8 de agosto de 2017

La gorjeta



Mesmo para alguém que nunca saiu de Portugal e lidou com isto em específico, este assunto "afecta-nos" a todos... Contudo, em primeiro lugar, gostava de frisar que não tenho nada contra o pessoal que trabalha em restauração. 

Dito isto, vamos falar de uma coisa que dá sempre em controvérsia: a gorjeta. Aquele momento em que depois de recebermos a conta para pagar e deixamos uma percentagem para os empregados do restaurante. Sim, vocês leram bem, percentagem. Aqui no UK (e pelo o que percebo nos USA também) é regra dar no mínimo 10% do total da conta como gorjeta, ou seja, se a vossa conta no restaurante fosse 50 euros, vocês deixariam como gorjeta 5 euros. Aliás, na terra dos camónes em alguns estabelecimentos a gorjeta ou "taxa de serviço" já está incluída na conta. 
Eu não tenho quaisquer problemas em deixar gorjeta, até costumo deixar sempre, principalmente se o serviço for bom. Contudo, será muito "mau" eu pensar porque raio é que isto se aplica só a restauração? Enfermeiros, bombeiros, administrativos... ninguém recebe gorjetas. Sinceramente, não sei muito bem o que pensar sobre este assunto.

E vocês? O que acham ou pensam sobre a gorjeta?

9 comentários:

Lápis Roído disse...

Ora isso da gorjeta é tudo muito giro, mas só quando não é obrigatório. Percentagens? Chulice, isso sim!

м♥ disse...

Trabalhei numa pastelaria quase 3 anos e nunca ninguém me deixou uma moedinha sequer. Acho que é o nosso dever fazer sempre um bom trabalho e, por isso, não percebo porque tenho que deixar uma gorjeta. A pessoa já está a ganhar o dinheiro dela, não deveria ganhar mais por fazer um bom trabalho já que é suposto que assim seja. Pessoalmente nunca deixo gorjeta (quanto muito, às vezes não peço troco se for pouco dinheiro), nem acho que se deva fazê-lo por obrigação. Quem quiser que dê, se assim entender. Só não deveria ser exclusivo de serviços de restauração, já que há vários empregos em que estamos a prestar um serviço e ninguém nos dá nada também.

J* disse...

Não tenho por hábito dar gorjeta. A pessoa que está a trabalhar já está a receber um salário para prestar aquelas funções, por isso não entendo muito bem porque temos de dar mais um extra. E também não consigo entender porque é que essa "moda" se instalou na restauração.
No meu trabalho recebo algumas gorjetas. Os clientes convidam-me imensas vezes para tomar café, mas eu digo sempre que não e eles deixam ficar dinheiro "para um cafezinho" mas a verdades é que às vezes dá mais é para um jantarzinho!!! Mas recuso sempre. Sempre mesmo. A minha resposta é sempre a mesma "Você já paga o que tem de pagar não precisa de dar mais nada!". Alguns, depois de me ouvir dizer isto recuam com o dinheiro. Outros insistem e dão. Mas ser obrigatório é que me parece mesmo descabido!
https://jusajublog.blogspot.pt/

Avelã disse...

Penso que nos EUA isso é porque quem esteja empregado nessa área não tem direito ao salário mínimo. É na maioria das vezes pago uma miséria (~2$/h); nesse tipo de serviços ao público assume-se que haverá gorjetas, daí que o ordenado atribuído seja bastante reduzido.

É por isso que deixar um extra não é considerado uma apreciação reservada a serviços excelentes, mas uma regra básica de etiqueta (ou simplesmente respeito pelo trabalho dos outros); por outro lado, não deixar é considerado rude, porque é um passo para privar o trabalhador de um salário digno.

É um sistema mal feito (eu acho que toda a gente deveria ter direito a um ordenado razoável fixo e incondicional - a ideia de deixar os salários à mercê da disposição dos e quantidade de clientes é revoltante), mas a culpa não é dos funcionários...

Mas percebo o post, para quem está habituado ao "sistema" em Portugal é muuuito estranho dar 10% de gorjeta :P

N. disse...

É raro deixar, confesso. Só mesmo em casos excepcionais onde o serviço do empregado é mesmo do outro mundo e justifica.

A mim sempre me pareceu que o service charge / 10% de gorjeta são simplesmente uma forma airosa dos empregadores poderem mais facilmente oferecer salários medíocres aos funcionários.

i. disse...

Pelo que percebo, nos países que é obrigatório, o ordenado é muito mais baixo (em comparação com outros empregos) e é o cliente a contribuir. Por isso, não faria muito sentido nas profissões em que referiste, penso... Mas qual é a diferença numa loja? Ou no starbucks em que não te servem à mesa? Pois, não sei... :/

Tim disse...

é algo a pensar, por acaso agora deixaste-me a pensar :P

Cynthia disse...

Acho ridículo ser obrigatório. Gorjeta, para mim, é sinal de opcional. Paguem em condições aos funcionários e é suficiente. Não há que pagar extras nenhuns, apenas o que estás a consumir. Era o que faltava :P quem quiser deixar, deixa, mas por opção!

asminhasquixotadas disse...

Nunca dou e não concordo. Penso o mesmo: por que é que as outras profissões não têm direito ao mesmo? A pessoa é paga para fazer aquele serviço, assim como eu era paga para ensinar. No fim ninguém vinha dar-me gorjetas por ter ensinado os tempos verbais.