2 de novembro de 2012

Por acaso não ia dizer nada mas...

...isto já me está a meter nojo.

Pois bem, eu só tomei conhecimento da carta para o Presidente da República feita pelo rapazito enfermeiro que decidiu emigrar, através do facebook. Li a carta, achei: ok, o rapaz está mesmo revoltado e esta foi a catarse dele. Tudo bem.
Depois pessoal em Portugal aconselhou-me a ver a entrevista televisiva que ele deu. Vi...  Em primeiro lugar, aquilo é uma procura de mediatismo tremenda, a forma como ele falou, fez de nós uns verdadeiros coitadinhos e nós de coitadinhos temos muito pouco pois estamos a receber o dobro e algumas vezes o triplo que iríamos receber em Portugal. Coitados são aqueles que ficam e têm que se sujeitar a trabalhos precários e receber uma ninharia, tudo isto porque há todo um empatamento político no nosso estatuto como licenciados e também porque a nossa Ordem só existe para receber quotas.
Em segundo lugar, os telejornais portugueses foram agora bombardeados com a súbita realização de que existe uma "fuga" de enfermeiros de Portugal. A sério? A emigração de enfermeiros não começou só agora, não começou com esse rapaz e nem sequer começou comigo! Tenho muitos colegas que estão cá há anos, eles vieram aos magotes há anos e só agora é que Portugal se apercebeu que existe emigração em Enfermagem? Não, as pessoas não são tão tapadas assim, o que demonstra que este "bombardeamento" é meramente político.

Após isto tudo, esta semana encontro na nossa copa do serviço um jornal inglês com uma notícia sobre precisamente esse moço, mencionando a carta, o descontentamento do moço em sair do país e falando na quantidade de enfermeiros estrangeiros o NHS tem (que por curiosidade são ao todo, 40%). Tive que tirar uma fotocópia pois não acreditava nos meus olhos... Acho que passa uma imagem péssima. 

Cheguei mesmo a falar com os meus colegas aqui, todos concordamos que estão à procura de sensacionalismo numa coisa que já acontece há muito tempo e que não somos definitivamente coitadinhos nenhuns. Sim, a parte financeira não é tudo mas saindo do país tens oportunidade de ter uma carreira (coisa que não existe em Portugal nem que tenhas 20 anos de experiência ou uma especialidade) e sim, há saudades mas gerem-se. Se eu, que sou do norte do país se fosse trabalhar para o Algarve, podem ter a certeza que com o que ia ganhar não me ia dar para ir a casa nem uma vez por mês, enquanto que eu estando aqui, estou a 2 horas de Portugal, consigo ir a casa (se eu quiser) uma vez por mês e isto é apenas um exemplo.

Concluindo, em vez de pedirem satisfações ao Primeiro Ministro ou ao Presidente da República porque é que não pedem satisfações à Ordem dos Enfermeiros que está muito comodamente a receber quotas, quer se esteja a trabalhar ou não, e não se mexe para preservar (quiçá elevar mas não se pode pedir tudo) a nossa classe?

27 comentários:

aNaMartins disse...

aplaudido Corina! bem dito..

offigsandpears disse...

A sério Corina, quem viu os telejornais e leu as notícias sobre o mocinho e a dita carta deve ter ficado mesmo a pensar que foi neste belo ano de 2012 que se deu o boom de enfermeiros portugueses a terem que emigrar para o Reino Unido. Todo o mediatismo foi quase para vomitar. Já não havia pachorra.
E olha que a carta que ele escreveu... Sou de opinião que só serviu para atiçar mais o sensacionalismo.
E, só para acabar o comentário, há anos que ouço dizer que o Reino Unido sempre teve falta de enfermeiros. É uma coisa que nunca me souberam explicar porque acontece, mas que se vem a confirmar porque continuam a pedir enfermeiros.

Saturnine

Corina de Oliveira disse...

"offigsandpears" a falta de enfermeiros no UK tem explicação, apenas não é um curso procurado por jovens e eles como recebem enfermeiros do estrangeiro também não se preocupam muito em incentivar os jovens a ir para o curso... tão simples como isso xD

offigsandpears disse...

