26 de agosto de 2017

Bullying da grávida




Sim, é lindo estar grávida, mas como tudo na vida nem tudo são flores. Gostaria de deixar aqui bem claro que aquela obrigatoriedade social de nos sentirmos constantemente “iluminadas” pela gravidez é uma completa estupidez! Há muita coisa que simplesmente não estamos preparadas quando engravidamos… Não estou a falar dos enjoos, ou da fome, ou da falta de posição para dormir, ou da azia, ou das dores, ou das pernas inchadas, etc. Não estou a falar da aventura que é gerar uma vida, o quanto o teu corpo, a tua mente e o teu coração vão passar mas sim de todos os conselhos indesejados e das críticas sociais.

A partir do momento em que dizes que estás grávida serás inundada de pessoas que “querem ajudar”. Algumas é com bom coração porém não fazem ideia do que estão a falar… Como por exemplo:
“Ai tens enjoos? Se ficares em jejum isso passa logo!” 
(errado, pequenas refeições e mais frequentes ajudam com os enjoos)
“Não deves fazer exercício físico durante a gravidez!”
(errado, uma grávida pode e deve manter-se activa, só tem que evitar certos exercícios)
“Tens que comer mais! Estás grávida tens que comer por dois!”
(errado, uma grávida só precisa de 300 calorias extra)
“Não podes usar colares senão o bebé vai nascer com problemas de pele.”
(eu nem sei onde foram buscar esta)
“Com tanta azia o teu bebé vai ser cabeludo.”
(o facto de ter um bebé sentado no meu estômago não tem nadinha haver com o assunto)
“Não podes pintar o cabelo enquanto estás grávida!”
(vou-vos contar o segredo de produtos sem amónia que podem ser usados por grávidas)
"Não podes beber café! Não podes comer queijo! Não podes comer atum! Não podes comer marisco!"
(tudo que é de comer e beber decidi juntar tudo no mesmo porque são mesmo muitas; sim, podes beber café, podes comer queijo até cair desde que seja pasteurizado, podes comer atum com moderação e o mesmo com o marisco) 
"Vais ter que sofrer.. Não podes tomar medicação!"
(eu percebo a geração dos nossos pais ou dos nossos avós dizerem isso, agora a nossa geração? Em pleno século XXI existe tanta informação e tanta disponibilidade de medicação que é segura para uma mulher grávida que não se justifica estarmos a sofrer desnecessariamente)

Eu podia estar aqui o dia todo a escrever as coisas que as pessoas me têm dito até agora mas a verdade é que pode ser qualquer coisa, mesmo qualquer coisa, o que não me importava pois aproveitava e desmistificar muita coisa. Aliás sou Orgulhosamente Enfermeira e é do meu trabalho fazer educação para a saúde… Contudo, o que cansa (mais psicologicamente do que fisicamente) e o que magoa é quando adicionam “estás a fazer mal ao bebé” ou “tens que pensar no bebé”. Não, meus caros, não tive um caso de amnésia e me esqueci que estou grávida… e se não sabem, eu digo-vos este tipo de frases é o que provoca ansiedade desnecessária a uma grávida e consequentemente ao bebé, já para não falar de que vai reduzindo a auto-confiança da grávida como mãe: “Se não consigo cuidar do meu bebé enquanto grávida como o vou fazer quando nascer?”
Se querem dizer algo, pensem duas vezes se sabem do que estão a falar, ou se não sabem o que dizer, em vez de dizerem parvoíces digam como ela está linda ou que vai ser uma excelente mãe. Acreditem que só ao dizerem isto, vão melhorar o dia dessa grávida assim pelos 1000%.

Voltando àquela “obrigatoriedade”, que mencionei no início, eu sei que parece cliché mas é a mais pura das verdades: cada gravidez é diferente. Aliás, a mesma mulher pode ter duas gravidezes completamente diferentes… Infelizmente, o que resultou para ti enquanto grávida pode não resultar para outra mulher. Acho que todas as grávidas iam adorar que houvesse um manual contudo há assuntos em que só passamos a dominar quando passamos pelas situações, não basta ler ou ouvir o que os outros dizem.

