30 de janeiro de 2015

As falsas saudades



Odeio pessoal que diz que está com saudades mas não move um dedo para me procurar...

28 de janeiro de 2015

The Breakfast Club


Vocês não sabem o que é bom até irem a um The Breakfast Club! A comida é de tudo o que é pequeno-almoço e, além de um verdadeiro pecado, é simplesmente delicioso. Há vários em Londres e normalmente sempre com uma lista de espera, um conselho é não irem em grupos muito grandes pois assim é mais fácil arranjarem mesa.

Já conheciam? 

26 de janeiro de 2015

A publicidade no UK


Já devo ter mencionado qualquer coisa relativamente às diferenças entre a publicidade na televisão portuguesa e a inglesa. Mas um grande e excelente exemplo da grande diferença entre as duas é mesmo esta publicidade deste site. 
Simplesmente brutal! 

24 de janeiro de 2015

Cesarianas, o editorial


Depois do post de ontem sobre os momentos caricatos, apercebi-me que há umas quantas dúvidas no que toca às cesarianas.

Em primeiro lugar, os pais e as mães não vêem nada. Não há cá ver sangue e órgãos, a única coisa que vêem é mesmo um painel azul (que são os nossos campos estéreis). O que fazemos quando o bebé já está definitivamente cá fora, geralmente, é mostrar o bebé, ao qual eu chamo de momento "Rei Leão". Qual Rafiki a levantar o Simba na colina, os pais ainda vêem o bebé assim cheio de nhãnhã (que é para não começar a debitar termos técnicos) e com o cordão umbilical, geralmente os pais ficam super felizes mas houve um pai que uma vez disse: "então ele vem todo sujinho?" (respondi-lhe que a culpa era da mulher dele que não tinha feito a limpeza mensal, LoL)

Em segundo lugar, os pais podem e devem estar presentes na cesariana. Não sei como é em Portugal mas aqui no UK são imensamente encorajados a estarem presentes e se por alguma razão o pai não pode estar presente, outro membro familiar pode estar com as mães. A única situação em que ninguém está presente é quando a mãe tem que levar com anestesia geral (porque em situações "normais" levam com uma anestesia nas costas), quando isso acontece é porque o cenário é mesmo negro.
Contudo, gostaria de acrescentar que em muitos casos os pais são fantásticos e ajudam a acalmar as mães que estão imensamente nervosas. Não são de todo uns inúteis, vá.

Em terceiro lugar, se eu pudesse tirar fotos ou filmar não acham que já o tinha feito?! LoL. Naaa! Há que manter o respeito... e porque seria processada com certeza.

22 de janeiro de 2015

Cesarianas


Uma das especialidades que faço no Bloco Operatório é Obstetrícia, ou seja, maioritariamente cesarianas. Como já vos tinha dito a minha especialidade favorita é mesmo Ortopedia e Traumatologia mas eu até gosto de fazer Obstetrícia de Emergência. 
Contudo, seja de emergência ou electiva, a parte mais divertida de uma cesariana, é mesmo ver a cara de zombie dos homens, LoL.

Já tive de tudo um pouco desde lágrimas a desmaios mas a cara deles é... priceless!

20 de janeiro de 2015

Romances


Assim resumindo o porquê de as mulheres gostarem de ler ou ver romances… 

Simplesmente porque gostávamos de ser alvos de um rapaz que virou homem, de tanto ter batido com os cornos na parede com raparigas que não valiam a pena de tão superficiais que eram ou de simplesmente de as usar. Apercebendo-se, finalmente, que preferem alguém que tenha substância, que seja linda por dentro e por fora, sentindo que mesmo as suas imperfeições são a parte mais bonita dela pois é o que a torna diferente de todas as outras (mesmo quando essas imperfeições o deixam frustrado como tudo).

Mais coisa, menos coisa... é isto.

