30 de agosto de 2016

Visitinhas


Tive direito a umas visitinhas durante a semana passada... e que bem que soube ter a família aqui!

26 de agosto de 2016

Black Dagger Brotherhood series: The Beast


Maybe they should have moved over to the bed. It would have been more comfortable, after all. But the sense that some tremendous shift was occurring in their lives made it seem safer to stay on the ground - just in case the earthquake happening for both of them on an emotional level translated into the physical world somehow.

Como já tinha mencionado, desde que comecei esta saga da autora J.R. Ward que tenho estado sempre atenta quando sai um novo livro. Este já é o 14º livro da saga, a autora mantém-nos sempre cativados e ler os novos livros, já é como visitar o gang.

Não me querendo repetir muito, os livros focam-se num mundo em que nós coabitamos com vampiros e lessers (uma espécie de humanos sem alma). É a função da Black Dagger Brotherhood, uma sociedade de vampiros-guerreiros de elite, nos proteger dos lesser.

Apesar de que este livro, achei que foi bastante previsível no que toca à evolução das personagens e o que iria acontecer no final... No entanto, gostei tanto no que a autora se focou que continuei a ler feliz da vida.

24 de agosto de 2016

Conversas à mesa: o update

Ora vamos então fazer um update às Conversas à mesa, que vou partilhando no facebook do Reino:

Na hora de ir buscar as malas, no mesmo tapete e ao mesmo tempo, estavam a chegar malas de outro voo que veio de França. Contudo, não sabíamos se as malas que estavam a chegar eram do nosso voo ou não...
Ao qual o Mais-que-Tudo diz: sabes como é que eu sei que estas malas vieram de França? 
Eu: como? 
Mais-que-Tudo: porque só se vê grandes malas... cheias de ilusões e esperança. 
DAMN SON! 


Eu e o puto estávamos a falar sobre o facto do "Pokémon Go" já estar disponível em Portugal. Até que a Mãe intrigada, pede para a gente explicar o que é esta nova loucura...
Nós explicamos, ao qual a Mãe diz: - Aaaaah, que giro! Mas vá, desde que não chores desalmadamente como a tua irmã quando o "Tamagotchi" dela morreu... tá tudo bem. Oh Mãe, isso não era preciso divulgar!!
P.S. - obviamente, o Puto estava a rebolar no chão... a chorar... de tanto rir.


Numa daquelas visitas obrigatórias à esteticista, decorreu esta conversa...
Esteticista: a menina foi apanhar sol?
Eu: não... tenho é um bronzeado um bocado à trolha porque fui fazer uma caminhada nas montanhas. Esteticista: ah não me diga que foi fazer uma daquelas caminhadas nocturnas na montanha! Pois é caros súbditos, neste verão cuidado com o sol da meia-noite! Lol



22 de agosto de 2016

Guidance


Do novo álbum, que saiu este ano, dos meus queridos Russian Circles, já tenho uma música favorita: Vorel. E vocês, já ouviram o novo álbum?

18 de agosto de 2016

Esta é a nossa história e o caminho dele...


Já não é a primeira vez que tenho a ideia de escrever sobre este assunto em particular... mas talvez porque sentia que não era minha história para contar, fui sempre deixando de lado. Até que li o fantástico post da Há Pêssegos na Lua, que me deu o empurrão necessário.

O meu irmão tem dislexia. 

Acho que nos dias de hoje toda a gente sabe ou pelo menos tem uma ideia do que é a dislexia, por isso não vos vou maçar com definições, contudo, quando o meu irmão foi para a primeira classe não havia tanta informação, isto é, há quase 20 anos atrás...

Por isso, obviamente que o puto teve problemas quando foi para aprender a ler. Ele sabia as letras, sabia os números todos mas ler, está quieto. Tendo em conta que a professora dele era uma recém-licenciada seria de esperar que estivesse mais susceptível a estes casos. Não, meus caros... porque as crianças conseguem ser cruéis mas os adultos são bem piores. Não contente com o facto de obviamente o meu irmão ter dificuldade em ler pois em todo o resto, ou se lhe lesse as perguntas, ele sabia tudo e mais alguma coisa. Ela fazia questão de, na aula, em frente aos coleguinhas dele, de dizer que só não sabia ler quem é burro, entre outras coisas deploráveis que não se devia dizer a um adulto, quanto mais a uma criança de 6 anos. 
Lá passou o primeiro ano pois a professora dizia que ele devia ter um atraso qualquer e acho que o passou por pena, em vez de saber ao certo o porquê de o miúdo não conseguir ler ou escrever, mas sabia as respostas se ela lhe perguntasse. Durante este tempo, o puto vai cada vez mais tornando-se introvertido e taciturno, totalmente o contrário da sua personalidade.

