30 de maio de 2014

A histeria do Kindle


Aquele momento em que quase salto paredes de felicidade, quando descubro uma maneira de ter livros gratuitos no meu maravilhoso Kindle, ficando assim com uma biblioteca de mais de 500 livros para ler...
Obrigada Arkangelicus, pela dica! 

Aproveito também para fazer um post sobre as perguntas mais frequentes quando digo que tenho um Kindle.

Como já devem ter percebido, o Kindle é um e-reader ou leitor electrónico e independentemente do que eu diga aqui, nada vai mudar a importância dos livros tradicionais. Aliás, eu era uma das pessoas mais renitentes a aderir a este gadget, no entanto, após o Kindle me ter vindo parar às mãos, nunca mais o consegui largar! 

Uma das perguntas mais frequentes é o modo de leitura, porque os olhos ficam cansados, não podes ler enquanto está sol directo, etc. Contudo, o Kindle tem a tecnologia E-Ink Display, que faz com que o ecrã seja completamente diferente dos LCD displays dos tablets e telemóveis, fazendo com que o texto seja lido apenas com luz exterior e podendo também ser lido com luz directa, tal e qual como um livro normal. O Kindle que eu tenho que é a versão Paperwhite, introduz uma luminosidade directamente para o ecrã, ao contrário do resto dos gadgets do mercado que a luz provém atrás do ecrã. Podendo assim a pessoa ajustar a luminosidade conforme a luz do seu meio ambiente em que se encontra para que não possua reflexos e não se force a vista. Além de que dá para ajustar o tamanho de letra, o que não dá para fazer num livro tradicional… 

Uma das grandes vantagens de um Kindle é a leveza do aparelho. Pois imaginem andar com um calhamaço do género Game of Thrones na vossa carteira ou mala! Em vez disso, andas com um aparelho do tamanho e peso de um caderno A5. Outra das perguntas mais frequentes é a bateria, porque eventualmente alguém irá dizer: os livros tradicionais não precisam de ser carregados. Totalmente verdade, contudo a bateria de um Kindle dura um mês! 

Claro que depois o Kindle tem aquelas funcionalidades todas xpto, do género, podes adicionar notas, marcadores, tem informações no rodapé de percentagem já lida e guarda sempre o local onde se parou a leitura. Além disso tem uma funcionalidade que me ajudou (e ainda ajuda) quando comecei a ler mais intensivamente em inglês pois o Kindle tem vários dicionários integrados, por isso se eu não souber o significado de uma palavra, basta clicar nela que me aparece me aparece instantaneamente uma definição da mesma.

Como qualquer gadget, o Kindle também tem memória e pode parecer que 2 gigas de espaço não dá para quase nada mas, na verdade, isso dá para quase 2000 livros! Infelizmente não tem a possibilidade de se poder expandir a memória, contudo acho que mais de mil livros é capaz de ser suficiente, LoL. E é precisamente isso que eu mais gosto do Kindle, os meus livros andam sempre comigo, ou seja, eu nunca fico sem um livro para ler. Vou de férias, levo o Kindle e é como se levasse uma mala só para os meus livros! 

Isto leva-me a outra enormíssima vantagem de ter um Kindle. Já tinha mencionado ao longo do tempo e quando comprei este gadget que os preços dos livros são bastante inferiores aos dos preços dos livros tradicionais, já para não falar dos livros em Portugal! Além claro de ter feito a descoberta do download gratuito de livros electrónicos, que faz com que agora tenha uma verdadeira biblioteca no meu Kindle.

Acho que dá para perceber que para esta leitora compulsiva, o Kindle foi a melhor coisinha que podia ter comprado! Claro que os livros tradicionais terão um lugar especial no meu coração mas agora não vou a lado nenhum sem o meu maravilhoso Kindle...

28 de maio de 2014

Kareena Kapoor


Ora bem, uma das coisas que mais gostei quando vim para o UK, é que deixei de corrigir as pessoas quando tentam dizer o meu nome. O que foi extremamente refrescante tendo em conta as sagas que já passei por ter um nome fora do comum na cultura portuguesa...

No entanto, já desde o início que tinha reparado que os indianos adoptavam o nome "Kareena" em vez de Corina, fosse cirurgiões, enfermeiros ou auxiliares. Pensei assim, o nome deve existir na Índia por isso não liguei muito. Até ao dia em que uma cirurgiã indiana, que quando me apresentei me pergunta "Kareena? Como Kareena Kapoor? "

Portanto, havia realmente toda uma razão! Pelos vistos existe uma actriz muito famosa na Índia chamada de Kareena Kapoor, depois quando procurei por fotografias achei que não devia ficar de todo chateada por se enganarem no meu nome... LoL

26 de maio de 2014

As surpresas em Londres


É por isto que eu não me conseguia separar de Londres... Num recanto bem escondido, encontram-se surpresas lindas! 

Qual era a cidade em Portugal que tinha algo assim?

24 de maio de 2014

Science Museum & TOPT



Ontem foi dia de laurear a pevide, então fui a Londres com uma amiga e foi definitivamente o dia dos museus! Fomos ao The Old Operating Theatre, que nunca desilude... E depois fomos a um dos museus que está na minha to-do list: o Science Museum. 