18 de janeiro de 2015

The British Library


Neste fim-de-semana fui com as minhas meninas a uma exposição que vi o poster por acaso enquanto andava no metro mas que me chamou logo à atenção: Terror and Wonder, The Gothic Imagination.
A exposição está a decorrer na British Library e relata os 250 anos da tradição do fantástico, macabro e folclore. Desde o manuscrito de "Frankenstein", a trabalhos de Bram Stoker, William Blake, Hitchock, uma exposição de Alexander McQueen e ainda tinha lá pelo meio um kit de sobrevivência contra os vampiros, LoL.
Eu que adoro todo e qualquer tipo de folclore, esta exposição era mesmo para mim! Além de identificar os diferentes folclores (europeu, asiático, americano, etc), mostrava o desenvolvimento da narrativa ao longo dos tempos e como se transformava com o passar dos tempos. Encheu-me das medidas. Adorei, mesmo!

Fear is a deeply perceptive barometer of a culture at any one time, and it is an emotion that seems to fuel much of our media discourse today. We frame our society in terms of what we fear most, and it is in this way that the Gothic genre plunges far beyond special effects, shock and gore, and intricate aesthetic details.

Enter if you dare...

16 de janeiro de 2015

The Devil Wears Prada




Só porque o Pedro P. me meteu no mesmo saco que as Fashion Bloggers, achei por bem corrigir que não é saco mas sim carteira... e, no meu caso, Prada!

14 de janeiro de 2015

TAG - O Meu Gosto Musical

Obrigada à Tim por esta fantástica TAG! Ora aqui vai disto...

1. Qual o teu estilo musical preferido?
Eu ouço de tudo um pouco, dependendo do meu estado de espírito mas o meu estilo preferido é definitivamente um estilo mais "alternativo".

2. Qual o teu cantor ou banda preferido?
Não consigo, LoL... Eu pensei, repensei e não me consigo decidir por apenas um, por isso vou modificar esta pergunta para "qual é o teu top5", não necessariamente numa ordem são: Anathema, Tool/A Perfect Circle, Foo Fighters, Alter Bridge, Russian Circles.

3. Qual o estilo musical que menos gostas?
Não consigo ouvir Rap/Hip Hop. Juro que já tentei mas não consigo.

4. Uma música que te faz chorar.
Até tenho duas! Dos Anathema, a música "One last goodbye" e a "Universal".

5. Uma música que marcou um momento na tua vida.
Dos Radiohead, a música "Creep". Uma lembrança de que it's ok to be different, just be yourself.

6. Qual é a música que andas a ouvir muito ultimamente?
Definitivamente a "All about that bass" da Meghan Trainor (sim, eu também ouço o que passa na rádio). Por simplesmente me faz sentir feliz de ter uns quilinhos a mais depois das festas, LoL.

7. Três artistas que gostarias de ver ao vivo?
Foo Fighters (teria a possibilidade de riscar este nome se os bilhetes não se tivessem evaporado), Russian Circles (possivelmente em Abril trato disso) e A Perfect Circle (não me parece que tão cedo isso aconteça).

8. A música que lembra a tua infância.
Da infância: "Ele é o rei" dos Onda Choc. Da pré-adolescência: "Stop" das Spice Girls. E da adolescência: "Bohemian Like You" dos The Dandy Warhols.

9. Uma música que melhora o teu humor.
Acho que esta música foi assim algo que entrou na vida de muita gente e tão cedo não deixará de ser significado de felicidade, de Pharrel Williams a música "Happy". Mas uma que significa boa disposição é a "Feeling Good", tanto a original da Nina Simone como a cover dos Muse.

10. O teu filme favorito em música de banda sonora?
Sem dúvida um dos filmes com melhor banda sonora é mesmo o "Sucker Punch".

11. Que tipo de música gostas de ouvir quando estás triste?
Se estou mesmo triste gosto de ouvir blues ou se quero contrariar meto uma lista de dance music.

12. Em que momento ouves mais música?
Definitivamente quando vou andar na rua ou vou a qualquer lado e estou sozinha. O meu nano está sempre comigo e sempre actualizado! Mas de momento, porque obviamente isto aqui não são só passeios, ouço sempre música quando estou no autocarro a ir e a vir do trabalho, do género como preparação e conclusão do dia.

13. Que música gostas de cantar em voz alta?
Eu não gosto muito de cantar porque não tenho melodia nenhuma e não me lembro das letras todas, LoL. Depende sempre do estado de espírito mas uma que gosto de cantarolar é "Rocks" dos Imagine Dragons.


Agora há que fazer TAG a 13 pessoas mas mesmo que não estejam na selecção se faz favor de pegarem no desafio para os vossos cantinhos!