No segundo ano, já era esperado que ele conseguisse ler e escrever. Magicamente um verão ele ia aparecer na aula de sua excelência, a saber tudo aquilo que ela não conseguiu ensinar... Chegar da escola e fazer os malditos trabalhos-de-casa, tornou-se numa odisseia, em que envolvia a nossa frustração, o meu irmão a chorar, stress, exaustão de ambos os lados e os TPC terminados por volta sempre da meia-noite. Obviamente, as coisas chegaram a um ponto em que os miúdos já faziam pouco do meu irmão, o tratamento da professora além de se manter ficou pior. 
Foi num acumular de coisas que os meus pais decidiram levar o meu irmão a um psicólogo pois os níveis de stress estavam nos píncaros e o miúdo estava a entrar em estado depressivo...

Foi então diagnosticado como disléxico profundo. Isto trocado por miúdos, só para terem uma ideia, a especialista avisou os meus pais que não sabia se ia conseguir colocar o meu irmão a ler e a escrever. Tenho, também, que salientar que as primeiras sessões da especialista, tiveram que ser a trabalhar a auto-confiança do meu irmão, estava mesmo em estado depressivo, achava-se burro e um inútil, quando, na verdade, tem inteligência acima da média.

Chega o fim do segundo ano e a especialista aconselha os meus pais a chumbarem o puto, devido a enumeras coisas, era a coisa mais acertada a fazer. Os nossos pais falam agora que se soubessem tinham logo levado à especialista na primeira classe e o tinham chumbado logo na altura... mas não sabíamos, não havia tanta informação como há agora e nós sabendo a inteligência do meu irmão, bem que coçávamos a cabeça não percebendo ao certo o porquê de ele não conseguir ler e escrever.
Sempre com sessões intensivas e o nosso apoio, aliados uma nova professora (que ensinava há mais de 20 anos), novos colegas, um novo começo... o puto começa a ler e a escrever! 
As notas reflectem aquilo que ele sabe, aquilo que ele estuda, os testes são adaptados para ele, a professora exalta-o em frente à turma quando ele é um dos melhores a matemática! A confiança aumenta, aos poucos volta a ser a criança extrovertida e tagarela que era antes.

Até à altura do secundário, foi sempre uma batalha, conseguir que as pessoas e certos professores percebessem que dislexia não era sinónimo de atraso. Depois houve uma explosão de notícias sobre o assunto, mais estudos divulgados e as pessoas passaram a estar informadas... Mesmo assim, o mal já estava feito, não é?

Houve pessoas que chegaram a dizer ao meu irmão que ele nunca iria conseguir chegar à universidade, que se dedicasse a um curso técnico ou que fosse para as obras pois a inteligência dele não dava para mais... Mas sabem a melhor? O puto foi para a Universidade, sim. Entrou com todo o mérito dele, está a acabar Informática e a fazer, orgulhosamente, o manguito a todas as pessoas que disseram que ele não seria capaz! 

16 de agosto de 2016

Directly from Mount Olympus...


Que coisa boa que é o meu novo perfume da Paco Rabanne: Olympea

Aliás com este perfume descobri uma ferramenta fantástica para quem gosta de ir variando ou quer comprar um novo perfume, quem sabe até utilizar para oferecer um novo perfume a alguém. É o Boots Fragrance Finder,  que pode ser usado com os ingredientes ou então com o vosso perfume favorito, pois encontra outros do mesmo estilo. Qual maravilha vinda directamente dos deuses! 


P.S. - o fragrance finder poderá estar limitado aos perfumes que a Boots vende mas como a loja vende quase todos os perfumes do mercado, não é má de todo.

