26 de fevereiro de 2013

Já está tão perto...


O meu Reino Maravilhoso já está tão perto... Já faz quase 6 meses que não vou a Portugal! Não estou tipo como na prisão a riscar os dias mas após "tanto tempo" é normal sentir aquela ansiedade de voltar.
É já amanhã! Em menos de 24 horas, aqui vamos nós!

"Vou falar-lhes dum Reino Maravilhoso. Embora muitas pessoas digam que não, sempre houve e haverá reinos maravilhosos neste mundo. O que é preciso, para os ver, é que os olhos não percam a virgindade original diante da realidade, e o coração, depois, não hesite.Ora, o que pretendo mostrar, meu e de todos os que queiram merecê-lo, não só existe, como é dos mais belos que se possam imaginar. Começa logo porque fica no cimo de Portugal, como os ninhos ficam no cimo das árvores para que a distância os torne mais impossíveis e apetecidos. E quem namora ninhos cá de baixo, se realmente é rapaz e não tem medo das alturas, depois de trepar e atingir a crista do sonho, contempla a própria bem-aventurança.
Vê-se primeiro um mar de pedras. Vagas e vagas sideradas, hirtas e hostis, contidas na sua força desmedida pela mão inexorável dum Deus criador e dominador. Tudo parado e mudo. Apenas se move e se faz ouvir o coração no peito, inquieto, a anunciar o começo duma grande hora. De repente, rasga a crosta do silêncio uma voz de franqueza desembainhada:
- Para cá do Marão, mandam os que cá estão!...
Sente-se um calafrio. A vista alarga-se de ânsia e de assombro. Que penedo falou? Que terror respeitoso se apodera de nós? Mas de nada vale interrogar o grande oceano megalítico, porque o nume invisível ordena:
- Entre!
A gente entra, e já está no Reino Maravilhoso. (...)"
- Miguel Torga

24 de fevereiro de 2013

Um novo vício

Enquanto o pessoal anda viciado em Walking Dead e Once Upon A Time, eu ando viciada a ver o Inside The Actors Studio. É assim o meu guilty pleasure pois até nem ligo nada disso das celebridades, no entanto, nestas entrevistas falam é do background dos actores, o que os levou a ser actores, os seus trabalhos e consequentes prémios. Ou seja, passam em revista muito bons filmes e é giro saber como é que os actores se prepararam para determinadas personagens. 

 A entrevista que mais gostei até agora foi do Russell Crowe, não só porque ele é a pessoa mais introvertida que vi até agora a dar uma entrevista, não só pelo seu fantástico (e sexy) sotaque mas pelo o que ele passou no filme Gladiador e as suas ideias que incorporou no filme/personagem. Vejam, aconselho!

22 de fevereiro de 2013

As saudades de um cineminha

O nosso amor para com o cinema não diminuiu, o preço é que aumentou! Aqui no UK é difícil irmos tanto ao cinema como íamos/vamos em Portugal, também pela disponibilidade mas mais ainda pelo preço. Se for pelo preço normal um bilhete de cinema custa perto de 10 libras, o que dá aproximadamente 13 euros... Além de que como o cinema não fica no centro da cidade (cerca de 1 hora a pé) ainda acrescentamos o dinheiro dos transportes. O que vai valendo é o cartão de fidelidade do cinema que de vez em quando oferece um bilhete, entre outras coisas.
Então obviamente que não vamos com a mesma regularidade. Ainda o pessoal se queixa do preço dos bilhetes em Portugal! LoL 

20 de fevereiro de 2013

Papa Bento XVI renuncia ao cargo... e eu nem sabia que podia fazer isso!


Eu admito que tenho andado assim meia desligada das notícias e eu que adorava manter-me informada das coisas... mas mesmo assim vou vendo as notícias "principais" pelo telemóvel quando estou na minha pausa no trabalho ou quando dou uma vista de olhos em casa. Perdi foi o hábito de ver o telejornal (noutro post explico porquê), contudo, mesmo não vendo o telejornal, soube na mesma da renúncia do Papa Bento XVI ao cargo. 
Bem, em primeiro lugar em nem sequer fazia a mais pálida ideia de que um Papa podia fazer isso e ainda por cima pelo motivo (velhice). Quando li que era pela idade avançada do Papa, a razão pela qual este iria renunciar ao cargo, pensei no Papa João Paulo II e pensei logo: bem, isto de certeza que é uma história mal contada.
Fui pesquisar um bocado e não sei se é uma "teoria de conspiração" ou não mas o que vi foi que apareceram umas imagens um tanto quanto comprometedoras do Papa. Mostraram um jovem nazi e depois um padre nazi, sendo nessas fotografias o actual Papa... 
Não que seja muito religiosa, apesar de ter sido criada obviamente sob a religião católica, a partir de um certo momento da minha vida cortei radicalmente as ligações com a Igreja, com um órgão que acho vergonhoso. O Vaticano ainda mais pois, na minha modesta opinião, era derreter aquilo tudo, matar a fome no mundo e ainda sobrava uns trocos! 
Mesmo desprezando a instituição que é a Igreja, mantive-me atenta pois muita gente leva o que a Igreja diz, como lei, daí a pessoa que está à frente dessa instituição tem muito poder sobre os media. Isto para dizer o quê? Estou bastante preocupada quando o cardeal favorito ao cargo de Papa é defensor da pena de morte para homossexuais e bissexuais... É que se não fosse a favor dos homossexuais e bissexuais, ainda era naquela pois o senhor tem mais que direito à sua opinião pessoal mas pena de morte? Isto agora é o quê, a Santa Inquisição?! 