12 de janeiro de 2015

It's never too late



Think for yourself you know what you need in this life
See for yourself and feel your soul come alive tonight
Here in the moment we share, trembling between the worlds we stare
Out at starlight enshrined, veiled like diamonds in...

...time can be the answer, take a chance or lose it all
It's a simple mistake to make to create love and to fall
So rise, be your master, you don't need to be a slave
Of memory ensnared in a web, in a cage

I have found my way to fly free from constraints of time
I have soared through the sky seen life far below in mind
Breathed in truth, love, serene, sailed on oceans of belief
Searched and found life inside, we're not just a moment in...

...time can be the answer, take a chance or lose it all
It's a simple mistake to make to create love and to fall
So rise and be your master, you don't need to be a slave
Of memory ensnared in a web, in a cage
In a web, in a cage
In a web, in a cage
In a web, in a cage

It's never too late


Nota: mais uma vez, Anathema e acreditem ouvir esta música ao vivo é simplesmente qualquer coisa!

10 de janeiro de 2015

Moonchild


Comprei dois colares na Moonchild e só tenho a dizer maravilhas... Já andava à procura de colares com cristais/pendentes há algum tempo  e não só encontrei na Moonchild como pude escolher tudo a respeito do colar, desde pendentes ao tipo de corrente!
Faz entregas por todo o Portugal e ainda no estrangeiro. Dêem uma vista de olhos, eheheh.

8 de janeiro de 2015

Marked Men series: Nash & Rowdy


"Trying to love yourself, to know your own value and worth, is something I think a lot young girls struggle with and that can definitely flow into adulthood. We all have things that set us apart, make us special, make us who we are, and I would love to see those things celebrated and enjoyed across the board.
Let that freak flag fly! (Or whatever equivalent you have.)" -
Nash
“My home is a little more complicated than coordinates on a map.” - Rowdy

Estes dois livros são a continuação da saga Marked Men da autora J. Crownover e como já tinha mencionado, tenho mixed feelings com esta colecção. Porque apesar de ter pontos extremamente originais e algumas surpresas, continua a ter um bocado aquela previsibilidade dos romances.
O último livro que foi lançado deixou em aberto para outra personagem por isso imagino que a saga não termine por aqui!

Já alguma vez viram esta colecção?

6 de janeiro de 2015

Viktoria Modesta


“For a long time, pop culture closed its doors on me as an amputee and alternative artist. I think people have always found it hard to know what to think or feel about an amputee who wasn’t trying to be an Olympian. In sports, ‘overcoming’ a disability makes you a hero, but in pop there is no place for these feelings.
I have never felt comfortable thinking of myself as disabled and this has inspired me to actively challenge old-fashioned views and create a platform in mainstream pop-culture, with other artists, where I have always known I belonged.
I want people to feel new feelings that they didn’t know they had. The time for boring ethical discussions around disability is over. It’s only through feelings of admiration, aspiration, curiosity and envy that we can move forward.” - Viktoria Modesta

Anda tudo louco com esta senhora e verdade seja dita, o videoclip é impressionante e ela é lindíssima... quais são os vossos pensamentos sobre o assunto?

4 de janeiro de 2015

Agora que 2014 acabou...


Antes do ano ter acabado, fui ao meu Goodreads e vi isto. Ficando intrigada, lá fui ver o meu 2014 em livros... 

Portanto minha gente, eu em 2014 li ao todo 54 livros! Credo, quase que me dá para dizer, como a outra, que tenho que arranjar uma vida social, LoL.



Nota: ainda eu estou chateada por não conseguir "desbastar" a minha pilha de livros para ler!

2 de janeiro de 2015

The shape of 2015


Out of the night that covers me,
Black as the pit from pole to pole,
I thank whatever gods may be
For my unconquerable soul.

In the fell clutch of circumstance
I have not winced nor cried aloud.
Under the bludgeonings of chance
My head is bloody, but unbowed.

Beyond this place of wrath and tears
Looms but the Horror of the shade,
And yet the menace of the years
Finds and shall find me unafraid.

It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll,
I am the master of my fate,
I am the captain of my soul.

(WILLIAM ERNEST HENLEY)