Vamos então falar do outro lado da moeda, a falta de civismo ou até de compaixão, eu sou a primeira dizer que a gravidez não é doença mas como todas as grávidas sabem há desconfortos que só mesmo uma mulher que tenha passado por uma gravidez compreende, e há até muitas que não compreendem pois os mesmo desconfortos não batem à porta de todas as mulheres grávidas.
Se acham os espaços prioritários (lugares no autocarro ou comboio, filas no supermercado, lugares de estacionamento, etc.) desnecessários ou supérfluos, imaginem no final de um dia de trabalho ter que ir fazer compras é cansativo, agora imaginem como grávida, a sentir o peso da barriga, as pernas a inchar a cada segundo, mais o cansaço do nosso corpo estar a trabalhar por dois e ainda sentir o bebé a "reclamar" porque tem fome e precisa que a mãe pare um bocado e descanse. Sim gravidez não é doença mas é uma mudança radical na rotina da mulher, até mesmo do casal!

Numa altura em que se fala tanto em bullying esquecem-se das crianças que ainda não nasceram em que as vitimas são as suas mães...



Nota: eu sei que ao escrever este texto que vou "abrir a caixa da Pandora" e com certeza vou receber opiniões desnecessárias (vocês sabem ao que me refiro) mas se por cada um comentário escusado, tiver uma mulher (grávida ou não) a pensar "eu pensava que era a única" ou "quando engravidar vou criar uma pele grossa para passar isto tudo", já só isso me deixa feliz! 

22 comentários:

Cláudia Flor disse...

Adorei o teu post! Sigo o teu blog, podes seguir o meu? :)

http://aflormaria.blogspot.pt

beijinhos

JU VIBES disse...

Acho que vou gostar de mandar as pessoas ir à merda quando estiver grávida. Na verdade, acho que a gravidez tem pouco de luminoso. Só breves momentos.

Talvez mude de ideias...

❥ Biju da Ju,
juvibes.blogspot.pt

Sofia Veloso disse...

É uma fase bastante bonita
que linda
Beijinhos
CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
Tem post novos todos os dias

Sofia disse...

E eu que já não tinha vontade nenhuma de engravidar.... =P

Catarina disse...

O conselho que te dou é que aproveites o momento e n ligues o que dizem as pessoas à tua volta :)

➳ Nea ☽ disse...

Tenho uma amiga minha que teve o bebé há umas semanas,e ela passava precisamente por esta situações. E tão desnecessárias que elas são!!

A Lisboeta disse...

Não estou grávida, mas percebo-te. As pessoas gostam de opinar e meter o bedelho... algumas é mesmo por preocupação genuína, sem dúvida, outras é só porque sim.

Andreia Morais disse...

O mal das pessoas é acharem que são donas da razão, que sabem tudo, por isso têm todo o direito de opinar sobre os assuntos. Nunca estive grávida, portanto há um mundo de coisas que desconheço, mas acredito que se já tivesse passado por essa experiência continuaria a não saber da maior parte, porque, como referiste, as gravidezes são todas diferentes. Sei bem que muitas pessoas não dizem as coisas por mal, mas era tudo tão melhor se pensassem antes de falar.

Cynthia disse...

Eu sinto-me sempre fuzilada quando digo que não gostei de estar grávida. Porque é tão bom, uma fase linda, gerares o teu filho na barriga, porque não há nada como isso (coitadas das mães que adoptam, então, e dos pais... que não os carregam na barriga!), que ficas luminosa, que ficas bonita, que devias estar agradecida. Merda para isso tudo. Nunca aceitei opiniões na gravidez, nem comentários do género. E sempre tive capacidade para não me sentir melindrada com a possibilidade de me dizerem que não estava a fazer o melhor para o meu bebé. Vão-se lixar mais essas manias de se meterem na vida das grávidas.

Cisne disse...

Adorei o post!! Obrigada :D

Ana Castilho disse...

É não ligar e aproveitar o momento, é assim que vejo... :)
Um beijinho,
http://myheartaintabrain.blogspot.pt/

Pensamentos Com Asas disse...

Que lindo amiga! Estou feliz por você, parabéns pela gravidez! Beijos!!!

Catia Ferreira disse...

Realmente as pessoas não têm mais nada de interessante para fazer do que chatear as grávidas. E prepara-te que depois do primeiro nascer vão logo perguntar para quando é o segundo -.-'

Gaja Maria disse...

As pessoas são mesmo assim, é assim há séculos e será assim para sempre ainda que com tanta informação e mais sabedoria. É levar a coisa com sentido de humor e não dar importância, acho que nem sequer vale a pena uma pessoa chatear-se a contrapor. Mau mesmo é quando contam mil histórias de partos horríveis e gravidezes que correram mal. As pessoas não se enxergam mesmo :)

Desbocada Mental disse...