Bem, tinha uma teoria sobre isso que andava sobre essas linhas. :)
O que leva de volta à questão do porquê de tanto barulho à volta de uma coisa que já tem vindo a acontecer, que não é de agora. Agora há a crise e o desemprego tem vindo a aumentar. Então juntaram tudo no mesmo saco. E por causa de uma carta?
E tens razão, ninguém "se lembra" de ir pedir satisfações à Ordem. Pelo menos, nas várias notícias que vi, ninguém mencionou a Ordem dos Enfermeiros. Era a carta e depois a despedida deles no aeroporto. Enfim...

Saturnine

offigsandpears disse...

Já viste o que era se, de cada vez que um grupo de enfermeiros partisse para o UK, as televisões portuguesas fizessem reportagens? x_x

Saturnine

Corina de Oliveira disse...

Adorei, é mesmo isso! Vou ter que partilhar ;)

Bani ♥ disse...

Muito bem! Trata-se mesmo de sensacionalismo, mas afinal é isso que vende e é isso que as pessoas querem! Está na moda falar da emigração dos jovens e da crise. E claro, há aqueles que aproveitam o mediatismo que os media estão a fazer desta nova onda de emigração.
claro que sempre houve emigração, de enfermeiros e outras profissões, mas agora é o momento de se falar e dar importância devido ao nosso contexto económico e social.
Em relação à Ordem dos Enfermeiros desconheço por completo a situação.
Concordo ainda quando os media fazem passar a imagem de coitadinhos, mas não é só culpa deles. A culpa vem muitas vezes da maioria dos portugueses que tem a mania de ser o coitadinho e vive pegado ao "fado". Nem todos são assim e são esses que emigram, que têm vontade de ter algo melhor. Se é que me faça entender.
só sei que constantemente sou bombardeada com jovens que emigram e depois de ouvir os seus depoimentos, como o teu, que me dá mais vontade de sair de Portugal. Infelizmente é assim que tem de ser.


Off topic

Graças a ti e ao Guilherme que contribuíram para a minha reportagem consegui tirar uma boa nota :)

ʝoana disse...

Já vi essa carta e achei exactamente o mesmo. Quem não esteja dentro do assunto, só mesmo enfermeiros o estarão, fica com uma ideia totalmente errada.
As coisas por cá estão mal, sim senhora, mas há coisa que eu acho que falta a muitos de nós: pensar global e assim que o ministro o referiu uma vez caiu-lhe tudo em cima (ainda que ele como ministro não o deva fazer).
Até eu que não prevejo um futuro tão pobre a nível de ofertas de emprego na minha área penso e muito em sair de Portugal, exactamente porque procuro carreira e não somente um come-pão como muitos pensam por aqui "Já é bom teres emprego" dizem. Sim, é verdade. Mas não estudamos para nos contentarmos com somente isso e muitas vezes ficamos depois mal vistos por ambicionarmos mais... Enfim, não sei se partilhas da mesma opinião, mas aqui fica o meu testemunho. :)

Um outro ponto muito importante é que para sair de Portugal é preciso coragem. Ainda que ganhemos independência financeira perdemos o conforto do lar e olha que muitos colegas meus de secundário que optaram por cursos sem perspectivas de emprego por cá continuam simplesmente a enviar currículos e a culpar o governo, pensando no quão coitadinhos são. Daí te admirar pela vontade de ser diferente. :)

Eis, Corina, grande comentário, pá!
Comento pouco, mas quando me dá para isso... olha só?!

S* disse...

Tenho pena de quem emigra por falta de alternativa, mas caramba, também escusam de exagerar.

Breaking disse...

Gostei muito da tua apreciação à situação, tanto mais por seres da área. Já tinha ouvido falar do "festival" à volta da partida deste rapazito e achei como diz o outro que não havia necessidade. Na minha opinião o rapaz gosta de protagonismo.
Cada pessoa tem a sua história, para uns foi mais fácil chegar para outros nem tanto. Para mim vir com emprego organizado é meio caminho andado. Não é fácil, claro que não, mas chegar cá sem emprego e começar do zero é sem dúvida nenhuma uma experiência e tanto.
Até parece que é uma novidade os portugueses emigrarem. Teremos com certeza características diferentes mas não somos nem seremos os últimos a fazê-lo...

