought" no que toca à minha personalidade e como ela afecta a minha maternidade. Com o diagnóstico de disforia, ele referiu que não há indícios de trauma ou depressão.

Excelentes notícias!