Eu optei fazer como os Pinguins no Madagascar!

"Smile and Wave"

E mentalmente (dai o nome do Blog) mandar tudo a merdinha!!!

prepara-te porque na minha opinião ainda fica pior, quando a criança nasce toda gente tem uma pérola de conhecimento que não se inibe de partilhar.
"Porque a criança deve dormir assim ou deve dormir assado, porque deves acordar para ele comer ou não deves acordar para comer, ou porque deves dar de mamar até a criança ir a primaria ou deves dar formula porque a criança chora é porque tem fome e o teu leite é "fraco"." Dava um livro as parvoíces que eu ouvi. Se ficares no UK quando ele nascer se calhar não vais "ouvir" tanto.
Mas nunca deixes que isso te afecte, nunca duvides das tuas opções como mãe, o filho é teu, amas-lo acima de tudo neste mundo e tu sabes que estas a fazer o que TU achas melhor.

Bem como disse este assunto dava um livro, desculpa o testamento!!!


Beijo

Love Adventure Happiness disse...

Já me disseram coisas maldosas, há quem não compreenda porque não estou a amar estar grávida se fui eu que quis (sim preferia passar esta etapa mais rápido), se ando de bicicleta é porque faz mal, se faço pole dance ai Jesus que maluca se bem que o que me custa mesmo não é ginásio nem aulas mas sim caminhadas longas, essas sim dão-me grandes desconfortos e até umas contracções (sim não voltei a fazer caminhadas de horas)...
Enfim... é uma aventura mas consigo fazer orelhas moucas ao que não me interessa ;)

SwissTwins disse...

Great Post<3
Maybe we can follow each other?
Have a nice day.
Kiss
http://www.swisstwins.ch/

riotdontdiet disse...

opa como me identifiquei com tudo!!!
foi horrivel quando tive gravida, ela ja nasceu ha quas e8 meses e mm assim oiço essas perolas que so apetece matar as pessoas.
ha mesmo um bullying desgraçado e se nao segues o ritmo igual das outras pessoas es uma merda.
eu tive imensos problemas na gravidez e tb no pos parto, neste ultimo caso em relaçao ao peito, ela logo aos 1mes e meio/2 teve que ir pra leite artificial e foi horrivel, nao pela situaçao em si mas porque tudo me julgava, em especial mulheres e medicas! em relaçao a isso, como se a culpa fosse minha e eu nao tivesse feito de tudo. foi preciso um enfermeiro homem ajudar me, que eu ja me sentia maluca.

a pessoas assim eu sinceramente mando logo pro crl agora, na altura é que ainda estava muito fragilizada.

https://rrriotdontdiet.blogspot.pt/

Sarafaela disse...

Estou mesmo entusiasmada com isto, acho que foi das melhores decisões que tomei
Espero que tudo corra bem
Parabéns pelo blog ( sei que vou um pouco atrasada sorry ) e pela gravidez

i. disse...

Oh, meu Deus... O “Não podes usar colares senão o bebé vai nascer com problemas de pele.” matou tudo! Ainda estou longe do dia em que isto será um plano, mas tenho perfeitamente noção deste flagelo... As pessoas acham mesmo que sabem tudo e que podem mandar os bitaites que lhe apetecer.
Até lá, querida, espero que consigas ignorar muita coisa. Além de que tu própria disseste... És profissional de saúde e estás mais informada do que muitos :) Mas mesmo sem isso, irias ser uma excelente mãe. Tenho a certeza.

amartaeumblog disse...

A dos colares nunca tinha ouvido falar, mas acredito que há muita boa gente capaz de mandar uma 'pérola' dessas. :)

Espero que quando chegar a minha vez de ficar grávida não me 'melguem' muito com essas parvoíces, ou posso sempre ter um ataque de histerismo e má-criação e desculpar-me "é as hormonas, desculpe lá"... ;)

Obrigada pela visita ao blog.

A Marta

м♥ disse...

Acho especialmente engraçado que digam isto a uma enfermeira que, mais do que ninguém, percebe de saúde e sabe o que pode e não pode fazer. As pessoas são ridículas! Se cada um se metesse na sua vidinha... Eu não tenho paciência para isso e juro que disparo logo. Até estou para ver quando for eu.