13 de dezembro de 2011

Radicalidades


Tenho-me apercebido que sou uma pessoa extremamente radical para uma coisa/situação. Se por acaso me chateio com alguém ou se termina uma amizade, corto relações radicalmente ao mais alto nível!
Se desiludiu, desrespeitou ou traiu, então depois, da devida discussão, não há espaço para mais explicações. Não sei se este cortar radical é só mágoa ou apenas para me proteger…
Eu sei que em termos de amigos (porque de namorados, já falei) as pessoas podem encontrar-se, chegar a um novo entendimento, no entanto, a precaução e a suspeita estarão sempre lá. Ou seja, vamos estar sempre de pé atrás e eu não gosto de me sentir assim.
Sei que muita gente vai falar em segundas oportunidades, só que nestes termos (e acho que em muitos outros mas em especial neste) sou bastante paciente, por isso é difícil que a “mostarda me chegue ao nariz” de uma só vez! Na amizade (e consequentemente nos namoros) deve haver uma base: respeito e lealdade. Havendo algo que abale um desses pilares, a estrutura vai toda abaixo e se de facto se destrói, é difícil que essa estrutura volte a ser como era antes, daí a segunda oportunidade, muito provavelmente, vai fazer mais mal que bem.
A minha grande dúvida há tempos era saber se esta era a melhor atitude para eu tomar (apesar de que desde que sou gente que sou assim). Até que cheguei à conclusão que se estas pessoas, eu as considerava minhas amigas então conheciam-me minimamente para saber que tenho um limite e que não tolero certas coisas.
Por isso, que se foda… Continuarei a ser como sou!

22 comentários:

Blue star disse...

Acho que há 1 limite para as oportunidades que se podem dar, bem como para que as pessoas merecem.
Portanto, toma a atitude que melhor te assenta!
=)

* * *

Heartless disse...

Acho que deves ser tu própria e verdadeira para todas as tuas decisões.

Concordo contigo **

Palco do tempo disse...

temos de ser fies a nos próprias :)

Nokas disse...

Acredito em segundas oportunidades mas há limites para tudo...nem todos merecem!

Mim disse...

Sou constantemente criticado por ser assim. Mas entendo que quando nos abrimos numa relação, seja de amizade ou outra, se permitimos a outra pessoa que partilhe das nossas vidas, não pode haver lugar à traição.
Por isso o corte radical é a única solução que encontro.
Não consigo encarar uma pessoa que gorou as minhas expectativas, sem mágoa e desconfiança.

Jasmine disse...

partilho exactamente da mesma opinião que tu, se são meu amigos sabem que ao tomar uma determinada atitude me podem magoar mas se ainda assim a tomam ... opá, lamento mas mais vale arrumar de uma vez por todas. E não sou nada apologista das "segundas oportunidades" como se costuma dizer: quem faz uma, faz duas e faz três portanto mais vale cortar relações de vez para nosso próprio bem.

Silver disse...

Eu sou como tu. Como não acho que devo mudar, não vou ser hipócrita e dizer-te para o fazer. Continua! :)

aimee rose disse...

obrigada

KákáChi disse...

A minha personalidade é tentar esperar e ver se a pessoa merece mas é óbvio que fica sempre uma sensação de desconfiança e desilusão. Afinal de contas, se as pessoas nos conhecem, já sabem como iremos reagir e como vamos pensar. São capazes de evitar acabar com amizades ou namoros se reflectirem um pouco e se lembrarem das pessoas importantes.

(O teu desabafo vem de encontro ao meu no meu cantinho...)

Anónimo disse...

você falou nas 2ªs chances, mas dá pra ver você foi a 1ª a não dar.. pé atrás sim, mas você não pode esperar que tudo venha a seus pés... tem de lutar, tem de kerer, tem de procurar. senão mostra que você tb nunca foi amiga dessa pessoa. palavras de alguém que sabe do q fala, que ja passou igual. Bom Natal.

S* disse...

Há situações que merece uma ponderação especial mas acho que estás certo... ages com o coração!

Letícia* disse...

E fazes tu muito bem*

É complicado voltar a confiar, mas se for o caso e se a pessoa estiver realmente arrependida podemos tentar reconstruir amizade, será apenas um longo caminho até que esta permaneça intacta.

beijito*

Corina de Oliveira disse...

Caro Anónimo,

Se tivesse lido o texto inteiro teria lido o seguinte "Sei que muita gente vai falar em segundas oportunidades, só que nestes termos (e acho que em muitos outros mas em especial neste) sou bastante paciente, por isso é difícil que a “mostarda me chegue ao nariz” de uma só vez!" Ou seja, muitas das vezes não dou apenas segunda oportunidade, dou terceira, quarta...até a mostarda chegar ao nariz!

Melhores cumprimentos,

A Soberana

Soraia disse...

Há casos e casos. Mas se és assim tão paciente não mudes. Quem não gosta põe a borda do prato ahah

*Nightwish* disse...

Eu também sou assim. Não sou pessoa de dar segundas oportunidades quando vejo as primeiras desaproveitadas... Não digo que deixe de falar totalmente com as pessoas em questão, mas voltarmos a ser amigos como antes, isso nunca mais. Tanto com namorados como com amigos, quando há traição considero que o respeito e a lealdade foram comprometidos para sempre. Quem trai uma vez, trai sempre, não é uma coisa que "acontece"...
Bjs*

Vanessa G' disse...

Eu percebo o que escreveste...eu também sou assim :)

Wild Things disse...

É uma questão de feitios. Eu, por exemplo, dou as oportunidades que forem precisas e normalmente fodo-me sempre no fim..

Ana FVP disse...

CONCORDO... Mesmo!

(E não, por estas bandas não tenho rádio comercial! Lol)

Eve disse...

Respeito a tua decisão, acho que gostava de ter coragem de fazer isso. Nunca tive uma situação assim em que alguém tenha sido desleal ou me magoasse a este ponto, mas gosto de pensar que, dependendo dos estragos feitos, não daria segundas oportunidades.

Kveldulf disse...

Terei que concordar contigo porque há 28 anos que faço o mesmo!

O perdão, esse dá quem tem medo de ficar sozinho ou por aceitação social, se te estimas não dás perdão, penso um bocado assim !

Acho que estás no bom caminho !

Jasmim disse...

Eu concordo contigo mas acredito em segundas oportunidades, porque numa determinada situação me foi dada uma que mudou o rumo da minha vida. Por vezes as situações tem muitas "faces" e não são preto no branco. Mas se é um problema estrutural, que se repete, então aí sim, há que cortar o mal pela raíz. E fazes muito bem!

às 27h no meu blog disse...

Não pudia estar mais de acordo quando escreves-te "...daí a segunda oportunidade, muito provavelmente, vai fazer mais mal que bem."
É á pala de segundas oportunidades que ando a dar em maluca :S