8 de dezembro de 2019

Uma viagem às minhas estantes!



Decidi gravar este vídeo depois de vir de Portugal com alguns livros que tinha lá e outros que comprei... o que eu não esperava era criar um desafio para mim própria!

O que acharam?

6 de dezembro de 2019

And the lightning cracks the sky...


Hoje decidi partilhar esta cover duma música que muitos metaleiros conhecem... A Through the Fire and Flames da banda DragonForce, que musicalmente é um pesadelo para tentar tocar! Aliás esta cover em piano teve que ser com mais uma pessoa, se virem as notas vão perceber, LoL.
Eu por acaso tive o imenso prazer de os ver ao vivo e são simplesmente brutais, com uma energia invejável! 



Que acharam da cover? Já agora, gostaria de deixar a nota de que a música não é só difícil como eles ainda tocam a fazer headbang!

4 de dezembro de 2019

The London Tour: Christmas Markets & Winter Wonderland

A partir desta altura, toda a Londres começa a ficar decorada a preceito das festas natalícias mas além das fantásticas decorações temos também os mercados de Natal, apesar de quase todas as cidades fazerem o seu, os de Londres são os mais falados.


Se quiserem ver um mercadinho enquanto estão a passar pelo centro da cidade, podem sempre passar por Southbank, onde tem sempre um Christmas Market em estilo alemão, com pequenas casinhas onde tem de tudo um pouco, desde decorações de Natal, como presentes e ainda comida festiva tipicamente inglesa, juntamente com outras culturas.


Contudo, se quiserem um Christmas Market de grande dimensão, aconselho vivamente a passarem por Hyde Park onde tem a gigantesca Winter Wonderland, que além do mercado de Natal tem também parque de diversões!
Todos os Christmas Markets e a Winter Wonderland são de entrada livre, portanto são paragens obrigatórias se por acaso viajam para Londres nesta altura do ano.

O que acham? Gostariam de visitar estes mercadinhos de Natal?


Southbank Christmas Market - estação: Waterloo ou Embankment
Winter Wonderland - estação: Hyde Park Corner ou Marble Arch


Post anterior: The London Tour - Harry Potter Studios & Plataforma 9 3/4

2 de dezembro de 2019

The Promised Neverland series


Ora bem, eu comecei a ler este manga do autor Kaiu Shirai e ilustrada por Posuka Demizu, devido a um desafio da The Phoenix Flight.

Honestamente não é o primeiro manga que leio mas foi a primeira vez que li um manga em formato físico! Obviamente que não podia dizer que não a um desafio... Disse-me para ler o primeiro volume pois ia ficar completamente viciada. Pois bem, 12 volumes depois, tenho a dizer que estou plenamente viciada nesta história, LoL.
Eu sei que vocês esperam uma review direitinha mas neste caso vou fazer o mesmo desafio que me fizeram a mim pois este manga, quanto menos se souber, melhor!

Contudo, ler este manga em formato físico, fez-me pensar nos meus mangas favoritos e se aplicava o meu método de triagem, ou seja, se gostava de ter esses mangas em livro... daí ter dado a mim própria o desafio de reler esses mangas.

Vocês gostam de ler mangas? Têm por hábito comprar em formato físico ou lendo apenas online?

28 de novembro de 2019

Mum Shaming


Tenho uma amiga minha que me veio pedir conselhos e dicas para terminar a amamentação. Perguntou-me antes de sequer perguntar a profissionais ou a outras mães pois o tão conhecido "mum shaming" continua em alta.
A questão dela era como conseguir que a filha deixasse a mama. A menina tem 2 anos e chegou a um ponto que a amamentação já não está a ser benéfica para ambos. Porquê o receio dela? Existe um movimento fantástico de aleitamento materno, de amamentação até pelo menos os 2 anos (o que é recomendado pela OMS). Contudo, como em todos os movimentos, há extremistas.

Extremistas que dizem que a amamentação é até quando a criança quiser e é a criança que decide quando parar. Gostaria de anotar que eu sou mais do que a favor da amamentação, contudo, a mesma tem que ser benéfica tanto para o bebé como para a mãe.
Contudo, o que eu quero dizer é que eu não tinha dicas para ela. A amamentação do Príncipe foi muito específica, o desmame foi muito gradual e o cessamento foi natural... Porque calhou!

Muitas técnicas, dicas e afins não resultam para todas as crianças. O que resulta para uma pode não resultar para outra... porém, as pessoas tendem logo a criticar a mãe. Ou seja, em vez de ajudar, desajudam...

