10 de dezembro de 2016

As olimpíadas da casa



Há sempre aquele momento de tensão de quando um casal junta os trapinhos e vão viver juntos... Será que vai resultar num felizes para sempre? Será que vamos sentir a tentação de arrancar a cabeça um do outro?

Bem, em relação às mulheres, há toda aquela pressão de tornar uma casa num lar, pensar na decoração, manter a casa limpa, não deixar a roupa tornar-se no Monte Everest, manter o frigorífico cheio, etc. Em relação aos homens, principalmente agora no século XXI, tem que haver aquela transformação de mentalidade de "casa da mãe" para a "nossa casa". 
Não há cá "saco mágico" (o saco em que se mete lá dentro a roupa suja e ela magicamente aparece no quarto ou nas gavetas já limpa e passadinha) ou "pia mágica" (o mesmo princípio do saco mágico mas versão pratos, copos e afins lol), um casal quando vai viver junto tem que ser uma verdadeira equipa pois se ambos trabalham, ambos precisam de descansar mas há também que manter a casa como deve ser.

Dito isto, nesta evolução, há todo um momento que gostaria de comentar com vocês... Há todo um momento em que nós meninas estamos exaustas do trabalho, chegamos a casa e os nossos ombros já estão quase a tocar o chão de exaustão só de pensar no que ainda temos que fazer em casa. Abrimos a porta, o homem está à nossa espera com sorriso de orelha a orelha.

Ele fez uma tarefa. Ou lavou a loiça ou passou a roupa ou aspirou a casa mas o orgulho e o peito cheio, porque ajudou em casa, parece aquele momento de celebração dos Olímpicos, em que o atleta é recebido com louros, foguetes e medalhas, LoL.
É engraçado como os homens esperam uma recompensa se ajudam em casa ou pelos recognição pelo trabalho e connosco não há aplauso ou reconhecimento... apenas obrigação?


P.S. - e nós lá sorrimos e fazemos um bocadinho de festa pois um bocadinho de ajuda é melhor que nenhuma ajuda, LoL. Tadinhos, eles bem tentam, eheheheh.

14 comentários:

Briana disse...

tem que ser por reforço positivo. Se começarmos a reclamar por não estar bem feito, ou que não foi nenhum feito de medalha olimpica o mais certo é não fazerem mais.
Mas agora se fizermos a festa com eles, eles depois vão querer voltar a ajudar.
Apesar de ambos têm a obrigação, mas é quase como ensinar um cão ir fazer xixi no sitio certo (sei que é uma comparação estranha mas pronto)

Denise disse...

Em relação a este tema, ainda há dias li um texto muito interessante em que o autor dizia que não ajuda a mulher em casa, mas sim que é sócio dela na divisão das tarefas.
O homem também vive em casa, também quer comer, também suja a loiça e a roupa, portanto tem de partilhar as tarefas de igual forma.

Isso dos elogios é muito curioso, realmente. Eles fazem uma coisinha de nada e sentem-se super orgulhosos e querem que façamos uma festa. Mas quantas vezes nos agradecem a nós ou à mãe, por ter passado o dia todo a limpar?
Eu e o meu namorado ainda não vivemos juntos, mas isso das tarefas é algo que me assusta um pouco. Eu sei fazer tudo; ele é um menino mimado; a mãe faz-lhe absolutamente tudo e nem o deixa fazer nada, dizendo-lhe "deixa estar, eu faço, tu não sabes" - o que não promove nadinha a independência e a autonomia do homem, mas pronto.
E então por vezes estou lá em casa, ele ajuda-me a fazer a cama e logo a seguir quer receber um monte de elogios, como se tivesse acabado de subir o Evereste. Se lhe digo "não fazes mais que a tua obrigação", quase chora; se lhe dou um elogiozinho, fica todo contente!
Pelo sim, pelo não, convém ir elogiando e dando reforço positivo e, sobretudo, ter muito paciência! :)

As Coisas Dela disse...

Sou 100% da opinião de que as tarefas devem ser repartidas. Se todos sujam, todos limpam!!

Cynthia disse...

Cá em casa não há cá festa nenhuma. Não é mais do que a obrigação deles :D ambos sujam, ambos limpam. Não há cá "ajudas", mas sim divisão de tarefas. Ajudar pressupõe que a obrigação é da mulher e o homem apenas ajuda ocasionalmente. Mas o que é isso? Isso é que era bom :P

Cátia Rodrigues disse...

Compreendo perfeitamente. O meu tem a tarefa de lavar a loiça do jantar e faz uma festa todos os dias por isso, acha-se o maior. Tudo o resto deve aparecer feito por magia!

THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM //

Melanie Moreira disse...

Compreendo perfeitamente! As tarefas tem que ser divididas!

Beijinhos
That Girl

Andreia Morais disse...

Precisam do reforço positivo :p

r: E muitas vezes o problema está aí: dar as coisas por garantidas...

Gaja Maria disse...

Temos de elogiar e incentivar para eles fazerem cada vez mais, é tipo investimento para o futuro, já que as mãezinhas deles não o fizeram eheheh
Cá em casa eduquei melhor o marido do que os filhos que esses não estão a tomar ensino :)

Cláudia S. Reis disse...

Oh pah é tão isto. Eu esforço-me por não dar importância quando ele ajuda de livre e espontânea vontade, para que ele entenda que é algo normal. Mas ele faz questão de dizer sempre "já viste que ele fiz?". Quando ele morava em casa dos pais por muito que eles o "obrigassem" a fazer algumas coisas não percebia a trabalheira que isto dava. Agora já começa a perceber.

Portuguesinha disse...

A capacidade cognitiva emocional dos homens está sobrevalorizada. São crianças em ponto grande, pouca maturidade para coisas simples, ehehe.

Portuguesinha disse...

Ahahah!
Briana acerta em cheio!

Ana Patrícia disse...

Lol o que me ri! :p
Mas se refletirmos bem no assunto, até é um pouco triste que assim seja. Hoje em dia praticamente toda a gente trabalha fora de casa. E a obrigação de manter o espaço onde vivemos limpo e organizado é de todos os que vivem nesse mesmo espaço, e é inconcebível pensar de outra maneira. Eu ainda não vivo com o meu namorado, mas ele teve que ir estudar para fora e em muita coisa teve que se desenrascar como pôde. Já não lhe passa pelo cabeça fazer uma coisinha de nada e achar que fez muito porque já passou pela experiência de ter de fazer tudo sozinho. E guess what? Não gostou, percebeu que é chato e difícil. Por isso acho que já não terei muitos problemas nesse ponto quando começar-mos a viver juntos :p
xx, Ana

The Insomniac Owl Blog

Por mim disse...

Completamente!
Li algures que eles não deveriam ajudar, porque isso pressupõe que a tarefa é nossa obrigação. Eles deveriam simplesmente partilhar, mas pelos vistos os homens são mesmo assim. Com o meu é a mesma música. Se fazem umas coisas poucas, parece que dá logo para meio ano: "Porque é que reclamas tanto? Ainda ontem fiz não sei o quê!"...mas então e o resto dos dias?!
Eu continuo na minha luta pela igualdade...

Avelã disse...

Haha, já é uma pequena evolução, pode ser que o desenvolvimento continue :P