26 de novembro de 2018

Não sou supersticiosa... dizem que dá azar!



Apercebi-me de uma coisa quando me mudei para o UK (quem é recente aqui no Reino, eu já cá estou há quase 7 anos), eu sou mais supersticiosa do que eu pensava...

Pois então como explicar a uma pessoa que não cresceu na cultura portuguesa que tem que dar dois beijos ao cumprimentar senão dá azar? Ou que não pode sacudir a toalha da mesa quando está escuro lá fora? Que não se pode deixar a carteira no chão pois assim o dinheiro foge? Que nunca mas nunca abrir um guarda-chuva em casa! Que não se deve matar aranhas pequenas em casa pois isso significa dinheiro? Que não se pode ter 13 pessoas à mesa nem por nada... Ou que não se pode deixar os sapatos trocados? E outras que tais, LoL.

Eu a pensar que até nem era muito supersticiosa mas só mesmo vindo para outra cultura é que me apercebi que afinal há certas coisas eu simplesmente não consigo mudar. Tenho na mesma que bater 3 vezes na madeira para dar sorte, mesmo sabendo que é apenas uma superstição... mas não prejudica ter um bocadinho de sorte, ahahah.

E vocês? Que superstições têm?

15 comentários:

As Coisas Dela disse...

Ainda no outro dia falei disso nas Instastories! Eheh Também ainda bato três vezes na madeira! Beijinhos*

Aline Patricia disse...

Minha vó sempre foi, e acho que sempre será, eu não gosto de deixar o chinelo virado, porque tenho medo da minha mãe morrer.
http://www.blogsecretplace.com/

Margarida disse...

Olá,

Eu por acaso, não sou nada supersticiosa...

Mas a diferença entre culturas é muito interessante!

Beijinhos
Margarida
https://minhacasadopatio.blogspot.com/

Ella Morgan disse...

Realmente é difícil mudar algo com o qual nascemos, afinal, desde sempre que nos ensinam certos costumes e muda-los é realmente difícil! Ahah

Beijinhos,
Ella Morgan
moonlightfelicitydestin.blogspot.com

Messy Jessy disse...

Eu não tenho grandes superstições, as que tenho são: não gosto que passem por cima das minhas pernas, acreditava que isso fazia com que não crescesse mais; passar debaixo de um escadote. Agora que vou casar são relacionadas ao casamento como: usar algo azul, emprestado e novo; não ver o noivo antes do casamento; o noivo não pode ver o vestido antes do casamento; etc, etc.

Mamã Coruja disse...

Digo que não sou e quando a minha sogra começa a dizer que não se sacode a toalha no escuro ou dá azar espalhar sal no chão, rio-me. Mas deepois não abro um chapéu dentro de casa por nada e se abrir sem querer tenho de abrir as 7 vezes e fechar. Lolllll

Graça Pires disse...

Não sou nada dada a superstições…
Gostei de a ler.
Uma boa semana.
Um beijo.

Cynthia disse...

Das que mencionaste, conheço a do guarda-chuva, das aranhas e das 13 pessoas à mesa. As restantes não. Mas não acredito em nenhuma :P não sou nada nada supersticiosa. A minha mãe, avó e tias são, com essa coisa das 13 pessoas então é um drama... e o que a minha mãe me chagou a cabeça dos meus dois filhos para eu não fazer a cama antes de eles nascerem. E quando ela ata um pano à perna de uma cadeira (diz que é prender a perna ao diabo) pra encontrar algo perdido pela casa? Opa, acho imensa graça, fazer o quê? Sou uma céptica xD

Love Adventure Happiness disse...

Essa dos beijos nem sabia... Aqui dão 3 ou 1 por isso já fui!
Sacudo toalhas a que hora for, senão no Inverno nunca o faria...
Os guarda-chuvas ficam a secar abertos na banheira, já em Portugal assim era...
Ou seja não sou muito supersticiosa excepto no que toca a bater na madeira para não dar azar e desejar muita merda em vez de sorte...

Larissa Santos disse...

Se é um jeito que se tem, não há como o mudar. Gostei de ler :))

Hoje : As palavras ternas do meu dicionário

Bjos
Votos de uma Segunda-Feira

Andreia Morais disse...

O problema é esse, é que achamos que não somos supersticiosos, mas depois analisamos bem os nossos comportamentos e há coisas que não fazemos ahahah
Sou igual!

Green disse...

Confesso que não ligo muito a isso, até gosto bastante do número 13, eheheheh, mas é verdade, são coisas que estão enraizadas na nossa cultura e, quer queiramos quer não, acaba por mexer connosco.

Gaja Maria disse...

Eu tenho a da carteira no chão mas nem sempre a cumpro

Portuguesinha disse...

Não sabia que tb estavas a residir no uk.
mas tens 7 anos disso... eu só vou com dois ;)

Pois é...
agarramos-nos a coisas que nos surpreendem.
Eu, por exemplo, ontem entrei numa loja com uma porta pequena e atrás de mim entrou uma mulher a empurrar um carrinho de bebe e a falar ao telemóvel. Quase que não dava para nos mexermos. Mas isso fez-me temer estar no UK onde elas entram com carrinhos nas lojas mais pequenitas e nao se desviam nem saem do caminho. Certos gestos de cortesia que temos em portugal, até a forma de andarem na rua, faz confusao quando percebemos que têm reacções diferentes. Por exemplo:em portugal duas pessoas em rota de colisão desviam-se. No UK só uma se desvia, a outra continua. E normalmente sou eu que me desvio, porque faço contacto visual, reduzo a velocidade, mas sou forçada a "parar" porque do outro lado não existe aquele costume portugues de ambos se desviarem e ambos terem atenção ao outro. Digo eu.

Portuguesinha disse...

PS: West sunssex, londres sul. E tu?
Isso do civismo se calhar também depende do olhar de quem vê.
E do meio por onde se circula, talvez.

E tu? Qual a tua área? Saúde?