14 de agosto de 2016

Dante's garden


Adoro colocar a conversa em dia, com amigas, nestes sítios maravilhosos de Londres.

12 de agosto de 2016

The Sunshine Blogger Award

Há uns tempos uma súbdita nomeou-me para esta TAG, achei super interessante e por isso, decidi responder-lhe em jeito de celebração dos 7 anos do Reino. Nesta TAG, temos que responder a 11 perguntas, que podem ser do mais aleatório que existe e depois nós criamos umas novas 11 perguntas para os nossos 11 nomeados responderem. Ora aqui vai:

 1. Se tivesses que criar o livro perfeito, de que livro tirarias: o enredo, os personagens, os vilões, etc.? 
Ora bem, nunca tinha pensado nisto mas realmente é interessante pensar no "livro perfeito" e o que é um "livro perfeito" para cada um de nós... Para mim, o enredo seria uma mistura de Harry Potter, com The Covenant, The Inheritance Cycle e, para apimentar as coisas, um pouco de Tangled.
A personagem feminina teria que ser uma personagem forte, por isso uma mistura da Alex (The Covenant), a Claire (Outlander) e a Katniss (The Hunger Games). Quanto à personagem masculina, uma mistura do Drew (Tangled) pois adoro o seu sentido de humor, Jaime (Outlander) por razões óbvias e Aiden (The Covenant).

2. Preferirias ler muitos livros durante um ano mas nenhum deles ser bom ou preferias ler só um livro durante o ano mas esse livro ser WOW WOW WOW?
Não sei se conseguia ler apenas um livro por ano mas se modificarmos isso para um livro por mês, prefiro perfeitamente! Adoro aquele momento em que me perco num livro, com a história, personagens e suspense.

3. Os livros são sempre melhores que os filmes, mas, na tua opinião, que filme foi melhor que o livro?
Isto já foi discutido tantas vezes... eu tenho que ir sempre com expectativas mesmo muito baixas quando vou ver filmes de livros que li. Contudo, não me recorda nenhum filme que fosse melhor do que o livro. Alguém sabe de algum?

4. Se pudesses escolher uma personagem de ficção para ser o/a teu/tua melhor amigo/amiga na realidade, quem seria e porquê?
Por mais estúpido que vá parecer, a professora Minerva McGonagall.

5. Pensa na tua série favorita. Quem é o teu personagem favorito? Qual é o que menos gostas?
Bem, uma das séries televisivas favoritas é Suits. Desta série adoro a Donna e de quem menos gosto é a Rachel.

6. Qual foi o primeiro livro que leste?
Primeiríssimo, não me recorda mas do que me lembra, lia muitas vezes, quando era pequena, um livro que tinha todos os contos de fadas possíveis e imaginários. Adorava aquele livro!

7. Se pudesses ser qualquer coisa no mundo, o que serias?
Além de o óbvio, de ser rica? LoL. Para poder viajar, comprar uma casa e até oferecer mais dinheiro à caridade. 

8. Qual é a tua memória mais feliz?
Uma das minhas memórias mais feliz foi quando comecei a namorar com o Mais-que-Tudo...

9. Qual é a tua citação preferida?
Adoro esta citação e já publiquei aqui no Reino várias vezes, que é o discurso de Bill Hicks.


10. Se pudesses conhecer alguém, vivo ou morto, quem seria?
Adorava conhecer a minha bisavó pois dizem que em termos de personalidade sou muito parecida a ela mas infelizmente quando nasci, ela já tinha falecido.

11. Nomeia: o teu destino de férias ideal, com quem irias e 3 coisas que tinhas mesmo que levar.
Neste momento, qualquer sítio onde pudesse estender-me ao sol, LoL. Mas, na verdade, tenho assim uma fantasia de ir para um lugar nas montanhas (não interessa quais), numa daquelas cabanas de turismo rural, com o Mais-que-Tudo, levar umas botas para as caminhadas, obviamente o meu Kindle e a minha máquina fotográfica.


