12 de janeiro de 2020

Sala de Cinema: The Matrix



Ora bem, todo o meu coração geek está a dar pulinhos enquanto estou a fazer a review desta trilogia. Só queria que vocês soubessem disso antes de começar, LoL.

Em primeiro lugar, vamos começar pela lista de pessoal envolvido. Como roteiristas e realizadores estão The Wachowski Brothers, que são ambas transgender. Depois como actores, temos todo um role de caras famosas, desde Keanu Reeves, Laurence Fishburne (imortalizando a personagem Morpheus), Hugo Weaving (que ainda hoje tentamos imitar a sua linha "Mr. Anderson"), Monica Belluci, etc. Apresentações feitas, vamos falar destes filmes!

Vamos por partes. Quero vocês tenham noção do furor que foi o primeiro filme desta trilogia. Foi lançado em 1999, que para quem se lembra, foi precisamente antes do millennium bug. Não sei se foi marketing ou se foi mero acaso o filme estar finalizado nesse ano mas se foi de propósito então foi golpada de génio.
Pois este filme, é um conto essencialmente de Ficção Científica, sobre a guerra da humanidade contra a sua própria criação, as máquinas e a inteligência artificial que evoluiu de tal ponto que se tornou a "espécie" dominante e vastamente superiores. Incluindo também algumas nuances mitológicas e teológicas, tornando-se assim bastante original.
Conhecemos então o Neo, um hacker, a quem lhe é dada a famosa escolha de dois comprimidos, levando-o para um caminho em que se junta com a resistência e entra numa luta épica contra as máquinas.

“You take the blue pill, the story ends, you wake up in your bed and believe whatever you want to believe. You take the red pill, you stay in Wonderland and I show you how deep the rabbit hole goes.”

Em estrutura, estilo e concepto, este filme foi um pioneiro. Marcou uma das primeiras vezes em que o estilo visual dos manga comics e anime, como Akira ou Ghost in the Shell, foi traduzido para filme live-action com sucesso! Com técnicas cinematográficas e coreografias brutais, tornando as sequências de acção simplesmente fantásticas e icónicas.
Não só ficámos com o queixo no chão enquanto o Neo se desviava das balas, como ficávamos a salivar por mais. Muita gente diz que os efeitos não são grande coisa mas pensem no que estava disponível na altura e apreciem o que estes filmes trouxeram para a evolução do cinema. São verdadeiramente incríveis!

Quanto ao segundo e o terceiro filme, na minha opinião já não são tão bons. Contudo, no segundo a personagem Trinity (uma personagem feminina) teve oportunidade para brilhar, o que era uma raridade na altura e as sequências dela a lutar, são simplesmente qualquer coisa!
O terceiro acabou por se tornar bastante previsível, porém acho que ficou bastante claro que os Wachowski Brothers deixaram um mega P.S. no final dos seus filmes, dizendo: párem um momento e pensem na vossa existência!

Ora bem, dito isto... como eu considero estes filmes bastante especiais, que tal eu deixar-vos umas curiosidades ou uns detalhes?

1 - O tom verde do filme e logo no início aquela cascada de caracteres, foi com intenção de ser parecido aos primeiros computadores monocromáticos. Ou seja, todas as cenas que se passam dentro da Matrix, têm a tonalidade verde (pois é uma realidade criada por computadores), enquanto que no "mundo real" a cor não tem essa tonalidade.
2 - Quando os Wachowski Brothers fizeram o pitching deste filme, eles mostraram precisamente o anime "Ghost in the Shell" e disseram que queriam fazer algo daquele género mas live-action. Daí várias cenas serem mesmo homenagens ao anime.
3 - Com certeza reparam que existem toda uma temática com espelhos. Frames espelhados ou através de espelhos... que chega ao detalhe do momento em que Morpheus oferece os dois comprimidos e a imagem de cada lente dos óculos é diferente pois são realidades diferentes! Mas toda esta temática dos espelhos é também incrivelmente captada na banda sonora!
4 - Há várias referências da religião cristã, uma delas é a Trinity (Holy Trinity/Divina Trindade) e no início é logo mencionado que o Neo é um Jesus Cristo.
5 - Contudo tem também referências a outras teologias, como por exemplo Morpheus é o deus grego do sono e dos sonhos e a oráculo é uma versão da deusa-oráculo Delphi (onde o motto dela aparece na casa da oráculo e tudo), entre outros.
6 - Sejamos sinceros, tudo que tenha artes marciais foi inspirado pelo Bruce Lee mas a verdade é que o coreógrafo das lutas quis mesmo homenagear este grande senhor do cinema nestes filmes. Não esquecendo numa das cenas de treino do Neo, onde aparece "Drunken Boxing" que é uma directa homenagem ao filme "Drunken Master" de Jackie Chan.
7 - Há toda uma menção de transgenders e identificação de género nos filmes pois quando os realizadores criaram The Matrix identificavam-se como Wachowski Brothers mas depois revelaram-se transgender.
8 - São mencionadas várias obras de diversos autores: "Simulacra and Simulation" de Jean Baudrillard (que o livro aparece logo no início do filme, que na verdade os Wachowski Brothers disseram a todo o elenco para ler); "Les Meditations Metaphysiques" de René Descartes (toda a filosofia da nossa vida ser na verdade uma grande ilusão); "Alice in Wonderland" de Lewis Carroll; "I Have No Mouth and I Must Scream" de Harlan Ellison; "Neuromancer" de William Gibson; obras de Immanuel Kant; entre muitos outros!


E vocês, já viram este filme? Se ainda não viram, vejam pelo menos o primeiro pois foi um grande marco do cinema! Para quem já tinha visto o filme... chegaram a reparar nestes detalhes todos?

5 comentários:

Anita On disse...

Também acompanhei o furor do primeiro filme... era o filme preferido de toda a gente naquela altura XD O primeiro é sem duvida o melhor mas também gostei dos outros. Tenho de fazer uma maratona, que há muita coisa que já não me lembro e, agora, fiquei com vontade de voltar a vê-los :)

Beijinhos*

Anita On

Ashes on the Ground disse...

Também gostei bem mais do primeiro em relação aos outros dois!

Beijinho

Andreia Morais disse...

Foram filmes que nunca me chamaram à atenção, confesso

Graça Pires disse...

Uma boa semana.
Beijo.

Green disse...

Bela escolha. Acho que o primeiro é sempre melhor, porque nos restantes ficamos sempre com demasiadas expetativas.