14 de fevereiro de 2013

Upgrade: trabalho


Não tenho tido muito tempo aqui para o Reino pois tenho tido umas semanas de cão mesmo! Não me estou a queixar, longe disso pois fui eu que quis o trabalho extra para o dinheiro extra mas apesar de depois no fim do mês ficar muito satisfeita com o resultado e de ter valido a pena, mesmo assim… estou exausta! Literalmente a dormir em pé e com a casa em pantanas mas agora vou ter uns dias de folga seguidos, vou descansar, repor energias porque a viagem para Portugal está mesmo aí à porta! Pois a ideia é mesmo essa, ter poder económico para fazer vida aqui, comprar as viagens (que para 2013 já estão quase todas só este mês e até dói, LoL), ter ainda um extra para passear e fazer umas comprinhas, por isso este trabalho todo vai valer a pena. 
Ainda no outro dia estava a falar com uma colega portuguesa de trabalho que apesar de oferecerem em Portugal um emprego, o que quer que fosse, teria que ser muito bem pago pois para sermos “escravos”, ou seja, trabalharmos até nos matarmos, mais vale trabalhar aqui pois ao menos no final do mês o trabalho duro se reflecte… Também se reflecte nos impostos mas enfim, isso é todo um outro assunto. 
Quanto ao trabalho em si, agora em vez de emergência ainda estou em cirurgias electivas que não significa automaticamente um aborrecimento de morte pois há cirurgias imensamente complexas ainda para serem aprendidas. No entanto, ainda ontem recebi um elogio por parte de um cirurgião, a dizer que eu era excelente pois antecipava (ou a meu ver, tento fazer) todos os passos. Até acho que tenho evoluído nesse sentido, talvez não na rapidez com que queria mas mesmo em emergência levei o meu tempo a aprender…
Aprendi muito desde que comecei, tenho que reconhecer isso, principalmente aprender as realidades e os mitos do bloco operatório, como por exemplo, o meu favorito mito: o cirurgião é que manda no bloco operatório. Ahahahah.

12 de fevereiro de 2013

Upgrade: a casa número 8


Sei que parece muito pretensioso utilizar o termo upgrade mas assim de repente nada me ocorre para descrever melhor as novidades aqui na casa número 8. É engraçado pensar que ainda há pouco tempo as nossas mesinhas de cabeceira eram caixas de cartão e que ainda guardávamos meias em malas. Parece uma coisa tão irrisória, não é? Mesinhas de cabeceira… Há coisas tão insignificantes que só damos valor quando as temos. 
Devo-vos dizer que quando arrumei a minha roupa toda no seu devido sítio, quando consegui um espaço extra no armário embutido para os têxteis da casa para não ficar tudo amontoado, quando arrumei tudo devidamente, até me apetecia chorar de tão lindo que estava! Por muito impressionante que seja, agora sim, é um lar. Além da vontade de chorar por ter tudo organizado, estava cheia de orgulho, não só pelo meu Mais-que-Tudo por ter montado a mobília toda sozinho mas orgulho em nós. Vai fazer em Março um ano que estamos no UK, um ano em que viemos com 2 malas de roupa e conseguimos chegar onde chegámos. Ter a nossa casinha como gostamos, ter a mobília ao nosso gosto, etc. 
 A única coisa que me preocupa é a decoração. Sim, que agora com a mobília toda, vai-se começando nos pormenores mas eu de decoração não percebo patavina! 

 Isto vai ser, no mínimo, interessante… LoL

8 de fevereiro de 2013

Gung Hay Fat Choy!


É já este fim de semana e infelizmente não poderei ir a Chinatown fazer a dança do dragão para dar boa sorte a este novo ano mas fica para a próxima. Vou mas é aproveitar para descansar, repor baterias depois destas semanas muito, muito exaustiva e namorar um bocadinho... 


2 de fevereiro de 2013

Rotular em vez de educar?


No outro dia li um artigo (já nem sei muito bem onde) que desde 2007 até 2011 o consumo de medicamentos para a hiperactividade e que agora tanto os médicos como os pais estão preocupados com o efeito dos mesmos na personalidade dos filhos... 
Bem, em primeiro lugar acho que houve uma banalização do termo "hiperactivo" pois qualquer criança que esteja para a brincadeira ou que precise de um pulso mais firme ou de uma abordagem diferente, é logo conotada como hiperactiva. Quando os pais dizem  "ai, desculpe, ele é hiperactivo", que é como quem diz "repare, ele não é mal-educado, ou seja, eu não falhei e não estou a falhar como pai neste preciso momento porque devia levantar o rabo da cadeira para o meter na ordem, mas a questão é que isto é uma questão médica, técnica, sabe?, uma questão que está acima da minha vontade e da vontade do meu menino, olhe, repare como ele aperta o pescoço àquele pombinho, é mais forte do que ele, está a ver?".
Isto enfurece-me um bocado porque existem mesmo crianças hiperactivas e que isso se deve a todo um desequilíbrio químico entre outros factores (que Deus dê muita paciência e força a esses pais) mas há quem pense que isto da hiperactividade se passa por osmose ou que se trata mesmo de uma epidemia repentina. Não digo que agora há muito mais informação e que as pessoas estão mais alerta, contudo acredito que muitos pais rotulam os seus filhos de hiperactivos mas o problema é apenas falta de paciência para colocar um limite ou até mesmo falta de regras. 
Então mas não é tão mais fácil dar umas gotinhas de medicamento do que dar uma "palmada"? Dá menos chatices e o os médicos até ganham com isso pois prescrevem mais, o laboratório patrocina mais, então toda a gente fica feliz. Menos a criança...
Claro que não sou a melhor pessoa para falar porque ainda não tenho filhos mas, na minha opinião, há de facto uma despreocupação relativamente a dar uma educação às crianças.

O que é que vocês acham?