As minhas 11 perguntas são:

1. Se tivesses que criar o livro perfeito, de que livro tirarias: o enredo, os personagens, os vilões, etc.?
2. Se pudesses viajar no tempo, para onde e quando ias?
3. Diz uma personagem fictícia que gostarias de conhecer (livros, filmes, séries, animes...).
4. Se tivesses que escolher outra profissão ou outro curso, qual seria?
5. Qual é o teu comic/filme/série de super-heróis favorita?
6. Menciona um livro que gostaste que foi aconselhado por um(a) amigo(a).
7. Se pudesses ter um super-poder, qual seria?
8. Conta uma situação, ou um momento, mais engraçado em família.
9. Quem é o teu actor/actriz favorito representando uma personagem fictícia?
10. Qual é a tua mitologia favorita (p.e: grega, romana, egípcia, maia...)?
11. Partilha uma música que te faz lembrar um momento feliz ou simplesmente que te faça sentir um pouco de nostalgia.


10 de agosto de 2016

8 de agosto de 2016

Come here, bichano!


No nosso número 4, os nossos vizinhos do lado são ingleses (numa situação normal não era importante eu referir isto mas já vão perceber, lol) e têm dois gatos: um siamês e um persa. São lindos e super meiguinhos, que os vizinhos soltam se tiver bom tempo no jardim para eles vaguearem um bocadinho, então claro que aparecem no nosso jardim muitas das vezes. Nada demais e eu adoro porque aproveito para fazer umas festinhas e tal...

Numa dessas vezes, estava a fazer festinhas ao siamês e o maroto do persa passa por mim, entra casa adentro, LoL. O que despoletou a seguinte situação, tendo em conta que o persa tem pêlo para dar e vender, não queríamos que ele vagueasse pela casa a largar peladas, então pedi ao Mais-que-Tudo que o apanhasse ou que o mandasse de volta para a porta, enquanto que eu impedia o siamês de ter a mesma ideia.
O que sucedeu foi o Mais-que-Tudo a falar inglês com o gato e a falar em português comigo ao mesmo tempo:
"C. para onde é que ele foi? Where are you kitty? Come here kitty... Foi para o quarto? Come on kitty, let's go outside. Go on. Ele já está a ir, C.!"

Foi simplesmente a cena mais hilariante de sempre e eu que quase tive um ataque de asma de tanto rir, LoL.

6 de agosto de 2016

Crossrail Place Roof Garden


A cena fantástica de Londres é que tem sempre algo para descobrir e sempre algo para se fazer... Recentemente descobri um verdadeiro oásis no meio arranha-céus, como a senhora Alicia Keys diz, concrete jungle
No meio de Canary Wharf (que tem também um parquinho giríssimo com cascatas) tem um jardim no topo de um prédio, do tipo uma estufa, o Crossrail Place roof garden, que lá no meio tem um anfiteatro com um piano, onde qualquer pessoa pode ir lá tocar ou simplesmente sentar-se no anfiteatro para conversar. 

É uma verdadeira pérola! 

4 de agosto de 2016

Acampar, essa coisa do demónio


Ok, todos nós temos ódios de estimação e fobias mas acho que todos nós temos uma coisa que simplesmente não conseguimos fazer. Não porque não experimentamos ou temos medo, simplesmente porque não gostamos, mas toda a gente vos diz que somos tolinhos!

No meu caso, é acampar. Antes digam que tive não experimentei ou que tive má experiências, eu experimentei várias vezes e não tive má experiências. Pura e simplesmente, não gosto, LoL. 
Acho que a asma não ajuda muito ao cenário mas, principalmente nesta altura do ano, em que há muitos festivais e eu costumava a ir ao V.O.A. mas acampar, tá quieto! Ficava num hostel nas imediações, no final de cada dia lá eu tomar uma banhoca no chuveiro privado, dormir num colchão fofinho e acordar bem descansada. 

Já sei que vão dizer que sou tolinha mas pronto, a minha mãe fez-me assim, que querem que faça!

2 de agosto de 2016

Slater Brothers series: Dominic



Tinha adicionado esta saga da autora L.A. Casey pois estava no topo de várias listas de romances, no Goodreads
Fiquei extremamente desiludida... tudo bem que as personagens são adolescentes mas são completamente infantis e é extremamente sensacionalista: drama drama drama! Acho que numa tentativa de prender o leitor, que no meu caso, teve o efeito contrário... 

Achei um desastre completo, não tenho nada de bom para dizer deste livro e, obviamente, não continuei a ler a saga.