20 de março de 2012

O primeiro dia

Ontem foi o nosso primeiro dia de “trabalho”! Vá, não foi bem trabalho porque ainda estamos em integração, ao que eles chamam de induction, que é completamente diferente da integração em Portugal pois é na verdade várias palestras dos mais variados assuntos do hospital, desde os Recursos Humanos passando pela Medicina Ocupacional até ao Suporte Básico de Vida.
Pensava eu que na integração estaria só o nosso grupo de enfermeiros portugueses (sim porque eu vim com um grupo de 20 pessoas) e pouco mais. Nem pensar, toda a gente que começa a trabalhar no hospital (desde o porteiro ao director clínico) passa por este tipo de integração, daí ter enchido completamente a sala de conferências do mais variado pessoal.
Tinha, além de toda a informação que eles iriam falar em packs distribuídos pelos lugares, disponível café, chá e chocolate quente, tudo à descrição, mas o que me chamou mesmo à atenção foi mesmo o chá que eu bebi e tinha um aspecto assim para o estranho, que é o normal aqui ter assim uma coloração assim para o turva contudo era bastante saboroso, do género o nosso chá preto mas a parecer água de esgoto, LoL.
Na apresentação da organização, além de enfatizarem o objectivo principal do hospital (give care and support with a smile), falaram também que a Medicina Ocupacional fornecia consultas (obviamente, gratuitas) de vigilância da pele por causa da lavagem consecutiva das mãos. Eu nunca ouvi falar de tal coisa em Portugal, daí ter ficado deveras surpreendida!

Hoje também tivemos palestas e demonstrações, fazendo os mini-cursos que eles consideram essenciais para poder-se trabalhar num hospital, que é um mini-curso de combate a incêndios (no hospital, claro), de suporte básico de vida, de gestão do risco… E digo-vos uma coisa, eu em 45 minutos do mini-curso de suporte básico de vida aprendi mais do que em 4 anos na Escolinha. Tinham bonecos realistas e ambus para todos experimentarem, para todos terem uma noção prévia de como fazer as coisas e acabei por gostar tanto que perguntei ao senhor que nos deu o mini-curso (que pertencia à unidade de ressuscitação do hospital) como poderíamos tirar um curso mais intensivo com certificado, ao qual ele me responde: quando eu quisesse, gratuitamente e depois de eu falar com o meu enfermeiro-chefe para ele me dar o dia necessário. Gratuito? Com certificado autenticado sobre o regime europeu? Estes ingleses são malucos… Eu vou estar constantemente a fazer cursos por este ritmo, LoL.

Assim na vertente mais pessoal, a adaptação está a correr melhor (pelo menos até agora), ainda estou nas residências temporárias mas avidamente à procura de casita e os ingleses já podem falar rápido que eu entendo-os perfeitamente, no entanto, se forem pessoas com um sotaque assim para o cerrado, a coisa muda de figura, tendo a pessoa que falar um pouco mais devagar para eu entender. Aliás, tivemos um caso prático ainda ontem, quando fomos buscar um take-away (muito usual no UK ir buscar comida, em alguns restaurantes é barato e como nós nem panelas temos, dá jeito para variar das belas das sandes) a um restaurante que tinham dois senhores a atender de sotaque bastante cerrado, enquanto estávamos à espera (porque eu tento aproveitar e falar com as pessoas, conhecer e essas coisas) pergunto de onde são e eles respondem-me que são ambos da Turquia. Meto-me com eles a dizer que eles nos tinham eliminado numa competição de futebol há uns anos e eles perguntaram-nos que dois portugueses faziam ali. Respondemos-lhe, com eles sempre espantados com o que dizíamos, que éramos enfermeiros, que não havia trabalho para nós em Portugal e que viemos tentar a nossa sorte para trabalhar. O senhor com o sotaque mais cerrado disse que conheciam vários portugueses e disse: “they are all nurses” (são todos enfermeiros). Só que com o sotaque cerrado percebemos “they are all nuts” (são todos malucos), LoLoLoL. Eu e o Mais-que-Tudo começamos logo a rir e eles, muito sérios, sem perceber a piada mas quando lhes explicámos o que tínhamos percebido também se fartaram de rir.
Fez-me pensar cá para mim, será que se nota assim tanto o meu sotaque? Com certeza terei algum sotaquezito mas queria que não fosse muito cerrado para me perceberem correctamente… Com certeza com o treino a coisa vai lá.

12 comentários:

O mundo de uma sonhadora disse...

Eu admito: estou com inveja!!
Adorei o logótipo deles "give care and support with a smile" (super fofo!) e adorei o facto de o senhor te dar o curso totalmente grátis! É uma grande oportunidade :D
Mas olha,fico mesmo contente que te estejas a dar bem e que estejas a gostar da experiência. Espero que continue assim boa! ^^

Beijinho* grande.

LOL aos 40 disse...

Olá,
tudo de bom para ti.
felicidades no teu trabalho!
Bjs
Fica bem

Patrícia disse...

Olha eu um dia também vou para esses lados! :)
Mas espero que tudo vos corra muito bem :)

ʝoana disse...

Ai rapariga, tu estás aí há pouco tempo e já te estás a preocupar com o sotaque? Exigente! ;)
Acredito que vás ter sucesso aí, afinal os enfermeiros licenciados em Portugal são profissionalmente bem "vistos" - não era bem esta a palavra, mas tu percebes! ;D

Good luck!

ʝoana disse...

Ai rapariga, tu estás aí há pouco tempo e já te estás a preocupar com o sotaque? Exigente! ;)
Acredito que vás ter sucesso aí, afinal os enfermeiros licenciados em Portugal são profissionalmente bem "vistos" - não era bem esta a palavra, mas tu percebes! ;D

Good luck!

Palco do tempo disse...

que corra tudo bem :)

Heartless disse...

Ainda bem que tudo está a correr bem. Depois diz-me quantos cursos desse genero fizeste (na integração). Aproveita esses cursos assim. Assim vale a pena se são grátis. beijos.

*Nightwish* disse...

Se também pudesse fazer desses mini-cursos grátis na minha área, estava sempre lá batida! Aproveita e não comeces já a desesperar por causa do sotaque, que ainda tens muito tempo para isso =P
Bjs*

Gaja Maria disse...

Ando a seguir atentamente a tua aventura. Admiro-te muito pela coragem e torço para que tudo dê certo. Bjinhos

enfermeiroUK disse...

Já cá estás no UK? Boa sorte! ;)

Vera, a Loira disse...

Ai... estou a adorar. Também queria ir trabalhar para outro pais. Ia fazer-me lindamente.

Candybabe disse...

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
Nada como trabalhar no primeiro mundo :D
Estive 1 mês em Londres, a minha sister foi aí operada, e digo-te que adorei senti-me em casa, na altura (em 1999) considerei em ir para aí trabalhar, mas depois comecei a namorar e nunca mais pus em prática o plano :D