6 de fevereiro de 2010

O desespero

Nestes últimos dias arrebatou-se em mim um grande sentimento de impotência. Não sei se é pela impossibilidade de haver uma solução para este problema ou a falta de forças para conseguir achar uma.
Sou-vos sincera: não sei o que fazer. E estou a começar a sentir-me desesperada, por não conseguir pensar nalguma coisa que possa fazer ou até mesmo arranjar uma solução.
Mas será que há mesmo uma solução?
Será que há alguma coisa que eu possa dizer ou fazer para abrir os olhos a quem precisa? Será?
Porque é só isso que é preciso: abrir os olhos. Abrir os olhos à realidade que está mesmo debaixo do nariz mas que muitas vezes escolhemos não ver, ou por opção, ou porque nos dizem para não vermos.
Não sei o que fazer...
Depois sinto raiva e cólera para comigo mesma porque deveria ser capaz de pensar em algo! Mas já disse tudo e já fiz tudo. Que mais há para eu dizer e para eu fazer?
E é aqui que bate mesmo forte o sentimento de desespero. Ver uma pessoa que gosto tanto e que me tão querida, afundar-se desta maneira.
O que pensar? O que fazer?


Ás vezes, gostava de ser uma melhor amiga...

2 comentários:

Heartless disse...

Digas o que disseres, tu és uma excelente amiga e creio que ninguem o pode negar.

Há coisas que nem tu podes mudar. Não desesperes rapariga. Essa pessoa irá mudar quer queira quer não, mesmo que não se aperceba.

***

Afal disse...

Às vezes, os melhores amigos não são aqueles que têm sempre a palavra certa, mas aqueles que estão lá mesmo sem palavras. E tu és uma óptima amiga ******