17 de fevereiro de 2011

A nova geração



Sou da geração sem remuneração
e não me incomoda esta condição.
Que parva que eu sou!
Porque isto está mal e vai continuar,
já é uma sorte eu poder estagiar.
Que parva que eu sou!
E fico a pensar,
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar.

Sou da geração ‘casinha dos pais’,
se já tenho tudo, pra quê querer mais?
Que parva que eu sou
Filhos, maridos, estou sempre a adiar
e ainda me falta o carro pagar
Que parva que eu sou!
E fico a pensar,
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar.

Sou da geração ‘vou queixar-me pra quê?’
Há alguém bem pior do que eu na TV.
Que parva que eu sou!
Sou da geração ‘eu já não posso mais!’
que esta situação dura há tempo demais
E parva não sou!
E fico a pensar,
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar.


Nota: cada vez mais me identifico com esta geração... Mais uma vez, Deolinda no seu melhor!

8 comentários:

Heartless disse...

E não és a unica

BS of Life disse...

Adoro esta música!
E sou bem parva!!!

Nokas disse...

É a nossa realidade!

Inês disse...

Eu sou parva,e como eu há muitos parvos,mas não no esqueçamos dos parvos que se recusam a fazer alguma coisa que não está dentro da sua área de habilitações eu que não tem a remuneração pretendida.
É que também há muitos parvos desses,e o tempo de eu só trabalho acima de X,já lá vai há muito tempo...

Messias Daniel disse...

sou da geração coca cola
hj vivemos na geração isopor por causa desses salgadinhos que se come por ai

Lacorrilha disse...

Eu não a consigo ouvir, mas gosto da mensagem que passa a letra.

Sofia disse...

É a Geração "à Rasca"!
Beijinhos,
Sofia

vidaslife disse...

Interessante, gostei da letra. Beijinhos amiga.