O museu é assim algo de extraordinário, desde a evolução da indústria, descoberta do espaço, os diferentes tipos de evolução nos transportes, psicologia do nosso ser e o futuro, o que é que nos está reservado.
Achei fantástico e fiquei ainda com mais vontade de ver o resto dos museus da minha lista!

22 de maio de 2014

The Inheritance Cycle


Já andava há algum tempo para escrever qualquer coisa sobre uma das minhas sagas favoritas. The Inheritance Cycle, escrita por Christopher Paolini foi assim uma das sagas que comecei a ler e não consegui parar. Os livros são enormes, mas a escrita é bastante cativante e fluída, por isso não dá vontade de pousar os livros de todo!
Quando me pedem para explicar esta saga a melhor explicação que me vem à cabeça geralmente é que estes livros são um junção de Harry Potter e The Lord of The Rings, com uma queda forte para os dragões obviamente. A única coisa que não gostei foi mesmo o fim que parece ter sido assim um bocado atabalhoado e forçado, ficamos com aquela sensação de que falta qualquer coisa.
Mas leiam e se já leram esta saga, digam de vossa justiça!

20 de maio de 2014

16 de maio de 2014

Definitely


Não posso ficar um minuto sozinha nos vestiários no Westfield que dá nisto, LoL.

14 de maio de 2014

On a string


I've got the world on a string
I'm sitting on a rainbow
Got the string around my finger
What a world, what a life, I'm in love

I've got a song that I sing
I can make the rain go
Anytime I move my finger
Lucky me, can't you see, I'm in love

Life's a wonderful thing
As long as, I hang on to the string
I'd be a silly so and so
If I should ever let it go
(You didn't go, don't you know, you can never let go)

Got the world on a string
Sittin' on a rainbow
Got the string around my finger
What a world, what a life, I'm in love

Life's a wonderful thing
(Life is a wonderful thing)
Long as I hang on to the string
I'd be a silly so and so
(I'd be a silly so and so)
If I should ever let it go
(Let go, let it go)

I've got the world on a string
(And I've sitting on a rainbow)
Got that string around my finger
What a world
(What a world)
There ain't no other world like
(There ain't no public life)
Hey no

12 de maio de 2014

Eurovision


Foi a pura da loucura ontem no trabalho, após a final do festival Eurovisão. Aqui no UK eles até ligam bastante à Eurovisão, algo relacionado com os comentadores que são de chorar de tanto rir. Eu por mim sabendo que infelizmente a nossa actuação não era a melhor, nem sequer me interessei mas depois de ontem tive que descobrir quem é o tão falado vencedor: Tom Neuwirth, aliás Conchita Wurst, “a senhora de barba”, venceu a 59.ª edição do Festival Eurovisão, dando à Áustria a sua segunda vitória na competição.

8 de maio de 2014

Black Dagger Brotherhood series: The King


Saiu em Abril e eu tive que ler logo, logo! É o último livro da saga BlackDagger Brotherhood da J.R. Ward. As personagens em destaque são as minhas favoritas por isso estava bastante ansiosa por ler mais sobre a sua história... Apesar de ter gostado de como acabou, achei que estava um bocadinho previsível.
Agora é esperar pelo próximo livro e ver quem irá estar em destaque!

6 de maio de 2014

O início


Tenho vários colegas portugueses a começar de momento no meu serviço e vejo-me a recordar o "meu" início.
Quanto no início me diziam "spend a penny" e ainda pensava que significava ir gastar qualquer coisinha à cantina do hospital, quando afinal significa ir à casa-de-banho. Ou que na hierarquia, a minha chefe é minha "sister"...
Talvez o maior choque não seja os colóquios nativos mas sim a sua cultura, no que toca ao sistema de saúde pois aqui, há uma imensa importância dada ao consentimento informado e esclarecido pelo doente. Sim, não é apenas em teoria ou subentendido como em Portugal, aqui existe mesmo! Tal como o doente toma todas as decisões sobre a sua saúde, sobre a medicação que toma ou deixa de tomar ou até mesmo aceitar ou recusar uma cirurgia. Dignidade acima de tudo!
Claro que tem coisas más também, se o UK fosse perfeito toda a gente vivia aqui mas é interessante ver pessoas novas a notar nestas pequenas (grandes) coisas.
No entanto, o que lhes digo, tal como digo a qualquer pessoa que me contacta através do blog, o domínio da língua vem com o tempo. Principalmente, o discurso vai sair muito mais fluído quando deixarem de pensar em português e começar a pensar em inglês... Pode parecer um bocado estúpida para pessoas que estão de fora mas para quem já cá está, percebe perfeitamente o que estou a dizer.

4 de maio de 2014

Mãe


Hoje é o dia da Mãe, um dia especial, um dia de família e para nós... um dia da Máfia!

2 de maio de 2014

Porque isto não é só trabalhar...


... e sabe tão bem ir passear com amigas. Principalmente, quando se encontra o Holland Park completamente florido com um mar de tulipas!