24 de novembro de 2019

Sala de Cinema: Dead Poet Society



Finalmente, chegamos a este filme! Realizado por Peter Weir e escrito por Tom Schulman (para os bookaholics, este filme tem livro), incluí uma estrela que vocês vão ver em vários filmes clássicos, o grande Robin Williams.

Este grande sucesso de filme de 1989, é essencialmente um drama sobre os sonhos da nossa juventude. Centra-se numa escola privada, que é estritamente tradicional nos seus valores, programa curricular e sistema de educação. O que muda no paradigma é John Keating (Robin Williams), um professor que em vez de apenas ensinar os seus alunos, inspira-os, desafia-os e é o catalisador numa grande mudança na escola.
Em termo de curiosidade, o actor Robin Williams decidiu representar o papel desse professor, pois disse ele que era o tipo de professor que ele desejava ter tido na escola a certo ponto! 
Nem de propósito este filme imortalizou a frase "O Captain! My Captain!" de Walt Whitman, que os alunos dizem para celebrar o professor.

O enredo do filme desenrola-se centrando-se num grupo de rapazes que são colegas e amigos que ficam inspirados pelos ensinamentos de Keating, criando uma imitação de um clube secreto, o Dead Poets Society, encontrando-se clandestinamente para discutir temas importantes como raparigas, álcool e a vida.

Além da sua vida na escola, ao longo do filme, começamos a ver mais os seus backgrounds, que são na sua essência todos um pouco diferentes. Um deles recebe bastante responsabilidade dos pais de ter uma determinada carreira e no filme, sentimos mesmo o peso dessa obrigação para com a família, tendo em conta que o que o realmente faz feliz é actuar. Que vendo-se numa situação de desiludir a família e de nunca mais fazer aquilo que o realmente o satisfaz... decide tirar a sua própria vida.

Por isso, no início o filme pode parecer sobre escola, juventude ou ainda amizades mas a verdade é que é sobre a morte. Pois este filme imortalizou, também, a frase "Carpe Diem". Explicando como devemos aproveitar cada momento e como as nossas vidas são apenas um instante, que não podem ser desperdiçadas! 



Vocês já o viram? Ficaram inspirados com ele ou não é do vosso estilo de filme?