Eu costumo dizer que educar uma criança é como montar um móvel complexo do IKEA mas sem o manual de instruções. Tu tens ideia do que queres como produto final mas sem instruções, temos que ir por tentativa e erro. Além de que muito provavelmente não chegar ao final com falta de parafusos, LoL. Mas tentamos o nosso melhor para educar um ser humano saudável e decente.

Não será isso o mais importante?

26 de novembro de 2019

As minhas reviews



Eu tenho estado ao longo dos anos a tentar melhorar as minhas reviews literárias. Tenho que ser honesta e dizer que não sou das melhores mas quando eu vou fazer uma opinião literária, penso no que eu gostaria de ouvir ou ler.

Para estar interessada em ler o livro em questão, gosto de saber um pouco da premissa. Seja "livro baseado na conchichina" ou como "livro com uma distopia". É a premissa do livro que me vai fazer ler ou não... Quando às vezes pesquiso um livro, eu raramente leio a sinopse. Sou bem capaz só de olhar na coluna do género literário (como tem no Goodreads): "Ah, então é uma fantasia paranormal mas com romance."

Ou seja, tento dizer-vos a premissa sem dar spoilers pois é coisa do diabo e há todo um círculo no inferno para as pessoas que dão spoilers sem colocar um aviso.
Portanto, tento colocar bem visível se a minha book review tem spoilers ou não... Que geralmente não tem mas se tiver, é porque quero discutir o livro com vocês e também há muita gente que já o leu.

E, claro, o que seria uma opinião literária sem eu dizer se gostei ou não do livro?
Contudo, como já mencionei várias vezes, ler é muito subjectivo e então a minha opinião vale o que vale. Só que acho que acabamos por gravitar naturalmente para pessoal ou com os mesmos gostos literários ou com sugestões de leitura out-of-the-box.

Isto para dizer o quê? Nas minhas reviews gosto de falar sobre a premissa e o mundo do livro, não gosto de colocar sinopses, em vez disso, mencionar o género literário e as suas nuances. Sem spoilers e com a minha opinião pessoal...

Vocês têm gostado ou acham que lhes falta qualquer coisa? O que é que vocês gostam numa book review/opinião literária?

24 de novembro de 2019

Sala de Cinema: Dead Poet Society



Finalmente, chegamos a este filme! Realizado por Peter Weir e escrito por Tom Schulman (para os bookaholics, este filme tem livro), incluí uma estrela que vocês vão ver em vários filmes clássicos, o grande Robin Williams.

Este grande sucesso de filme de 1989, é essencialmente um drama sobre os sonhos da nossa juventude. Centra-se numa escola privada, que é estritamente tradicional nos seus valores, programa curricular e sistema de educação. O que muda no paradigma é John Keating (Robin Williams), um professor que em vez de apenas ensinar os seus alunos, inspira-os, desafia-os e é o catalisador numa grande mudança na escola.
Em termo de curiosidade, o actor Robin Williams decidiu representar o papel desse professor, pois disse ele que era o tipo de professor que ele desejava ter tido na escola a certo ponto! 
Nem de propósito este filme imortalizou a frase "O Captain! My Captain!" de Walt Whitman, que os alunos dizem para celebrar o professor.

O enredo do filme desenrola-se centrando-se num grupo de rapazes que são colegas e amigos que ficam inspirados pelos ensinamentos de Keating, criando uma imitação de um clube secreto, o Dead Poets Society, encontrando-se clandestinamente para discutir temas importantes como raparigas, álcool e a vida.

Além da sua vida na escola, ao longo do filme, começamos a ver mais os seus backgrounds, que são na sua essência todos um pouco diferentes. Um deles recebe bastante responsabilidade dos pais de ter uma determinada carreira e no filme, sentimos mesmo o peso dessa obrigação para com a família, tendo em conta que o que o realmente faz feliz é actuar. Que vendo-se numa situação de desiludir a família e de nunca mais fazer aquilo que o realmente o satisfaz... decide tirar a sua própria vida.

Por isso, no início o filme pode parecer sobre escola, juventude ou ainda amizades mas a verdade é que é sobre a morte. Pois este filme imortalizou, também, a frase "Carpe Diem". Explicando como devemos aproveitar cada momento e como as nossas vidas são apenas um instante, que não podem ser desperdiçadas! 



Vocês já o viram? Ficaram inspirados com ele ou não é do vosso estilo de filme?