Vicky disse...

Grande Post! Concordo 100% contigo!

C* disse...

Olá :)

Não sou enfermeira, mas técnica de medicina nuclear, no entanto a realidade em termos de empregabilidade é semelhante. Achei patética toda a situação. Primeiro ele não é o primeiro nem o último. Segundo, sorte tem ele por ter tido a oportunidade de tirar um curso superior que lhe permite ser emigrante com algum conforto (ao contrário de muitos que mesmo com curso superior nem emigrando têm solução para trabalhar na área de formação). A mim o que me "revoltou" mais foi todo o espectáculo da despedida no aeroporto. Eu já estive fora de portugal (em erasmus) 3 meses sem visita de familiares, sei bem o que custa a despedida no aeroporto e não é, de todo, um momento para se partilhar.E no próximo ano irei para Londres (ainda nos vamos conhecer :p) com bilhete só de ida e não vou fazer pé de vento por causa disso.E quanto à carta, acho que podia ter enviado na mesma sem ter de a partilhar com tudo e todos.Acho que ele acabou por ridicularizar a situação.
Por tudo isto concordo a 200% contigo.
Beijinhos

Jwana disse...

Eh pah... mto bem escrito! Avé! :)

Ana disse...

Concordo inteiramente! E, respondendo à tua pergunta, vivo no UK sim, já há mais de um ano :)

Ana disse...

Compreendo-te bem, sinto exactamente o mesmo! ;)

Ana disse...

Moro em Londres, e sou da área de Música!

Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kelinha disse...

Por cá o frio ainda se aguenta, mas adoro neve.
Gostei mt do teu blog, será que nos podemos seguir?*

Kelinha disse...

Então já sigo. E como planeio ir a Londres em breve, assim já sei a quem recorrer para dicas :D
SE quiseres segue-me tb. Beijinho

Nobre Sandra disse...

Concordo contigo, não é uma boa imagem realmente.

http://nobresonho.blogspot.pt/

Marta Martins ♥ disse...

GOSTO DO BLOG, ESTOU A SEGUIR!

O Blog da S. disse...

Também achei uma fantuchada!

Pretty in Pink disse...

Ora agora é que a disseste toda! Há muitas coisas que já acontecem à anooos (crise, emigração etc etc) e agora é que se lembraram delas...

Beijinho*

Ana disse...

Sim, estou-me a dar bastante bem! Claro que nem tudo são rosas e que, de vez em quando, me sinto sem chão. Mas acho que faz parte de toda a experiência de viver fora do país de origem. Estou muito feliz por ter tomado a decisão de vir para cá, não me arrependo nem por um segundo! Foi o melhor que podia ter feito.. E simplesmente adoro Inglaterra :) Quero conhecer mais!

E tu? Pelo que leio, parece-me que também estás a gostar, mas gostava de saber a tua impressão geral. Viemos ambas para cá mais ou menos ao mesmo tempo! :)

Katia disse...

um dia alguém iria utilizar esta fase para ter os seus 5 minutos de fama. nada mais que isso.
Sorte a dele que conseguiu trabalho lá fora, e na área dele. Eu se pudesse fazia o mesmo
Bjs*

Devaneios de Uma Loira disse...

excelente post ;) concordo 200%..bjinhos

Nadine disse...

Olá!

O meu nome é Nadine. Encontrei o teu blog enquanto andava aqui a deambular pela internet à procura de informações e testemunhos de pessoas que vivem e trabalham como enfermeiros no RU. Também sou enfermeira e estou tentada a emigrar para aí. Apesar de me encontrar a exercer na área não estou satisfeita nem realizada. Já perguntei a algumas agencias de recrutamento, mas dizem-me que a melhor forma de começar é através de um hospital. Eu gosto muito da área de centro de saúde e também a nível de clínicas médicas. Sabes-me dizer como funciona aí e se seria fácil encontrar emprego para essas instituições? Obrigada desde já pela atenção. Continua o bom trabalho. Tens mais uma seguidora.