24 de março de 2017

O fantasma da depressão



Acho que é seguro dizer que toda a gente sabe o que é a depressão. Não é preciso ir consultar o DSM e procurar os termos técnicos, acho que toda a gente tem uma ideia geral do que é. Se calhar até alguns de vocês já sofreram ou sofrem de depressão...

Contudo, apesar de as pessoas saberem o que é e estarem informadas, ainda há muito estigma à volta desta doença, não só terceiros mas até mesmo quem sofre com ela. Sim! Porque é importante relembrar que quando estamos depressivos temos que tomar conta de nós e até sermos extra gentis connosco próprios. Tal e qual como um atleta, com uma perna partida, não iria forçar correr naquele estado. 
O atleta enquanto recupera e fica melhor a cada dia, não pensa "eu sou um atleta falhado", eles pensa: "de momento algo no meu corpo não está bem, por isso vou tomar conta de mim, até estar bom".

Tal como um osso partido, a depressão vai mudar o teu dia-a-dia e forçar-se demasiado, torna-se frustrante e contra-produtivo, quando alguma coisa efectivamente não está bem. Pois é tal e qual tentar correr com aquela perna partida, ficando frustrado e impaciente que nunca mais fica boa.
É preciso compreensão, tal como com uma perna partida, é preciso atenção tal como uma ferida e é preciso cuidar tal como com uma infecção... lembre-se disso! 

As doenças mentais não são para ser menosprezadas ou ignoradas, são para ser tratadas com zelo e gentileza, tal como com qualquer outra. E para todos a sofrer com depressão, desejo-vos muita força e cuidem de vocês próprios.

10 comentários:

Ana Rita Oliveira disse...

O problema é que a depressão, assim como outras doenças do foro psicológico, é ainda um tema tabu na sociedade. Quase ninguém ousa falar disso, dar o testemunho porque, infelizmente, ainda existe muito o estigma "depressão é para malucos" e as pessoas têm receio de falar. Para a maioria das pessoas só a doença física é que tem importância quando a psicológica é muitas das vezes tão ou mais grave. Vamos vendo pequenos avanços na mentalidade das pessoas, até porque a depressão cada vez atinge mais gente, mas ainda há um longo caminho a percorrer.
Obrigada por falares neste assunto :)

Cátia Rodrigues disse...

Infelizmente a depressão é um problema que está cada vez mais presente na nossa sociedade. É real e é grave e tenho pena que não haja mais sensibilização para este tipo de casos :\

THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM //

Os olhares da Gracinha! disse...

Concordo com o que disse!
Felizmente ... consigo passar ao lado dela! Bj

Andreia Morais disse...

«As doenças mentais não são para ser menosprezadas ou ignoradas, são para ser tratadas com zelo e gentileza, tal como com qualquer outra», acho que alertaste para uma parte fundamental, porque, infelizmente, ainda há quem desvalorize estas doenças por não serem físicas. Isso não faz qualquer sentido, por isso é importante reforçar o quanto temos que olhar para elas com atenção e respeito, tratando-as com seriedade, da mesma maneira que o faríamos se, lá está, procurássemos curar um pé partido.

Cynthia disse...

Acho que a parte psicológica ainda é pior do que a física, porque se torna mais difícil de tratar. Fora o facto óbvio de que a sociedade, tal como referes e bem, desvaloriza muito isso... como se não fosse doença alguma.

Konigvs disse...

Não acho nada que haja qualquer estigma na sociedade atual face à depressão. Pelo contrário, hoje parece que quem é alegre e pouco dado a depressões é que é anormal! Está na moda estar deprimido, pois basta abrir os sites, até dos jornais para toda a gente falar da pressão! A depressão está na moda! Quando alguém precisa ficar umas semanas em casa, vai ao médico de família é diz que se está deprimido e pronto, já se pode ir às compras ou passear. Onde está o estigma em burlar a Segurança Social e assumir que se está deprimido?

Mais! É com todo o à vontade que os pais hoje falam que já dão Ritalina aos putos! Putos saudáveis! Mas é preferível dizer que o puto tem uns qualquer transtorno mental, que assumir que o puto é mal educado.

Depois vamos ver uma coisa. Quais são os países do mundo com melhor qualidade de vida? Certo, países nórdicos: Noruega, Dinamarca, Suécia, Finlândia. Então, pergunto, por que é são esses países que têm as mais altas taxas de suicídios do mundo? Não, não é por ouvirem muito Heavy-Metal!
É simplesmente porque têm muito poucas horas de sol por dia!! A depressão está associada à pouca exposição solar!! Só isso!
E ainda por estes dias, vinha nos jornais a dizer, que as crianças do Porto já estão com uma deficiência brutal de vitamina D! Porquê? Porque passam a vida enfiados dentro de casa nos computadores e jogos! São umas flores de estufa. Não adianta termos muitas horas de sol em Portugal, se depois as pessoas não saem de casa!

A depressão muitas vezes nada mais é que FALTA DE APANHAR SOL! Mas o que é que os senhores médicos fazem? Entopem as pessoas de drogas que as deixam com um sorriso estúpido!

Sabem o que se faz no Japão quando uma pessoa, um trabalhador diz que se sente deprimido? Prescrevem-se "banhos de floresta" que baixa a pressão arterial, reforça o sistema imunitário e cura a depressão.
Só que minhas caras, ir para a floresta abraçar as árvores não dá dinheiro nenhum aos médicos nem às farmacêuticas! Convém é manter o doente feito morto-vivo, não o deixar morrer (senão acaba-se a mama!) mas não o curar!

Está um dia bonito, saiam de casa e vão abraçar a Natureza pá!
Multi-resistente
Bucólico-anónimo
Plastrão

Andrea Brito disse...

Nunca tinha visto um exemplo tão bom que nos fizesse entender a depressão!

http://finddyourway.blogspot.pt/

Gaja Maria disse...

Ainda há um grande caminho a percorrer nesta área, as doenças do foro psicológico além de difíceis de tratar trazem com elas um grande sofrimento a quem as tem e a quem rodeia essas pessoas, não é fácil saber lidar com a doença.

Cisne disse...

Tão bem dito. Obrigada :)

Denise disse...

Um tema bem importante e que descreveste muito bem.

O que também acho preocupante é que hoje qualquer coisinha já é diagnosticada como depressão, quando na verdade não o é.
Basta ir ao médico de família dizer "estou triste" ou "sinto-me cansada" e a maior parte deles receitam de imediato um antidepressivo e não reencaminham para outros profissionais.
A depressão não é simplesmente "estar triste", tem de ser bem diagnosticada e tratada.

Gostei muito do teu texto.
Beijinhos